Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/16799
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2014_LuizAntonioBarbosaGuerraMarques.pdf1,11 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Democracia, justiça, liberdade : lições da Escuelita Zapatista
Autor(es): Marques, Luiz Antonio Barbosa Guerra
Orientador(es): Rosa, Marcelo Carvalho
Assunto: Movimentos de libertação nacional - México
Democracia
Justiça
Liberdade
Modernidade
Data de publicação: 10-Nov-2014
Referência: MARQUES, Luiz Antonio Barbosa Guerra. Democracia, justiça, liberdade: lições da Escuelita Zapatista. 2014. 126 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2014.
Resumo: Esta dissertação é resultado da vivência junto ao movimento zapatista no México e participação do evento chamado “Escuelita Zapatista” em agosto de 2013. Analisa-se aqui de que forma categorias cristalizadas no desenvolvimento político da modernidade são mobilizadas pelos zapatistas na argumentação do seu projeto político, instituições autônomas e práticas cotidianas das comunidades rebeldes, em especial a partir da criação dos “Caracóis” e “Juntas de Bom Governo” em 2003. O objetivo geral do trabalho é explorar a ressignificação promovida pelos zapatistas dos três princípios que estruturam sua noção de autonomia: democracia, justiça e liberdade, com a intenção de promover um diálogo da experiência zapatista com o pensamento “decolonial”, visando enriquecer as discussões em torno do tema da modernidade na América Latina. A dissertação está estruturada da seguinte maneira: no primeiro capítulo é apresentado o movimento zapatista, a trajetória do conflito e o contexto no qual desenrola sua luta; o segundo capítulo se dedica às noções de democracia, justiça e liberdade, segundo os zapatistas; o terceiro é essencialmente teórico, apresentando algumas abordagens críticas sobre modernidade; e no quarto capítulo, são retomadas as reflexões sobre a ressignificação dos três princípios no fazer político das comunidades rebeldes, delineando “lições” que possam ser tiradas em relação aos argumentos teóricos apresentados anteriormente. Concluo afirmando que as comunidades zapatistas nos trazem vários elementos para pensarmos a modernidade através de novas perspectivas e alternativas às narrativas das ciências sociais. A pesquisa foi realizada através de análise documental de comunicados dos porta-vozes e testemunhos dos membros das comunidades rebeldes, buscando articular ambos os níveis de produção simbólica e de práticas políticas, com o “pensamento decolonial” e outras teorias críticas sobre a modernidade no México. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT
This dissertation is the outcome of an experience within the Zapatista movement in Mexico and participation in an event called “Escuelita Zapatista” in August 2013. Analyzed here is how rooted categories on the political development of modernity are mobilized by the Zapatistas in arguing their political project , autonomous institutions and everyday practices of rebel communities, in particular as from the creation of “Caracoles” (Snails) and “Juntas de Buen Gobierno” (Good Governance Joints) in 2003. The overall objective is to explore the redefinition promoted by the Zapatistas of the three principles that structure their notion of autonomy: democracy, justice and freedom, intending to promote a dialogue of the Zapatista experience on thinking "decolonial", in order to enrich the discussions around the theme of modernity in Latin America. The dissertation is structured as follows: in the first chapter is presented the Zapatista movement, the trajectory of the conflict and the context in which their struggle unfolds; the second chapter is dedicated to the concepts of democracy, justice and freedom, according to the Zapatistas; the third is essentially theoretical, presenting some critical approaches to modernity; and in the fourth chapter, are resumption the reflections on the redefinition of the three principles in the policy making of the rebel communities, outlining “lessons” that can be drawn in relation to the theoretical arguments presented earlier. I conclude by stating that the Zapatista communities bring in various elements to think modernity through new perspectives and alternatives to the social sciences narratives. The survey was conducted through document analysis of spokespersons announcements and testimonials from members of the rebel communities, seeking to articulate both levels of symbolic production and political practices, with the “decolonial thinking” and other critical theories of modernity in Mexico.
Informações adicionais: Dissertação (Mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais Departamento de Sociologia, Mestrado em Sociologia, 2014.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:SOL - Mestrado em Sociologia (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.