Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/37240
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_LíviaDiasMoreiraDuarte.pdf2,31 MBAdobe PDFView/Open
Title: A construçaõ da comunicação pública na percepção de jornalistas da EBC : potencialidades e limites
Authors: Duarte, Lívia Dias Moreira
Orientador(es):: Del Bianco, Nélia Rodrigues
Assunto:: Comunicação pública
Radiodifusão
Jornalistas - formação
Empresa Brasil de Comunicação (EBC)
Issue Date: 30-Mar-2020
Citation: DUARTE, Lívia Dias Moreira. A construção da comunicação pública na percepção de jornalistas da EBC: potencialidades e limites. 2019. 279 f., il. Dissertação (Mestrado em Comunicação)—Universidade de Brasília, Brasília, 2019.
Abstract: Esta pesquisa trata da percepção de um grupo de jornalistas da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) sobre potencialidades e limites de seu trabalho, tendo em vista os princípios e objetivos da EBC previstos em Lei (BRASIL, 2008) e as melhores práticas de radiodifusão reconhecidas internacionalmente (UNESCO, 2001). Compreendemos que a percepção (MERLEAU-PONTY, 1999) se dá a partir da relação de cada sujeito com outros e com o mundo. Nesse caso, são fatores influentes o difícil processo de montagem e o atual desmonte da EBC, bem como sua origem em instituições de comunicação estatal e educativa. Delas a EBC recebeu parte de seus trabalhadores, forjados nas respectivas culturas institucionais. A percepção sobre a empresa é marcada também pela realidade da radiodifusão no país, historicamente concentrada e com foco comercial, com pouca tradição pública. Por fim, ao pertencerem ao campo jornalístico (BOURDIEU, 1997, 2010), espaço estruturado, com diversas forças e relações que envolvem lutas para transformar esse espaço, os jornalistas criam um habitus (BOURDIEU, 1997, 2010) profissional que lhes faz ver, avaliar e construir a realidade (BERGER e LUCKMANN, 2011) com o olhar próprio da tribo jornalística (TRAQUINA, 2018a). A construção do habitus passa pela formação acadêmica e vivência em redações. São experiências relacionadas ao modo como as notícias são produzidas (TRAQUINA, 2018; WOLF, 2008), e que impõem práticas e formatos que não necessariamente dialogam com as finalidades da comunicação pública. Considerado esse cenário, questionamos se houve condições dos jornalistas da EBC modificarem seu habitus, ou seja, um princípio gerador e regulador das práticas cotidianas, para a realização dos princípios e objetivos da empresa, e se esta estabeleceu cultura institucional própria sobre os ecos de suas antecessoras. Realizamos investigação qualitativa (FLICK, 2009) baseada em entrevistas semiestruturadas com 16 trabalhadores. Nossa reflexão se baseia na discussão teórica aqui exposta e em técnicas da análise temática de conteúdo (BARDIN, 1977). As conclusões revelam que o grupo de jornalistas, de modo geral, dialoga com o debate sobre a comunicação pública, intenciona colaborar, por meio do seu trabalho, para a construção da cidadania e valoriza positivamente as estruturas de controle social. No entanto, os entrevistados indicam haver pouca homogeneidade no conjunto do corpo funcional, revelando rotinas inadequadas para produzir comunicação diferenciada conforme princípios da radiodifusão pública. Vivendo o desmonte, revelam a perda da relativa autonomia editorial frente aos governos e a incompletude da construção de um habitus estruturado a partir da missão da EBC. Deste modo, a pesquisa avalia que a boa gestão de pessoal, e, neste caso especificamente de jornalistas, por realizaram a atividade-fim da empresa, é central para a execução desta política de comunicação pública.
Abstract: This research investigates the perception of a group of journalists from Empresa Brasil de Comunicação (EBC) about potentialities and limits of their work, in view of the principles and objectives of the EBC, as established by law (BRASIL, 2008) and as the best practices on public broadcasting internationally recognized (UNESCO, 2001). This research understands that perception (MERLEAU-PONTY, 1999) is based on the relation of each subject to others and to the world. In this case, the difficult process of its establishment and the current dismantling process of EBC, as well as its origin from state and educational communication organizations are factors that influence this analysis. From these previous institutions, EBC received part of its workers, forged in their respective institutional cultures. The perception about the company is also marked by the reality of the media system in the country, historically concentrated and commercially focused, lacking public tradition. Finally, as they belong to the journalistic field (BOURDIEU, 1997, 2010), a structured space with diverse forces acting and where struggles take place, the journalists construct a professional habitus (BOURDIEU, 1997, 2010) with which they evaluate and construct reality (BERGER and LUCKMANN, 2011) from this “tribe's” own perspective (TRAQUINA, 2018a). The construction of the habitus is associated to the academic background and professional experience, which relate to the way news is produced (TRAQUINA, 2018; WOLF, 2008), and impose practices and formats that do not necessarily dialogue with the purposes of public communication. Considering this scenario, we questioned if there were conditions that permitted EBC journalists change their habitus, that is, a generative and regulating principle of daily practices, for the realization of the company's principles and objectives, and if it was or not established its own institutional culture over the echoes of its predecessors. We performed qualitative research (FLICK, 2009) based on semi-structured interviews with 16 workers. Our reflection is based on the theoretical discussion presented here and on the techniques of content analysis (BARDIN, 1977). The conclusions reveal that the journalists interviewed for this research are in general interested in the debate about public communication, intend to collaborate with their work for the construction of citizenship and value positively the structures of social control. However, they show that there is little homogeneity in the functional body, indicating inadequate routines to produce differentiated communication according to the principles of public broadcasting. Living the dismantle of the company, they reveal the loss of relative editorial autonomy vis-à-vis governments and the incompleteness of building a structured habitus from the EBC mission. In this way, we seek to demonstrate that the good management of human resources, and in this case specifically journalists, since they are central to the activity of the company, is fundamental to the execution of this public communication policy.
Description: Dissertação (Mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade Comunicação, Programa de Pós-Graduação em Comunicação, 2019.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:FAC - Mestrado em Comunicação (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/37240/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.