Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/36124
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_BrunaCristinaJaquettoPereira.pdf2,83 MBAdobe PDFView/Open
Title: Dengos e zangas das mulheres-moringa : vivências afetivo-sexuais de mulheres negras
Authors: Pereira, Bruna Cristina Jaquetto
Orientador(es):: Almeida, Tânia Mara Campos de
Assunto:: Mulheres negras
Afetividade
Sexualidade feminina
Raça - gênero
Issue Date: 16-Jan-2020
Citation: PEREIRA, Bruna Cristina Jaquetto. Dengos e zangas das mulheres-moringa: vivências afetivo-sexuais de mulheres negras. 2019. 306 f. Tese (Doutorado em Sociologia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2019.
Abstract: O presente trabalho dedica-se a investigar como gênero e raça configuram as vivências afetivo-sexuais de mulheres negras na sociedade brasileira contemporânea. Adota-se, para tanto, uma abordagem multidimensional, que leva em conta a inter-relação entre subjetividade, imaginário social e dinâmicas interpessoais. Parte-se de uma perspectiva interseccional ampliada, que considera a estética, a sexualidade e a moralidade sexual como elementos de articulação entre gênero e raça. A partir dessa proposta, são abordadas: as experiências de mulheres negras decorridas na infância e na adolescência; situações de flerte e abordagem, bem como relacionamentos; as interações de terceiros – familiares, amigos/as e desconhecidos/as – com casais compostos por mulheres negras e seus pares; e as vivências subjetivas das mulheres negras. Os resultados indicam: a importância da socialização no ambiente familiar e das primeiras dinâmicas afetivo-sexuais nos espaços da escola e da rua para a compreensão e incorporação de significados relacionados a raça e gênero; a tenacidade da associação entre feminilidade negra e sexo; a desvalorização social das mulheres negras enquanto parceiras afetivas em relações oficiais, que se reflete no caráter genderizado e racializado da moralidade sexual; que discursos/regimes de poder sobre gênero e raça, ao pautar as interações e relações afetivo-sexuais de mulheres negras, inscrevem-se em sua subjetividade, configurando percepções de si e dos/as outros/as, além de aspirações, desejos e preferências. Constata-se que a supremacia branca opera na sociedade brasileira, no âmbito aqui considerado, como uma força centrípeta que direciona um fluxo afetivo em direção às pessoas brancas, e que é contraposta, por um lado, pelo apelo sexual atribuído às mulheres negras e, por outro, pelo discurso antirracista.
Abstract: This work aims to investigate how gender and race shape black women's intimate experiences, regarding romantic relationships and sex, in contemporary Brazilian society. A multidimensional approach is therefore adopted, taking into account the inter-relation between subjectivity, social imagery and interpersonal dynamics. It adopts a broad intersectional perspective attentive to how aesthetics, sexuality and sexual morality work as points of articulation between gender and race. From that perspective, the following aspects are analyzed: early experiences in childhood and youth; romantic flirtation and conquest – in face-to-face interactions, on social networks and date apps –, as well as relationships; interactions between family members, friends and strangers with couples composed by black women and their partners; and black women's subjective experiences. The results indicate: the importance of both the socialization at home and the first affective-sexual dynamics in school and other public spaces for the understanding and incorporation of meanings related to race and gender; the tenacity of the association between black femininity and sex; the social devaluation of black women as affective partners in official relations, reflected in the gendered and racialized character of sexual morality; that discourses/regimes of power based on gender and race, in guiding black women’s romantic and sexual interactions, get inscribed in their subjectivity, shaping perceptions of oneself and others, as well as aspirations, desires, and preferences. In sum, it shows that, in the scope here considered, white supremacy operates in Brazilian society as a centripetal force that directs an affective flow toward white people, and is counterposed, on the one hand, by the sexual appeal attributed to black women and, on the other, by anti-racist discourse.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Departamento de Sociologia, Programa de Pós-Graduação em Sociologia, 2019.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).
Appears in Collections:SOL - Doutorado em Sociologia (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/36124/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.