Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/3926
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MARCEL_SANTANA_DISSERTACAo.pdf491,96 kBAdobe PDFView/Open
Title: A cor do espaço : limites e possibilidades na análise da segreação sócio-espacial : o exemplo de Brasília
Authors: Sant'Ana, Marcel Cláudio
Orientador(es):: Gouvêa, Luiz Alberto de Campos
Assunto:: Desenho urbano
Relações raciais
Planejamento urbano - Brasília (DF)
Estrutura social
Segregação social
Estrutura social
Brasília (DF)
Issue Date: 1-Sep-2006
Citation: SANT'ANA, Marcel Cláudio. A cor do espaço: limites e possibilidades na análise da segreação sócio-espacial: o exemplo de Brasília. 2006. 120 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo)-Universidade de Brasília, Brasília, 2006.
Abstract: É possível falar em segregação sócio-espacial estruturada por fatores raciais? Em face desta pergunta, o objetivo da pesquisa é fazer uma reflexão sobre as relações raciais na sociedade brasileira, direcionando o foco de análise sobre a ação da sociedade na configuração das cidades. Para isto adotamos como exemplo de caso a cidade de Brasília, capital Federal do país, representação máxima do modelo de planejamento vigente. Para entender as questões raciais em sua relação com a estrutura social, da qual o espaço urbano faz parte, a pesquisa se desenvolve sobre três focos: o primeiro trata da discussão do elo entre sociedade e espaço, procurando entender o papel das relações raciais no desenvolvimento social e na estruturação das cidades; o segundo trata da análise dos fundamentos teóricos que explicam a posição dos negros e dos brancos em nossa sociedade; e o terceiro analisa a configuração do espaço urbano do Distrito Federal a partir da cor e grau de desenvolvimento social da população residente. Como pano de fundo para estas questões, devemos ter em mente o caráter dicotômico do espaço urbano — por um lado ele atua como reflexo da estrutura social e por outro atua como componente estruturante do corpo social. Enquanto componente da estrutura social, a cidade contribui para a manutenção da distância social entre negros e brancos no Brasil: as cidades, com seus espaços perversamente desiguais, acabam por centralizar as vantagens urbanas nas áreas ocupadas majoritariamente pela população branca, enquanto que para as áreas ocupadas majoritariamente pela população negra resta a irregularidade fundiária, a falta de infra-estrutura e serviços urbanos. Deste modo, Brasília enquanto espaço urbano, fruto de uma estrutura social moldada por questões raciais veladas, confirma em pedra, asfalto e concreto as práticas sociais que fundamentam a estrutura sócio-racial de nosso país. _____________________________________________________________________________ ABSTRACT
Is it possible to consider social-espacial segregation based on racial factors? With this question as a starting point, the aim of this research is to reflect on the racial relations of brazilian society, focusing on the action of society upon the spatial configuration of it´s cities. The case study is Brazilia, Brazil’s capital city, which is also a perfect example of the hegemonic planning practices. To understand the relation between racial issues and social structure, where urban space also belongs, the research focuses on three main points: the reconstruction of the link between society and space, aiming to understand the role played by racial relations on social development and on the structuring of cities; the analysis of the theoretical fundaments explaining white and negro population´s place in our society; and finally, the analysis of the Federal District´s urban space configuration based on color and social development levels of the population. The dichotomy of urban space is a necessary background to these issues – on the one hand it is a reflex of the social structure, on the other it acts as a structuring component of social body. As a structuring component of society, the city helps to maintain social distances between black and white people in Brazil: with it´s perversely unequal spaces and opportunities, the Brazilian city concentrates advantages in areas occupied by mainly by the white population, while leaving to the negro population irregularity, lack of infra-structure and urban services. Thus, Brasilia as an urban space, outcome of a social structure built on nonapparent racial issues, reaffirms, in stone and concrete, the social practices which are the basis of our country’s social and racial structure.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, 2006.
Appears in Collections:FAU - Mestrado em Arquitetura e Urbanismo (Dissertações)
UnB - Brasília 50 anos

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/3926/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.