Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/36459
Files in This Item:
File SizeFormat 
ARTIGO_RankingsUniversitariosInternacionais.pdf754,53 kBAdobe PDFView/Open
Title: Rankings universitários internacionais : evidências de vieses geográficas e orçamentárias para intuições brasileiras
Other Titles: Global university rankings : evidences of geographic and budgetary biases for Brazilian public institutions
Authors: Cabello, Andrea Felippe
Imbroisi, Denise
Falqueto, Júnia Maria Zandonade
Ferreira, Guilherme Viana
Arruda, June Alves de
metadata.dc.identifier.orcid: http://orcid.org/0000-0003-1489-0676
http://orcid.org/0000-0001-5747-5806
http://orcid.org/0000-0003-0074-941X
http://orcid.org/0000-0001-8811-0105
http://orcid.org/0000-0003-2453-9927
Assunto:: Universidades e faculdades - avaliação
Ensino superior
Avaliação educacional
Qualidade (Educação)
Issue Date: 2019
Publisher: Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO).
Citation: CABELLO, Andrea Felippe et al. Rankings universitários internacionais: evidências de vieses geográficas e orçamentárias para intuições brasileiras. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), Sorocaba, v. 24, n. 3, p. 637-657, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/s1414-40772019000300005. Disponível em: http://scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-40772019000300637. Acesso em: 23 jan. 2020.
Abstract: Este artigo analisa a classificação de instituições brasileiras de ensino superior em dois dos principais rankings internacionais de universidades: o QS World University Ranking e o The Times Higher Education (THE). Para isso, foram avaliadas as restrições metodológicas e como essas restrições afetaram a classificação das universidades do país nesses rankings. Entre 2016 e 2019, 38 brasileiras foram classificadas no QS e no THE, em sua versão global. Devido a restrições metodológicas, a classificação das instituições brasileiras assumiu a característica de patamares, variando de 3 a 5 patamares. Denota-se que a classificação de uma instituição em um patamar mais alto depende de sua proximidade com um mercado de trabalho dinâmico e um orçamento maior, indicando a dificuldade dos rankings de diferenciar de fato qualidade além dessas duas dimensões.
Abstract: This paper analyzes the classification of Brazilian Universities and Higher Education Institutions in two of the main International University Rankings: QS World University Ranking and Times Higher Education (THE). We analyzed the methodological restrictions and how they affected the ranking of Brazilian Higher Education Institutions. Between 2016 and 2019, 38 Brazilian institutions were classified on QS and THE rankings in their global versions. Due to their methodological restrictions, this classification assumed a plateau patter, varying between 3 and 5 levels. The classification of an institution in a higher position seemed to depend to its proximity to a dynamic job market and larger budget, suggesting a bias towards these variables.
Licença:: Este é um artigo publicado em acesso aberto sob uma licença Creative Commons https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/.
DOI: https://doi.org/10.1590/s1414-40772019000300005
Appears in Collections:ADM - Artigos publicados em periódicos e manuscritos aceitos para publicação

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/36459/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.