Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/9555
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2011_FabricioFernandesAlmeida.pdf1,89 MBAdobe PDFView/Open
Title: Análise de variáveis psicossociais relacionadas à experiência dolorosa entre pacientes cirúrgicos
Authors: Almeida, Fabrício Fernandes
Orientador(es):: Costa Júnior, Áderson Luiz
Assunto:: Dor
Psicologia clínica da saúde
Algiologia
Issue Date: 31-Oct-2011
Citation: ALMEIDA, Fabrício Fernandes. Análise de variáveis psicossociais relacionadas à experiência dolorosa entre pacientes cirúrgicos. 2011. 112 f., il. Dissertação (Mestrado em Processos de desenvolvimento humano em saúde)-Universidade de Brasília, Brasília, 2011.
Abstract: A International Association for the Study of Pain define a dor como tuna experiência sensorial e emocional desagradável, associada a um dano tissular real ou potencial ou descrita em termos de tal dano. Nos termos desses conceitos, não apenas componentes físicos e químicos envolvidos na experiência dolorosa devem ser considerados, mas. também, aspectos subjetivos e psicossociais são cruciais à sua compreensão, Por variáveis psicossociais. são compreendidas as variáveis de cunho psicológico e social e caracterizadas pela abordagem das crenças e motivações que levam os indivíduos a desenvolverem certas atitudes que podem gerar, ou não. determinados comportamentos, Este estudo teve por objetivo sistematizar o conhecimento científico a respeito do fenômeno doloroso através da análise do comportamento relacionai existente entre a experiência dolorosa e as variáveis psicossociais mais comumente descritas na literatura dos anos de 2007. 2008 e 2009. em 50 pacientes internados, em contexto de cuidados pós-operatórios na Unidade de Clínicas Cirúrgicas do Hospital Universitário de Brasília. Os 14 artigos encontrados na revisão de literatura explicitaram três variáveis psicossociais. a saber: (a) Auto-eiicácia: (b) Enfrenta mento: e (c) Histórico Psicopatológico. Realizou-se. então tuna pesquisa quali-quantitativa correlacionai com um delineamento observacional direto de caráter seccional transversal, e para sua consecução foram utilizados como instrumentos de avaliação da dor e das variáveis psicossociais o instrumento de caracterização sociodemográfica dos participantes, o Short-form McGill Pain Questionnaii'e (SF-MPQ), Pain Self-Efficacy Questionnaire (PSEQ). Escala Modos de Enfrentamento de Problemas (EMEP) e Hospital Anxiety and Depression Scale (HAD). Os resultados foram obtidos através de análise descritiva por meio de métodos tabulares de sumarização de dados e técnica de analise de clusters e sugerem que variações na experiência dolorosa de pacientes cirúrgicos podem ser explicadas por diferenças nas variáveis sociodemográficas sexo/gênero, vinculação religiosa, escolaridade, renda e especialidade cirúrgica e nas variáveis psicossociais auto-eficácia. enfrentamento e histórico psicopatológico. Observou-se que associação positiva entre dor e garantia de renda e associações negativas entre a dor e as variáveis escolaridade e a prescrição medicamentosa, esta última não surtindo impacto na dimensão afetiva da dor. A variável vinculação religiosa associou-se. também, através de conelacão estatisticamente significativa entre a dimensão sensorial da dor e o enfrentamento focalizado na busca por práticas religiosas (r = 0.46 e p-value < 0.05). Além disso, a experiência dolorosa relacionou-se á especialidade cirúrgica e homens e mulheres apresentaram diferenças tanto na experiência dolorosa global, quanto em suas dimensões distintas, Foram formados três clusters de desempenho psicossocial que apresentaram associação á experiência dolorosa. destacando-se o cluster de desempenho relativo mediano, que sugeriu a influência protetiva da variável suporte social. A partir das evidências encontradas, fazem-se algumas sugestões: (a) necessidade de sistematizaçào e melhor compreensão da associação encontrada entre a dor e a vinculação religiosa, renda e escolaridade: (b) necessidade de práticas religiosas (r = 0.46 e p-value <' 0.05), Além disso, a experiência dolorosa relacionou-se à especialidade cirúrgica e homens e mulheres apresentaram diferenças tanto na experiência dolorosa global, quanto em suas dimensões distintas. Foram formados três clusters de desempenho psicossocial que apresentaram associação à experiência dolorosa. destacando-se o cluster de desempenho relativo mediano, que sugeriu a influência protetiva da variável suporte social, A partir das evidências encontradas, fazem-se algumas sugestões: (a) necessidade de sistematizaçào e melhor compreensão da associação encontrada entre a dor e a vinculação religiosa, renda e escolaridade: (b) necessidade de realização de estudos que aprofundem a compreensão da relação sexo e dor através do estudo das experiências de gênero e dor, bem como as expectativas relacionadas ao póscirúrgico e seus resultados por especialidades cirúrgicas: e (c) necessidade de abarcar maior número de participantes e análises complementares. em âmbito nacional e multicêntrico. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The International Association for the Study of Pain define? pain as an unpleasant sensory and emotional experience associated with actual or potential tissue damage or described in terms of such damage. Under these concepts, not just the physical and chemicals components involved in the pain experience should be considered, but also subjective and psychosocial aspects are crucial to its understanding. By psychosocial variables, are understood the variables of psychological and social nature and characterized by the approach of the beliefs and motivations that lead individuals to develop certam attitudes that may generate or not certain behaviors. This study aimed to systematize scientific knowledge about the painful phenomenon through the analysis of relational behaviors between the painful experience and psychosocial variables most commonly described in the literature of the years 2007. 2008 and 2009 in 50 patients in context of postoperative care in the Unit of Clinical Surgery of Brasilia's University Hospital (HUB). The 14 articles found in the literature review highlighted three psychosocial variables. namely: (a) self-efficacy: (b) coping: and (c) psychopathological history A qualitative/quantitative correlational study with an observational design and cross-sectional character was then held and to its achievement were used as instruments of pain assessment and psychosocial variables a sociodemographics instrument, the Short-Form McGill Pain Questionnaire (SF-MPQ). Pain Self-Efficacy Questionnaire (PSEQ). The Ways of Coping Scale (EMEP) and Hospital Anxiety and Depression Scale (HAD). Results were obtained through descriptive analysis using tabular summarization of data methods and the technique of cluster analysis and they suggest that variations in the painful experience of surgical patients may be explained by differences in the socio demographic variables of sex and gender, religious ties, schooling, income and surgical specialty and psychosocial variables of self-efficacy, coping and psychopathological history. It was observed that a positive association between pain and income security and negative associations between pain and variables such as schooling and drug prescriptions, the latter not having an impact on the affective dimension of pain. The variable religious ties, was also associated, by a statistically significant correlation between the sensory dimension of pain and coping focused on the search for religious practices (r = 0.46 and p-value <0.05). Moreover, the painful experience was related to the surgical specialty and men and women differ in both overall pain experience. and in its different dimensions. The study involved three psychosocial performance clusters that were associated with painful experience, specially the average relative performance cluster, which suggested the protective effect of the social support variable From the evidence found, some suggestions are made: (a) the need for systematic and better understanding of the association between pain and religious ties, income and education, (b) the need for studies that deepen the understanding about sex and pain by studying the experiences of gender and pain, as well as expectations related to postsurgical results and surgical specialties, and (c) the need to involve more participants and additional examinations, in multic enter studies and nationwide.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, 2011.
Appears in Collections:PED - Mestrado em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/9555/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.