Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/24395
Título: Análise dos facilitadores e das barreiras para a prática de natação pela pessoa com deficiência física
Título(s) alternativo(s): Analisys of facilitators and barriers for the practice of swimming by disabled people
Autor(es): Araújo, Alessandra Cristina Silva de
Orientador(es): Guimarães, Sílvia Maria Ferreira
Assunto: Pessoa com necessidade especial
Atividade física
Esportes
Deficientes físicos - reabilitação
Natação
Data de publicação: 5-Set-2017
Data de defesa: 25-Mai-2017
Citação: ARAÚJO, Alessandra Cristina Silva de. Análise dos facilitadores e das barreiras para a prática de natação pela pessoa com deficiência física. 2017. xvii , 137 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências e Tecnologias em Saúde)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: Introdução: Pessoas com deficiência são altamente suscetíveis a condições secundárias, e a atividade física e o exercício são um meio extremamente importante para a sua gestão e prevenção. A natação é um esporte particularmente versátil para essa população, por poder ser praticado desde a fase de tratamento de uma lesão aguda, até a promoção da saúde e do desporto de alto rendimento. No entanto, o grau de participação desses indivíduos nessa atividade é afetado por um conjunto multifatorial que inclui aspectos pessoais e ambientais. Objetivos: Analisar os facilitadores e as barreiras para a prática de natação pela pessoa com deficiência física, a fim de contribuir com a produção acadêmica nacional e favorecer o aumento do acesso dessa população a um esporte que propicia benefícios exclusivos. Metodologia: O campo deste estudo foi um centro público de exercícios e esporte recreacional, o Centro Olímpico e Paralímpico (COP) do Setor O, localizado na Região Administrativa da Ceilândia/DF. Três etapas foram cumpridas para a investigação proposta. Na primeira etapa a autopercepção de saúde e o perfil da população com deficiência física maior de 18 anos, que praticava exercícios físicos regulares no COP do Setor O, foi investigada por meio da aplicação de um questionário. Em seguida foi realizada uma revisão de literatura referente aos fatores facilitadores e às barreiras para a prática de natação pela pessoa com deficiência física. Por fim, foi pesquisada a perspectiva de indivíduos com deficiência física que praticavam natação no COP do Setor O, em relação aos fatores facilitadores e as barreiras para esta prática, por meio de procedimentos de investigação da etnografia. Resultados: A população com deficiência física que participa de exercícios físicos no Centro Olímpico e Paralímpico do Setor O é heterogênea, mas a maioria informou autopercepção de saúde muito boa, boa ou razoável, e mais da metade participava de aulas de natação. Os principais fatores interferentes para essa prática foram: o tipo e a severidade da deficiência, a dor, o peso corporal, o condicionamento cardiorrespiratório, a personalidade, o estado de humor, a experiência prévia com esportes, o apoio familiar, a integração social, a informação, a gestão e a atitude profissional, além das particularidades do ambiente aquático, da acessibilidade arquitetônica e urbanística, das instalações aquáticas e do transporte. Conclusões: Diferenciar os facilitadores das barreiras para a prática de natação é didático, mas frequentemente impossível, já que o mesmo aspecto pode representar um facilitador e/ou uma barreira, a depender do contexto no qual ele está inserido e da ótica sob a qual é analisado. Para um aumento das taxas de participação, sugere-se que os atores sociais envolvidos valorizem o ambiente aquático para a pessoa com deficiência de motricidade, propiciem a divulgação dos benefícios da prática de natação e analisem o contexto pessoal do indivíduo a partir de uma perspectiva híbrida entre os modelos de teorização da deficiência, propiciando que as estratégias de manejo das barreiras sejam elaboradas em conjunto, entre profissionais, indivíduo com deficiência e sua família.
Abstract: Introduction: Persons with disabilities are highly susceptible to secondary conditions being physical activity and exercise extremely important means to manage and prevent them. Swimming is a particularly versatile sport for this population, since it can be practiced from the stage of treatment of an acute injury up to the promotion of health and high-performance sport. However, the degree of participation of such individuals in this activity is affected by many factors that include personal and environmental aspects. Objectives: To analyze the facilitators and barriers to the practice of swimming by the disable person, aiming at contributing with the national academic production and helping increase the access of this population to a sport that brings unique benefits. Methodology: This study was developed at a public fitness and recreational sports centers, called Centro Olímpico and Paralímpico (COP) of Setor O (Setor O Olympic and Paralympic Center) located in the Administrative Region of Ceilândia, DF (Brazil). Three steps were followed in this investigation. In the first one, the heath self-perception and the profile of the disabled population aged 18 or over, with a regular practice of physical exercise at COP Setor O, was investigated by means of a questionnaire. Then a literature review was made to study the facilitators and barriers of the swimming practice by the disabled person. Lastly, the perspective of disabled persons that practiced swimming at COP Setor O was assessed to consider the facilitators and barriers for the swimming practice, by means of an ethnographic investigation procedure. Results: The persons with disabilities that take part in physical exercises at Centro Olímpico and Paralímpico of Setor O is heterogeneous, even though, the majority of them informed a very good, good or reasonable health self-perception, and half of them took part in swimming classes. The main factors that interfere in this practice were the type and seriousness of the disability, pain, body weight, cardiopulmonary fitness, personality, mood, previous experience with sports, family support, social integration, access to information, management and professional conduct, as well as aquatic environment specificities and architectural and urban, water facilities and transport accessibility. Conclusions: It is instructive to make a difference between facilitators and barriers for the swimming practice, but sometimes it is impossible, since the same aspect may represent a facilitator and/or a barrier, depending on the context in which it is included and the point of view under which it is analyzed. In order to increase the participation rates, it is suggested that the social actors involved value the aquatic environment for the person with motor impairment, divulge the benefits of swimming and analyze the personal context of the individual as from a hybrid perspective placed between the models of deficiency theorization. Thus, they will enable that the management of barriers strategies be addressed jointly by the professional, the individual with disability and his/her family.
Descrição: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Programa de Pós-graduação em Ciências e Tecnologias em Saúde, 2017.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Coorientador(es): Azevêdo, Paulo Henrique
Aparece nas coleções:PGCTS - Mestrado em Ciências e Tecnologias em Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_AlessandraCristinaSilvadeAraújo.pdf5,3 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.