Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/8534
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2010_AdrianaAlmeidaCamilo.pdf810,39 kBAdobe PDFView/Open
Title: Um estudo dialógico sobre narrativas identitárias de mulheres jovens no contexto de coletivos lésbicos-bissexuais feministas
Authors: Camilo, Adriana Almeida
Orientador(es):: Oliveira, Maria Cláudia Santos Lopes de
Assunto:: Relações humanas
Lesbianismo
Issue Date: 21-Jun-2011
Citation: CAMILO, Adriana Almeida. Um estudo dialógico sobre narrativas identitárias de mulheres jovens no contexto de coletivos lésbicos-bissexuais feministas. 2010, 155 f. Dissertação (Mestrado em Processos de desenvolvimento humano em saúde)-Universidade de Brasília, Brasília, 2010.
Abstract: Esta dissertação investiga as narrativas identitárias de jovens mulheres que se identificam como lésbicas e bissexuais, no contexto de coletivos autônomos feministas do Distrito Federal. Os coletivos autônomos apresentam especificidades e estruturas de organização próprias, tendendo à descentralização e às estruturas colegiadas, além de um caráter eminentemente político, configurando-se como tentativas de diferenciação e oposição à prática política partidária convencional. A pesquisa fundamenta-se na articulação das seguintes abordagens: a psicologia histórico-cultural, a perspectiva dialógica do self; a epistemologia qualitativa e os estudos de subjetividade e ação sociopolítica contemporânea. Partimos de uma perspectiva que considera o desenvolvimento da (o) jovem em contexto sócio-cultural e que preconiza tanto a unidade quanto a multiplicidade do self; as continuidades, assim como as transformações, em uma rede dialógica e narrativa de significados. O presente trabalho tem como objetivos: identificar como jovens, no contexto de coletivos autônomos feministas, constroem significações acerca de si, do mundo e de suas ações sociopolíticas por meio de narrativas; interpretar as narrativas autobiográficas de jovens que integram estes coletivos, com foco analítico em eventos significados como marcadores de trajetória e em processos dialógicos de reorganização e autoregulação psíquica frente à novidade; identificar as especificidades das articulações em redes e das ações afirmativas empreendidas por essas jovens e seus grupos. A construção das informações ocorreu a partir de metodologias qualitativas e interpretativas, contando com: 16 meses de observações etnográficas das interações, em distintos espaços de ação sociopolítica, com registro em diário de campo; análise de documentos dos três grupos participantes, com foco nos registros virtuais; e entrevistas narrativas autobiográficas com 2 jovens, integrantes ou recém saídas dos coletivos. As narrativas construídas no contexto interacional da pesquisa subsidiaram as análises, organizadas em dois momentos: no primeiro momento, denominado dimensão macrocontextual, privilegiamos aspectos como composição, histórico e autodefinição; bem como as articulações dos grupos participantes em redes de apoio e colaboração. No segundo momento, por sua vez, realizamos análises microgenéticas dos fluxos de posicionamentos identitários, a partir das entrevistas narrativas autobiográficas. A análise das entrevistas inclui negociações eu-outro no contexto da entrevista e análise microgenética de momentos de cada entrevista, com foco em significações sobre eventos marcadores de trajetória e processos dialógicos de reorganização e autoregulação psíquica diante da novidade. As narrativas construídas no contexto interacional da pesquisa sinalizam ligações entre a inserção em coletivos autônomos feministas e ressignificações das formas de vivenciar as identidades de gênero e sexual. As análises apontam para processos de adesão e resistência ao fazer político, conectados às tensões entre as representações de identidades sexuais - sustentadas como posições políticas na defesa de direitos sociais - e o complexo e múltiplo exercício da sexualidade. As análises microgenéticas das entrevistas, focadas nas relações entre os posicionamentos identitários, indicam a coerência interna como um processo de reorganização psíquica, dinâmico e mutável, continuamente atualizado e circunscrito em termos temporais e contextuais. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT
The present work investigates the identity narratives of lesbians and bisexual young women in the context of some autonomy collectives that have emerged in Brasilia, Federal District, Brazil. The autonomy collectives present their own specificity and structure of organization, tending to decentralization and to the collegiate structures, besides a character eminently politic, configuring themselves as groups that try to oppose the conventional practice political party. The study is based on the articulation of the following approaches: the historical-cultural psychology, the self dialogic perspective, the qualitative epistemology and the studies of contemporary subjectivity and socialpolitical action. We started from a perspective which considers the development of the youth in a social and cultural context that both the unity and the multiplicity of the self; the continuities as well the transformations in a dialogical and narrative network of meanings. The current study have the following objectives: to identify how young women placed in a context of feminist autonomy collectives build significations about themselves, about the world and also their social political actions through narratives; to interpret the autobiographical narratives of these young women, with an analytical focus on markers trajectory events and dialogical processes of reorganization and psychical self regulation before the new; to identify the specificities of the articulations in networks as well the affirmative actions launched by these young women and their groups. The construction of information occurred with the use of qualitative and interpretative methodologies, including a sixteen-month ethnographic observation of interactions into distinct spaces of social and political action, registered in a research diary; analysis of documents of three groups engaged; and autobiographical narrative interviews with two young women, either members or newly out of the collectives. The narratives built in the interactional context of the research provided the analysis, organized in two moments: at the first moment, named macro contextual dimension, we privileged aspects such as composition, historical and self definition, besides of the articulation of the participating groups in support and collaboration networks. At the second moment of the analysis, we perform micro genetics analysis of the flows of identity positioning, taken from the autobiographical narratives interviews. The analysis of the interviews includes trading me-others in the interview context and micro genetics analysis of the moments from each interview, focusing on significations about markers trajectory events and dialogical processes of reorganization and psychical self regulation before the new.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, 2010.
Appears in Collections:PED - Mestrado em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/8534/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.