Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/2151
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2006_Luana Pimenta de Andrada.pdf705,41 kBAdobe PDFView/Open
Title: O professor na psicologia histórico-cultural : da mediação à relação pedagógica
Authors: Andrada, Luana Pimenta de
Orientador(es):: Tacca, Maria Carmen Villela Rosa
Assunto:: Vigotsky, Lev Semenovich, 1896-1934
Psicologia educacional
Professores
Aprendizagem
Issue Date: Jun-2006
Citation: ANDRADA, Luana Pimenta de. O professor na psicologia histórico-cultural: da mediação à relação pedagógica. 2006. 160 f. Dissertação (Mestrado em Educação)-Universidade de Brasília, Brasília, 2006.
Abstract: O presente trabalho desenvolveu um estudo sobre o papel do professor na teoria histórico-cultural de Vigotski. Buscou investigar se a especificidade da ação docente nessa perspectiva poderia ser identificada com a idéia de mediação pedagógica e de outro modo, introduzir novas perspectivas de análise tendo em consideração a base filosófica marxista do autor. A visão de homem como ser cultural, ontológico, singular que tem como pressuposto de seu desenvolvimento as relações sociais expressa uma visão que rompe com a perspectiva de uma Pedagogia de base individualista e impõe novas exigências aos processos educacionais e, por conseguinte, ao professor. As análises desenvolvidas apontaram para a insuficiência da visão presente na literatura, segundo a qual o papel docente na perspectiva vigotskiana se expressa na imagem do professor mediador. A apresentação do professor como ponte entre o aluno e o conhecimento se relaciona à desconsideração da via relacional como a que funda possibilidades de desenvolvimento humano, privilegia os produtos da cultura, em lugar dos processos de sua apreensão; nega a dimensão ética do conhecimento e ainda mais, trata o professor como mera ferramenta do ensino. Ao considerar que a primazia do desenvolvimento humano está nas vivências enraizadas na cultura e não em seguir os processos naturais, destaca-se o reconhecimento dos processos de aprendizagem, enquanto apreensão da cultura, em sua possibilidade de impulsionar os processos de desenvolvimento humano, posicionando-o em uma perspectiva revolucionária. A consideração deste aspecto, e ainda, a percepção da educação como trabalho humano em uma matriz marxista, das relações dialógicas nos processos de ensino e aprendizagem, da coletividade como fonte de aprendizagem e desenvolvimento apontam elementos como a vida como ato de criação, zona de desenvolvimento proximal, processos de significação, a importância do outro no desenvolvimento humano, os quais articulados entre si apresentam como exigências do papel docente uma ação criativa, prospectiva pautada na ação conjunta, no diálogo e no imperativo de conhecer o aluno em suas necessidades, motivos e sentidos de seu pensamento a fim de criar possibilidades de desenvolvimento. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The present project developed a study about the professor’s role in the historicalcultural theory of Vigotski. It also investigated if the teaching action in this perspective could be identified with the idea of pedagogical mediation and, in another way, to introduce new perspectives of analysis taking into consideration the author’s Marxist philosophical basis. The idea of man as a cultural being, ontological and singular for whom the most relevant point to the development of social relations, expresses a vision that breaks up with the perspective of an individualistic Pedagogy basis and imposes new requirements to the educational processes and, therefore, to the professor. The developed analyses concerning to this subject showed the insufficiency of the presented vision in literature, according to which the Professor’s role in the Vigotskian vision expresses this perspective in the image of the mediating professor. The presentation of the professor as a bridge between the students and the knowledge is related to the disrespect of the relationary way as the one that establishes possibilities of human development, privileges the culture products, instead of the processes of its apprehension; it denies the ethical dimension of the knowledge and, even more, it deals with the professor as a mere educational tool. When considering that the priority of the human development is in the profuse experiences with the culture and not in following the natural processes, the recognition of the learning processes is distinguished, as apprehension of the culture, in its possibility to stimulate the processes of human development, taking a revolutionary perspective. The consideration of this aspect and the perception of education as a human work in a Marxist matrix, of the dialogical relations in the processes, of education and learning, of the collectivity as source, of learning and development, all this points elements as life as a creation act, zone of proximal development, processes of meaning, the importance of the other in the human development, which articulated between each other presents as requirements of the teaching role a creative action in the joint action, the dialogue and the imperative of knowing the students in their necessities, reasons and directions of their thought in order to create development possibilities.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, 2006.
Appears in Collections:FE - Mestrado em Educação (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/2151/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.