Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/44324
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_DanielleSilvaAraújo.pdf3,69 MBAdobe PDFView/Open
Title: Análise proteômica e fosfoproteômica durante transição dimórfica em Paracoccidioides brasiliensis
Authors: Araújo, Danielle Silva
metadata.dc.contributor.email: daniellebiomedaraujo@gmail.com
Orientador(es):: Soares, Célia Maria de Almeida
Assunto:: Paracoccidioides
Fosfoproteoma
Paracoccidioidomicose
Micoses sistêmicas
Issue Date: 21-Jul-2022
Citation: ARAÚJO, Danielle Silva. PAnálise proteômica e fosfoproteômica durante transição dimórfica em Paracoccidioides brasiliensis. 2018. 121 f., il. Tese (Doutorado em Patologia Molecular) — Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Abstract: Paracoccidioidomicose (PCM) é uma micose sistêmica de alta incidência na América Latina, atribuída aos fungos termodimórficos do gênero Paracoccidioides. O contato com o hospedeiro ocorre através da inalação de conídios, que alcançam os alvéolos pulmonares e se diferenciam em leveduras. Esta etapa de transição é considerada vital na patogênese da PCM, permitindo a sobrevivência do fungo no hospedeiro. Assim, este estudo procurou identificar proteínas envolvidas nas fases miceliana e leveduriforme e na transição morfológica micélio-levedura de Paracoccidioides brasiliensis. Os peptídeos marcados com iTRAQ foram identificados por LC-MS / MS. Esta abordagem permitiu a identificação de 312 proteínas diferencialmente expressas em micélio, levedura e transição micélio-levedura. Na batalha contra o fungo, o hospedeiro desenvolve várias estratégias para eliminar o patógeno e o fungo por sua vez, reprograma seu metabolismo para subverter as estratégias de defesa do hospedeiro. A fase parasitária de P. brasiliensis utiliza as vias de beta-oxidação, TCA e cadeia transportadora de elétrons e fosforilação oxidativa para a produção de ATP. Na fase leveduriforme há a indução de fatores de virulência e proteínas de choque térmico que permitem que o fungo se adapte ao aumento na temperatura. Por outro lado, as enzimas reguladas positivamente da fase miceliana se relacionam com a fermentação alcoólica. Além disso, vias como o ciclo celular, a transcrição e o metabolismo da parede celular foram regulados em micélio. Após marcação com iTRAQ, uma alíquota foi submetida a enriquecimento dos fosfopeptídeos com TiO2, seguido da identificação das proteínas por LC-MS / MS. O total de 72 e 23 fosfoproteínas foi identificado na fração enriquecida com TiO2 e fração global, respectivamente. Fosfoproteínas foram diferencialmente acumuladas nas fases do fungo.
Abstract: Paracoccidioidomycosis (PCM) is a systemic mycosis with a high incidence in Latin America, attributed to the thermodimorphic fungi of the Paracoccidioides genus. The contact with host occurs through the inhalation of conidia, where once that this reach the pulmonary alveoli differentiate into yeast. This transition stage is considered vital in the pathogenesis of PCM allowing the survival of the fungus in the host. Thus, this study sought to identify proteins involved in the mycelium and yeast phases and in the mycelium-to-yeast transition of Paracoccidioides brasiliensis. This approach allowed the identification of 312 differentially expressed proteins in mycelium, yeast, and mycelial-yeast transition. In the battle against the fungus, the host develops several strategies to eliminate the pathogen and the fungus in turn reprogramme its metabolism to subvert the strategies of defense of the host. The parasitic phase of P. brasiliensis uses the beta-oxidation pathways, TCA and electron transport chain and oxidative phosphorylation for the production of ATP. In the yeast phase there is the induction of virulence factors and heat shock proteins that allow the fungus to adapt to the increase in temperature. On the other hand, the positively regulated enzymes of the mycelial phase are related to alcoholic fermentation. In addition, pathways such as the cell cycle, transcription, and cell wall metabolism were regulated in mycelium. After labeling with iTRAQ, an aliquot was submitted to enrichment of the phosphopeptides with TiO2, followed by identification of the proteins by LC-MS / MS. The total of 72 and 23 phosphoproteins were identified in the fraction enriched with TiO2 and overall fraction, respectively. Phosphoproteins were differentially accumulated in the fungus phases.
Description: Tese (doutorado) — Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Patologia Molecular, 2018.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Appears in Collections:FMD - Doutorado em Patologia Molecular (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/44324/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.