Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/39903
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_FrancieliFontanaSutileTardettiFantinato.pdf2,37 MBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorDuarte, Elisabeth Carmen-
dc.contributor.authorFantinato, Francieli Fontana Sutile Tardetti-
dc.date.accessioned2021-01-13T15:44:38Z-
dc.date.available2021-01-13T15:44:38Z-
dc.date.issued2021-01-13-
dc.date.submitted2020-08-31-
dc.identifier.citationFANTINATO, Francieli Fontana Sutile Tardetti. Falha à vacina febre amarela e fatores associados : uma revisão sistemática da literatura. 2020. 180 f., il. Dissertação (Mestrado em Medicina Tropical)—Universidade de Brasília, Brasília, 2020.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.unb.br/handle/10482/39903-
dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, Pós-graduação em Medicina Tropical, 2020.pt_BR
dc.description.abstractIntrodução: A febre amarela (FA) é uma doença viral aguda transmitida por vetores dos gêneros Aedes, Haemogogus e Sabethes, e causada por arbovírus do gênero flavivírus. A principal estratégia de prevenção e controle é a vacinação, que tem se demonstrado altamente imunogênica. Desde a sua introdução, apenas 12 casos suspeitos de doença entre vacinados foram documentados no mundo. No Brasil, entre 2016 e 2019, 61 casos confirmados da doença apresentaram histórico de vacinação para FA. Por essa razão, revisar os fatores associados à falha vacinal é relevante para compreender e melhor sistematizar as evidências disponíveis sobre esse tema e esclarecer possíveis fatores associados aos casos confirmados entre vacinados no Brasil. Objetivos: Descrever, avaliar e sistematizar as evidências presentes na literatura acerca da falha à Vacina FA (VFA) e fatores associados. Método: Realizou-se uma revisão sistemática (RS) de estudos epidemiológicos sobre as evidências de falha à VFA e fatores associados. As bases de dados utilizadas foram: PubMed, Cochrane CENTRAL, Embase, LILACS. A qualidade dos estudos observacionais foi avaliada utilizando a Newcastle Ottawa Scale e dos estudos experimentais, a Cochrane Collaboration. Esta revisão seguiu os passos da Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses. Resultados: Um total de 1466 artigos foi identificado após a busca nas bases de dados e após a aplicação dos critérios de inclusão, 77 artigos foram incluídos na análise qualitativa. Desses artigos, 59,8% eram analíticos, 40,2%, eram descritivos. Na avaliação da qualidade das evidências, os estudos de coorte, em sua maioria, nos itens relacionados ao desfecho, tiveram boa qualidade. Nos ensaios clínicos, a ocultação da alocação e o cegamento foram os itens que receberam as menores avaliações. A RS indicou que a VFA produz imunidade protetora em diferentes grupos etários (exceto crianças menores de dois anos), diferentes tipos de laboratórios produtores, na administração simultânea com uma gama de outras vacinas, em doses fracionadas, na presença de eventos adversos pós- vacinação, em uso de terapias profiláticas e imunossupressoras, em leucemia mieloide crônica, transplantado de células tronco hematopoiéticas e alérgicos ao ovo. Falhou em produzir resposta protetora em gestantes, crianças menores de dois anos, crianças com Kwashiorkor e tempo após a vacinação. Para indivíduos HIV+, os resultados apresentaram-se divergentes. Conclusões: Os resultados dessa RS concluem que a VFA apresenta alta capacidade imunogênica e poucos elementos comprometem essa resposta. Esta RS deu visibilidade aos fatores associados a falha da VFA e seus achados poderão subsidiar as recomendações relativas a política de vacinação, priorizar futuras pesquisas e proteger a credibilidade desta vacina na prevenção de uma doença grave como a FA.pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.language.isoInglêspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleFalha à vacina febre amarela e fatores associados : uma revisão sistemática da literaturapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.keywordFebre amarelapt_BR
dc.subject.keywordFalha vacinalpt_BR
dc.subject.keywordFebre amarela - vacinapt_BR
dc.rights.licenseA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.pt_BR
dc.contributor.advisorcoPeixoto, Henry Maia-
dc.description.abstract1Introduction: Yellow fever (YF) is an acute viral disease transmitted by vectors of the genera Aedes, Haemogogus and Sabethes, and caused by an RNA virus that belongs to the genus Flavivirus. The main prevention and control strategy is vaccination, which has been shown to be highly immunogenic. Since its introduction, among vaccinees only 12 suspected cases of the disease have been documented in the world. In Brazil, between the years of 2016 and 2019, a total of 61 confirmed cases of the disease had a history of previous vaccination. For this reason, to review the associated factors with vaccine failure is relevant to understand and better systematize the available evidence on this topic and to clarify possible factors associated with confirmed cases among vaccinees in Brazil. Objectives: To describe, evaluate and systematize the evidence in the literature about yellow fever vaccine (YFV) and associated factors. Method: A systematic review (SR) of epidemiological studies was carried out on the evidence of YFV failure and associated factors. The databases used were: PubMed, Cochrane CENTRAL, Embase, LILACS. The quality of observational studies was assessed using the Newcastle Ottawa Scale and experimental studies, the Cochrane Collaboration. This review followed in the footsteps of Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyzes. Results: A total of 1466 articles were identified after searching the databases and after applying the inclusion criteria and 77 articles were included in the qualitative analysis. Of these articles, 59.8% were analytical, 40.2% were descriptive. Most of the cohort studies related to the outcomes were of good quality and in clinical trials, concealment of allocation and blinding were the items that received the lowest evaluations. The SR indicated that the YFV produces protective immunity in different age groups (except children under two years old), different types of producers, in simultaneous administration with other vaccines, in fractional doses, in the presence of adverse events following-immunization, using prophylactic and immunosuppressive therapies, in chronic myeloid leukemia, hematopoietic stem cells transplants and eggs allergy. It failed to produce a protective response in pregnant women, children under two years of age, children with Kwashiorkor and time after vaccination. For HIV + individuals, the results were divergent. Conclusions: The results of this SR conclude that YFV has a high immunogenic capacity and few elements compromise its response and gave visibility to the factors associated with the failure of the vaccine and its findings may support the recommendations regarding the vaccination policy, prioritizing future researches and enhancing the vaccine credibility in the prevention of a serious disease such as YF.pt_BR
Appears in Collections:FMD - Mestrado em Medicina Tropical (Dissertações)

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/39903/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.