Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/39422
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_PabloPimentelPessoa.pdf35,38 MBAdobe PDFView/Open
Title: Bem viver urbano ou o abandono do deszelo
Authors: Pessoa, Pablo Pimentel
metadata.dc.contributor.email: pablopessoa@gmail.com
Orientador(es):: Ribeiro, Rômulo José da Costa
Assunto:: Sustentabilidade urbana
Indicadores de sustentabilidade
Pós-desenvolvimento
Transmodernidade
Issue Date: 28-Aug-2020
Citation: PESSOA, Pablo Pimentel. Bem viver urbano ou o abandono do deszelo. 2019. 157 f., il. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo)—Universidade de Brasília, Brasília, 2019.
Abstract: Dada a complexidade dos desafios de ordem global postos às sociedades a partir da desestruturação dos sistemas naturais de suporte à vida, as cidades - enquanto sistemas socioambientais dinâmicos - assumem um papel de protagonismo diante do imperativo de adaptação em sentido de uma modernização reflexiva. Em escala nacional, surgem, nas duas últimas décadas, acenos a uma transição cultural pautada na busca da prosperidade compartilhada, porém desatrelada ao crescimento econômico. Na América Latina, a proposição de maior força - o Bem Viver - resulta em uma alternativa ao desenvolvimento, partindo do respeito aos direitos da Natureza e da visão dos grupos e sujeitos historicamente excluídos do processo econômico convencional. Nesse contexto, as nações e governos pioneiros na promoção do chamado giro ecocêntrico seguem ainda tateando as maneiras de operacionalização desses princípios e mais distantes ainda deste debate e de suas problematizações estão as municipalidades e os seus ordenamentos. O desenvolvimento urbano, sobretudo para as cidades brasileiras, mantém-se praticamente intocado enquanto valor e fim da política urbana e dos sentidos de prosperidade coletiva nas cidades. Assim, sob a hipótese de que as cidades, caso desejassem, não saberíam não crescer nem disporiam de meios para garantir prosperidade sem expansão econômica, buscou-se prospectar caminhos de prosperidade e florescimento alternativos. O estudo teve por objetivo a transposição da noção de Bem Viver ao nível das cidades, aplicando-a como teste à consistência dos indicadores de prosperidade urbana no pós-desenvolvimento. Para tanto, analisamos três sistemas de indicadores de sustentabilidade e prosperidade urbana: o Guia GPS (Gestão Pública Sustentável, da Plataforma Cidades Sustentáveis); O sistema Cómo Vamos para as cidades colombianas; e o IPC (índice de Prosperidade das Cidades), da ONU-HABITAT. Por fim, foram discutidas e sistematizadas as contribuições possíveis deste estudo prospectivo, apontando como resultado as dimensões de dignidade que se traduzem em sinais de boa vida urbana às gestões e à governança municipais.
Abstract: Given the complexity of the global challenges facing societies from the disruption of life support systems, cities as dynamic socio-environmental systems play a leading role in the face of the imperative of adaptation in the direction of a reflexive modernization. At the national level, in the last two decades, there has been a cultural transition guided by the pursuit of shared prosperity, but not related to economic growth. In Latin America, el Buen Vivir, the proposition of greater strength results in an alternative to development, starting from the respect for the rights of Nature and from the vision of groups and subjects historically excluded by the conventional economic process. In this context, the pioneering nations and governments in promoting the so-called ecocentric shift are touting the ways of operationalizing these principles and still further from this debate and their problematizations are the municipalities. Urban development, especially for Brazilian cities, remains practically untouched as a value and aim of urban policy and the meanings of collective prosperity in cities. Thus, under the assumption that cities, if they wished, would not know not to grow and would not have the means to secure prosperity without economic expansion, we sought to explore alternative paths of prosperity and flourishing. The objective of the study was to transpose the notion of Buen Vivir to the level of cities, applying it as a test to the consistency of indicators of urban prosperity in the post-development horizon. In order to do so, we have analyzed three systems of indicators of sustainability and urban prosperity: the GPS Guide (Sustainable Public Management, from Plataforma Cidades Sustentáveis), The Cómo Vamos system for Colombian cities, and the CPI (City Prosperity Index), from UN-HABITAT. Finally, the possible contributions of this prospective study were discussed and systematized, pointing as a result the dimensions of dignity, signs of good urban life for municipal management and governance.
Resumen: Dado la complejidad de los desafios globoles planteados o las sociedades por la degradación de los sistemas naturales de soporte de la vida, las ciudades, como sistemas socioambientales dinâmicos, desempenan un papel destacado frente al imperativo de la adaptación hacia la modernización reflexiva. A escala nacional, en los últimas dos décadas, ha habido un guino o uno transición cultural basada en la búsqueda de la prosperidad compartida, pero no relacionada con el crecimiento econômico. En América Latina, la propuesta más fuerte, el buen vivir, resulta en una alternativa al desarrollo, basada en el respeto por los derechos de la naturaleza y la vision de grupos y sujetos historicamente excluídos dei proceso econômico convencional. En este contexto, las naciones y los gobiernos pioneros en Iq promoción dei llamado giro ecocéntrico todavia están buscando a tientas las formas de operar estos princípios y oún más lejos de este debate y sus problematizaciones están los municípios y sus políticas. El desarrollo urbano, especialmente para las ciudades brasilenas, permanece prácticamente intacto como valor y objetivo de lo político urbana y los significados de la prosperidad colectiva en las ciudades. El objetivo dei estúdio fue trasladar la noción de Buen Vivir al nivel de las ciudades, aplicándola como uno prueba de la consistência de los indicadores de prosperidad urbana en el horizonte dei post-desarrollo. Para ello, analizamos tres sistemas de indicadores de sostenibilidad y prosperidad urbana: la Guia GPS (Gestión Pública Sostenible, Plataforma de Ciudades Sostenibles), el sistema Cómo Vamos para los ciudades colombianas y el IPC (índice de Prosperidad de las Ciudades) ONU-HABITAT. Finalmente, se discutieron y sistematizaron las posibles contribuciones de este estúdio prospectivo, senalando como resultado las dimensiones de la dignidad que se traducen en signos de buena vida urbana paro la gestión y la gobernanza municipales.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós Graduação em Arquitetura e Urbanismo, 2019.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:FAU - Doutorado em Arquitetura e Urbanismo (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/39422/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.