Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/7748
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2010_MariaCristinaMagalhaesViana.pdf534,47 kBAdobe PDFView/Open
Title: O custo social da depredação do cerrado brasileiro : o caso do pequi (Caryocar brasiliense Camb.)
Other Titles: The social cost of depletion of the brazilian cerrado biome : the situation of the pequi (Caryocar brasiliense Camb.)
Authors: Viana, Maria Cristina Magalhães
Orientador(es):: Ângelo, Humberto
Assunto:: Pequi
Recursos naturais
Cerrados - Brasil
Extrativismo
Custos
Issue Date: 13-May-2011
Citation: VIANA, Maria Cristina Magalhães. O custo social da depredação do cerrado brasileiro: o caso do pequi (Caryocar brasiliense Camb.). 2010. 65 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais)-Universidade de Brasília, Brasília, 2010.
Abstract: Neste trabalho analisou-se a depredação do Bioma Cerrado, enfocando os custos sociais impostos pela redução e perda dos recursos naturais, em especial o pequi (Caryocar brasiliense Camb.), no período de 1990 a 2008. O custo social da depredação dos recursos naturais pode ser representado pelo custo de oportunidade desses recursos para a sociedade, caso esses recursos não tivessem sido degradados. Foi considerado aqui o custo social da depredação do pequi para a sociedade - esta representada pelos consumidores e produtores do pequi. Os custos foram quantificados com base no conceito de excedente econômico de Marshall. Utilizou-se o modelo teórico desenvolvido por Lindner e Rose (1978), e aperfeiçoado por Rose (1980) e Norton e Davis (1981). Foram necessários três parâmetros para quantificar estes custos: elasticidade-preço da demanda, elasticidade-preço da oferta e fator de deslocamento da curva de oferta (K). O custo social médio foi estimado em R$ 922 mil reais de 2008, no período de 1990 a 2008. Os produtores regionais arcaram com 54% do custo social total e os consumidores com os 46% restantes. O custo social total representou uma média de 48% do valor comercializado da produção do pequi durante o período estudado. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This study examined the depletion of the Cerrado biome focusing on the social costs imposed on society by the reduction and loss of natural resources particularly the pequi (Caryocar brasiliense Camb.), from 1990 to 2008. This loss represents a social cost, because the social cost of natural resource degradation can be represented by the opportunity cost of these resources to society if such resources had not been degraded. This paper specifically considered the social cost of degradation pequi to society - is represented by consumers and producers of pequi. The social costs were quantified based on the economic concept of Marshall. We used the theoretical model developed by Lindner e Rose (1978), and improved by Rose (1980) and Norton and Davis (1981) - and it is necessary to quantify these costs three parameters: price elasticity of demand, price elasticity of supply and factor shift the supply curve (K). The social cost was estimated at R$ 922 mil, from 1990 to 2008. The regional producers bore 54% of the total social cost and 46% fit to consumers. The total social cost represented an average of 48% of the value of marketed production pequi during the study period.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Florestal. 2010.
Appears in Collections:EFL - Mestrado em Ciências Florestais (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/7748/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.