Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/6549
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2010_JanainaAraujoTeixeraSantos.pdf2,96 MBAdobe PDFView/Open
Title: Qualidade de vida e independência funcional de lesados medulares
Other Titles: Quality of life and independence of functional spinal cord injured
Authors: Santos, Janaina de Araujo Teixeira
Orientador(es):: Barros, Jônatas de França
Assunto:: Medula espinhal - ferimentos e lesões
Qualidade de vida
Educação física - deficientes
Issue Date: 24-Jan-2011
Citation: SANTOS, Janaina Araujo Teixeira. Qualidade de vida e independência funcional de lesados medulares. 2010. 66 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física)-Universidade de Brasília, Brasília, 2010.
Abstract: A lesão medular agride fisicamente o corpo do indivíduo e traz consigo a problemática da deficiência. As sequelas desse trauma interferem na qualidade de vida e na capacidade funcional dessas pessoas, caracterizando em uma dependência de cuidados de terceiros e limitações que prosseguem por toda sua vida. O objetivo desta pesquisa foi verificar a correlação das variáveis qualidade de vida e independência funcional em homens com lesão medular traumática que realizam ou não atividade física em instituições do Distrito Federal. Para isto foram coletados dados de 30 homens com lesão medular de etiologia traumática, divididos em praticantes (N=16) e sedentários (N=14), na faixa etária de 20 a 60 anos. Para as coletas dos dados utilizou-se como instrumentos o SF-36 (medical Outcomes study 36-Item short-Form Health Survey), a Medida de Independência Funcional (MIF) e o questionário para diagnostico do nível de atividade física da população alvo (MATSUDO, 2000). No estudo a média de idade foi de 41-50 anos (36,6%) e média de tempo de lesão de 20-30 anos (36,6%); Como causa das lesões a prevalência são as armas de fogo (40%), em sua maioria as lesões são completas (73,3%) com predominância do nível torácico de lesão (76.6%). Indivíduos lesados medulares praticantes de atividade física apresentaram valores de independência funcional maior que os sedentários. O domínio capacidade funcional do SF-36 dos indivíduos que praticam atividade foi significativamente maior em relação aos sedentários. Os resultados mostraram que dentre as variáveis estudadas não houve relação significativa entre a qualidade de vida e a independência funcional. A Lesão medular traz consigo várias perdas aos indivíduos, com relação aos aspectos motores, independência funcional, nas relações sociais e consequentemente na qualidade de vida dos mesmos. Os resultados do estudo mostram que a qualidade de vida esta intimamente ligada ao estilo de vida da pessoa, por conseguinte, intervenções como a atividade física podem promover melhora da independência funcional e qualidade de vida. ________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The spinal cord injury damages physically the person´s body and brings with itself the disability issue. The consequences of this trauma interfere with these people´s quality of life and functional capacity becoming a dependence on other people´s care and limitations that go through their whole lives. The objective of this research was to verify the correlation between the quality of life and functional independence in men with traumatic spinal cord injury that practice or not physical activity in institutions in the Federal District. In order to achieve this, data from 30 men with traumatic etiology spinal cord injury were collected, being qualified as active (N=16) and sedentary (n=14) with an age of 20 to 60.To collect data the following instruments were used the SF-36 (medical Outcomes study 36-Item short-Form Health Survey), the Functional Independence Measure (FIM) and the survey for diagnosing the level of physical activity of the study population (MATSUDO, 2000). In this study the age range was 41-50 (36,6%) and the average injury time was 20-30 years (36,6%);As the cause of the injuries the prevalence was guns (40%),in majority full(73,3%)and the predominance of the thoracic level injury(76,6%). The cord injured people that practice physical activity presented the Functional Independence values bigger than the sedentary ones. The domain functional capacity the SF-36 of the individuals that practice physical activity was bigger in relation to the sedentary ones. The results show that among the studied variables there was not a significant relation between the quality of life and the functional independence. The spinal cord injury brings itself lots of losses to the individuals, in relation to the motor aspects, functional independence, in the social relationships and, as a consequence, it affects their quality of life. The results of the study show that the quality of life is closely connected to the person´s life style, and, as result, interventions as the physical activity can provide a better functional independence and quality of life.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação Física, 2010.
Appears in Collections:FEF - Mestrado em Educação Física (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/6549/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.