Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/4254
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2006_David Renault da Silva.pdf1,52 MBAdobe PDFView/Open
Title: Nunca foi tão fácil fazer uma cruz numa cédula? : a era FHC nas representações da mídia impressa (1993-2002)
Authors: Silva, David Renault da
Orientador(es):: Mello, Maria Therezinha Ferraz Negrão
Assunto:: Brasil - política e governo
Jornalismo - aspectos políticos
Mídia impressa
Issue Date: 6-Dec-2006
Citation: SILVA, David Renault da. Nunca foi tão fácil fazer uma cruz numa cédula?: a era FHC nas representações da mídia impressa (1993-2002). 2006. 354 f. Tese (Doutorado em História)-Universidade de Brasília, Brasília, 2006.
Abstract: A tese tem como pressuposto a convicção de que a história e o jornalismo são, como campos do saber, áreas que se entrecruzam. Neste entendimento e com base em um corpus principal, constituído de matérias selecionadas de jornais e revistas, complementado por uma corpus auxiliar, constituído com fontes plurais, objetivou-se rastrear a performance da imprensa na chamada "Era FHC". Como hipótese de trabalho, e com o argumento de que o Plano Real alavancou a candidatura de Fernando Henrique Cardoso para a Presidência da República, em 1994, a investigação rastreou indícios nas representações veiculadas pela mídia. Construída ao abrigo da História Cultural e referenciais nela disponibilizados, a narrativa se desenvolve de modo a evidenciar que o enunciado em circulação - "nunca foi tão fácil fazer uma cruz numa cédula" - tem limites impostos por pontos de inflexão, nos quais a mídia, preservando a imagem do sociólogo-ator político, veicula discursos ambientados em condições específicas, nas quais se privilegiam a informação, função constitutiva do fazer jornalístico. Nunca foi tão fácil fazer uma cruz numa cédula? ________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The premise of this thesis is the conviction that history and journalism are, as knowledge fields, interconnected areas. With this understanding and based on a main corpus, formed by articles selected from newspapers and magazines, supplemented by an auxiliary corpus, formed by many different sources, this work aimed at tracing the performance of the press in the socalled “FHC Period”. As work hypothesis and with the argument that the Real Plan supported Fernando Henrique Cardoso’s candidature for the Presidency of the Republic in 1994, this research followed evidences in the representations spread in the media. Built based on the Cultural History and its references, the report is developed with a view to evidence that the widespread statement - “it was never so easy to make a cross in a bank note” - has limits imposed by points of inflexion, in which media, preserving the image of the sociologist-actor politician, diffuses speeches oriented by specific conditions, in which information, the constituent function of journalism, is privileged. Was it ever so easy to make a cross in a bank note?
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Departamento de História, 2006.
Appears in Collections:HIS - Doutorado em História (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/4254/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.