Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/7656
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2010_StelaMartinsTeles.pdf1,03 MBAdobe PDFView/Open
Title: O professor no processo de inclusão de alunos com deficiência intelectual : um estudo sobre os significados construídos no fazer pedagógico
Other Titles: The teacher in the inclusion process of students with intellectual disability : a study about the meanings constructed on the pedagogic making
Authors: Teles, Stela Martins
Orientador(es):: Barbato, Silviane Bonaccorsi
Pulino, Lúcia Helena Cavasin Zabotto
Assunto:: Inclusão escolar
Professores - formação
Psicologia do desenvolvimento
Crianças mentalmente deficientes
Issue Date: 10-May-2011
Citation: TELES, Stela Martins. O professor no processo de inclusão de alunos com deficiência intelectual: um estudo sobre os significados construídos no fazer pedagógico. 2010. xii, 130 f. Dissertação (Mestrado em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde)-Universidade de Brasília, Brasília, 2010.
Abstract: Este trabalho pretende contribuir para a compreensão dos processos de construção de significados pelo professor sobre a inclusão e a escolarização de alunos com deficiência intelectual no Ensino Fundamental. A partir de abordagens que consideram a dialogicidade para a construção dos significados que ocorre nas relações do eu com o outro, dentro de um contexto social, historicamente situado, buscamos nesta pesquisa compreender, identificar e analisar a construção de significados de professores no contexto da prática pedagógica em salas de aula inclusivas. Entendemos que estes significados são constituídos no processo de formação profissional e na prática pedagógica do professor, permeados por discursos segregacionistas e não segregacionistas sobre a inclusão e a escolarização de alunos com deficiência intelectual.Partimos do pressuposto de que a aceitação e a inclusão de pessoas com deficiência intelectual na sociedade fazem parte de um processo histórico que configura uma mudança nas crenças e valores em relação às possibilidades de atuação social de uma população que durante muito tempo foi e ainda é segregada, marginalizada, “escondida” e negada. Consideramos que os embates entre significados hegemônicos na história e os significados inclusivistas provocados pela implementação de políticas públicas devido a presença da diversidade no contexto escolar, possibilitam aos professores passarem por um processo de transição para a construção de novas práticas sociais que se concretizam no espaço escolar. Pautamos o estudo na Psicologia do Desenvolvimento na perspectiva sócio-cultural, a partir do paradigma qualitativo de pesquisa para compreendermos os processos de construção de significados que envolvem mudanças na compreensão e interpretação das condutas humanas, entendendo de que forma a cultura, as crenças e valores influem no fenômeno psicológico e modificam as práticas sociais presentes no contexto escolar. Definimos como critério que os participantes fossem professores dos primeiros anos do Ensino Fundamental de nove anos de salas de aula inclusivas da rede regular de ensino do Distrito Federal. Foram selecionadas três professoras, de uma mesma escola, com três alunos incluídos. Para a construção dos dados, utilizamos a observação para conhecimento do contexto no qual se dava o fazer pedagógico e duas entrevistas semi-estruturadas. Analisamos os dados de entrevista utilizando a análise temática dialógica,considerando as enunciações como unidades de análise. Os significados que regeram as enunciações foram divididos em cinco temas: formação profissional, deficiência, inclusão, escolarização e fazer pedagógico. Os resultados indicaram que as professoras encontram-se num processo de embate entre os significados da deficiência enquanto algo impeditivo para o desenvolvimento cognitivo e a escolarização de alunos com deficiência intelectual e o rompimento com as práticas cristalizadas de segregação em sala de aula, uma vez que o fazer pedagógico com esses alunos demonstram a possibilidade e a capacidade de seus alunos incluídos tanto no plano cognitivo quanto social, permitindo assim vislumbrar a continuidade do processo de escolarização. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This work aims to understand the processes of meaning construction by the teacher on the inclusion and education of students with intellectual disability in elementary school. From approaches that consider dialogical for the construction of meaning that occurs in the relationship between self and other, within a social context, situated in history, this research sought to understand, identify and analyze the construction of meaning in the context of teacher practice teaching in inclusive classrooms. We believe that these meanings are constituted in the process of professional formation and practice of teacher education, permeated by segregationists speeches and no-segregationists speeches on the inclusion and education of students with intellectual disability. We assumed that the acceptance and inclusion of people with intellectual disability in society are part of a historical process that constitutes a change in beliefs and values about the possibilities of social action from a population that has long been and still is segregated marginalized, "hidden" and denied. We consider the collisions between hegemonic meanings in history and the inclusivists meanings caused by the implementation of public policy because the presence of diversity in the school context, enables teachers to go through a transition process for the construction of new social practices that concretizes in school. We base the study in Developmental Psychology in the socio-cultural perspective, from the paradigm of qualitative research to understand the processes of meaning construction involving changes in the understanding and interpretation of human behavior, understanding how culture, beliefs and values influence the psychological phenomenon and change social practices present in the school context. We set a criterion that the participants are teachers of the first years of elementary school of nine years of inclusive classrooms in regular school system of Distrito Federal. Three professors were selected with three students included. For the construction of the data, we used the observation to know the context in which they gave the pedagogical and two semi-structured interviews. We analyzed the interview data using a thematic analysis of dialogue, taking utterances as the unit of analysis. The meanings that had conducted the utterances were divided into five subjects: professional formation, disabilities, inclusion, education and pedagogic work. The results indicated that the teachers are in a process of confrontation between the meanings of disability as something impediment to cognitive development and schooling of students with intellectual disabilities and a break with the crystallized practices of segregation in the classroom, since the pedagogical making with these students demonstrate the ability and capacity of its students included at both the cognitive and social planes allowing the continuity of the educational process.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, 2010.
Appears in Collections:PED - Mestrado em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/7656/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.