Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/3508
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Terezinha Goreti Rodrigues dos Santos.pdf1,21 MBAdobe PDFView/Open
Title: Uma aprendizagem, ou, o livro dos prazeres como bildungsroman
Authors: Santos, Terezinha Goreti Rodrigues dos
Orientador(es):: Schwantes, Cíntia Carla Moreira
Assunto:: Lispector, Clarice, 1925-1977
Literatura brasileira contemporânea
Estudos de gênero
Literatura brasileira - crítica, interpretação, etc
Issue Date: 3-Feb-2010
Citation: SANTOS, Terezinha Goreti Rodrigues dos. Uma aprendizagem, ou, o livro dos prazeres como bildungsroman. 2006. 125 f. Dissertação (Mestrado em Literatura Brasileira)—Universidade de Brasília, Brasília, 2006.
Abstract: O objetivo da presente pesquisa é responder à pergunta se Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres - UALP, romance de Clarice Lispector, pode ser analisado como um romance de formação feminino. A narrativa começa com uma vírgula, letra minúscula e a descrição do pensamento da protagonista, num momento de ansiedade. Não existe um enredo linear. Nos moldes da moderna literatura do século XX, exige-se do leitor uma participação ativa para as referências intertextuais, para a ambigüidade de uma leitura superficial e outra em palimpsesto e, principalmente, para as características de Bildungsromane femininos, como a forma epifânica do processo de iniciação feminino, a presença de um mentor masculino que não é o primeiro amante da protagonista, a ausência da mãe, a relação conflituosa com o pai e o rompimento com os padrões da sociedade patriarcal. Vale lembrar que essa é uma obra polêmica, apreciada por parte da crítica e julgada menor por alguns autores. Diane Marting e Rita Schmidt, entre outros, a consideram um Bildungsroman feminino. ________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The aim of this research is to establish if Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres – UALP is a female Bildungsroman, or not. The narrative begins with a comma, a small letter and the description of the protagonist’s thoughts in a moment of anxiety. There is no linear plot. As usual in the modern literature of the XXth C., the reader is invited to actively participate, finding intertextual references, in the ambiguity of a superficial reading and another, in palympsest, and mainly to the characteristics of the female Bildungsroman, as, for instance, the epiphanic way of the female initiation process, the presence of a male mentor, who is not the protagonist’s first lover, the absence of the mother, the conflictous relationship with the father and the breaking with the patterns of patriarchal society. It’s worthy to remember that this is a polemic book, approved by some critics and considered failed by others. Diane Marting and Rita Schmidt, among others, consider UALP a female Bildungsroman.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Teoria Literária e Literaturas, 2006.
Appears in Collections:TEL - Mestrado em Literatura (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/3508/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.