Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/9678
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2011_RenataBernardon.pdf2,03 MBAdobe PDFView/Open
Title: Horta escolar no Distrito Federal : instrumento de promoção da alimentação saudável?
Authors: Bernardon, Renata
Orientador(es):: Schmitz, Bethsáida de Abreu Soares
Assunto:: Promoção da saúde
Horticultura
Nutrição
Issue Date: 6-Dec-2011
Citation: BERNARDON, Renata. Horta escolar no Distrito Federal: instrumento de promoção da alimentação saudável?. 2011. 87 f., il. Dissertação(Mestrado em Nutrição Humana)—Universidade de Brasília, Brasília, 2011.
Abstract: O objetivo deste trabalho foi identificar experiências com hortas em escolas públicas do Distrito Federal, Brasil, analisando fatores determinantes no seu uso voltado à promoção da alimentação saudável. Trata-se de estudo transversal descritivo e analítico, com coleta de dados em duas fases: (i) realizada por telefone com todas as escolas públicas das 25 regiões administrativas do Distrito Federal (n=582); (ii) realizada por entrevista presencial com amostra das escolas que possuíam horta (n=105). Analisaram-se variáveis relacionadas à presença ou ausência de hortas como localização da escola (rural, urbana); nível de ensino (creche, pré-escola, fundamental, médio); número de alunos, professores, funcionários e turmas; e requisitos para existência de horta. Da população inicial de escolas, 453 (77,8%) participaram da fase I e dessas, 171 (37,7%) possuíam horta. Escolas rurais apresentaram maior prevalência de presença de horta que urbanas (p=0,003). Das escolas sem horta, 75,2% (n=212) tinham interesse na sua implantação. Foi observado que quanto maior a quantidade de alunos, menor a chance da horta existir. O principal motivo para a desativação da horta foi a falta de mão-de-obra para sua manutenção. Quanto às escolas com horta, a intenção de complementar a alimentação escolar foi o principal motivo de sua implantação (56,2%). A maioria, 86,3% (n=88), disse utilizar os alimentos cultivados para este fim, sendo que plantas condimentares e hortaliças foram as mais citadas. Foi relatado que a horta é utilizada como espaço educativo para promoção da alimentação saudável por 60,8% (n=62) das escolas. Identificou-se que os professores foram os principais responsáveis pela implementação e manutenção da horta. Concluindo, foi identificado no Distrito Federal um percentual de escolas com horta superior ao encontrado no cenário brasileiro. Alguns fatores relacionados à localização, porte e nível de ensino da escola associaram-se à presença da horta escolar. Verificou-se inicialmente, um percentual expressivo de escolas que relataram utilizar a horta como espaço de promoção da alimentação saudável. Faz-se necessário um aprofundamento deste resultado por meio de avaliação do uso e impacto da horta como instrumento de promoção da alimentação saudável na comunidade escolar. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT
The objective of this study was to identify experiences with gardens in public schools in the Federal District, Brazil, analyzing factors involved in its use aimed at promoting healthy eating. It is a descriptive and analytic cross-sectional study, with data collection in two phases: (i) conducted by telephone with all the public schools of the 25 administrative regions of Federal District (n=582), (ii) by personal interview conducted with a sample of schools which had garden (n=105). The variables analyzed were related to the presence or absence of gardens in relation to school location (rural, urban), education level, number of students, faculty, staff and classes, and requirements for the existence of the garden. The initial population of schools, 453 (77,8%) participated in phase I and 171 (37,7%) of these had a garden. Rural schools had higher prevalence of gardens than the urban (p = 0.003). Among the schools that had no garden, 75,2% (n=212) had interest in its implementation. It was observed that as the greater the number of students, the less chance there is of the garden. The main reason for the deactivation of the garden was the lack of manpower for its maintenance. The intention of supplementing school feeding was the main reason for deployment of the garden (56,2%). Most of them, 86,3% (n=88), reported the use of grown food for this purpose. Culinary plants and vegetables were the most mentioned. It was reported that the garden is used as educational space to promote healthful eating habits by 60,8% (n=62) of the schools. The teachers were primarily responsible for implementing and maintaining the garden. In conclusion, it was identified in the Federal District a higher percentage of schools with gardens than in the Brazilian context. Some factors related to location, size and level of education in school were associated with the presence of the school garden. There were a significant percentage of schools that reported using the garden as a space to promote healthy eating. It is necessary a refinement of this result by evaluating the use and the impact of the garden as a tool to promote healthy eating in the school community.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação em Nutrição Humana, 2011.
Appears in Collections:NUT - Mestrado em Nutrição Humana (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/9678/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.