Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/24304
Título: A influência dos estereótipos de gênero no processamento de informações sobre candidatos homens e mulheres
Autor(es): Vervuurt, Karin Kuhnen
Orientador(es): Turgeon, Mathieu
Assunto: Representações de gênero
Eleições
Estereótipos (Psicologia social)
Psicologia política
Representação feminina - política
Data de publicação: 25-Ago-2017
Data de defesa: 7-Jun-2017
Citação: VERVUURT, Karin Kuhnen. A influência dos estereótipos de gênero no processamento de informações sobre candidatos homens e mulheres. 2017. 42 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciência Política)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: Eleições recentes têm visto uma onda de candidatas mulheres concorrendo a cargos políticos locais, estaduais e nacionais. No entanto, a sub-representação política das mulheres persiste no mundo todo. Os estudos que tentam compreender os motivos da dificuldade da entrada das mulheres na política são numerosos, porém seus achados costumam ser contraditórios e ainda não conseguiram fornecer explicações suficientes sobre a desigualdade nos níveis de representação política entre homens e mulheres. Uma das explicações possíveis para essa dificuldade seria a existência de estereótipos de gênero pelos quais os indivíduos julgam as candidatas mulheres. Entre os achados mais persistentes está a ideia de que os eleitores esperam que mulheres e homens candidatos possuam competências políticas diferentes. Espera-se que mulheres sejam melhores em políticas que lidam com a compaixão e com o cuidado de outras pessoas, como educação, saúde e redução da pobreza e que homens sejam melhores em políticas que necessitam de força e assertividade, como crime, violência e política externa. O presente trabalho faz o teste dessas hipóteses no contexto eleitoral brasileiro. Os resultados mostram que a relação entre os estereótipos de gênero e as candidatas mulheres é bastante complexa e que não segue o caminho proposto por parte da literatura. Apesar das mulheres candidatas serem, a primeira vista, percebidas como melhores em questões políticas que envolvem compaixão, esse fato não parece influenciar as decisões eleitorais. O mesmo ocorre com os candidatos homens. É possível que os estereótipos utilizados na compreensão das mulheres "comuns" não sejam os mesmos para as mulheres da vida pública e cargos de liderança.
Abstract: Recent elections have seen a surge of female candidates running for office at the local, state, and national level. However, women’s political underrepresentation persists all over the world. Studies that try to understand the reasons for the difficulty of women entering politics are numerous, but their findings are often contradictory and have not yet been able to provide sufficient explanations for the inequality in the levels of political representation between men and women. One of the possible explanations for this difficulty would be the existence of gender stereotypes by which individuals judge women candidates. Among the more persistent findings is the idea that voters expect women and men candidates to have different political competencies. Women are expected to be better at policies that deal with compassion and caring for others, such as education, health, and poverty, and for men to be better at policies that require strength and assertiveness, such as crime, violence, and foreign policy.This paper tests these hypotheses in the Brazilian electoral context. The results show that the relationship between gender stereotypes and female candidates is quite complex and does not follow the path proposed by the literature. Although women candidates are, at first glance, perceived as better at political issues involving compassion, this fact does not seem to influence electoral decisions. The same goes for male candidates. It is possible that the stereotypes used in understanding "ordinary" women are not the same for women in politics and leadership positions.
Descrição: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciência Política, 2017.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:IPOL - Mestrado em Ciência Política (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_KarinKuhnenVervuurt.pdf914,69 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.