Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/5522
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2006_Gersem José dos Santos Luciano.pdf3,14 MBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorBarretto Filho, Henyo Trindade-
dc.contributor.authorLuciano, Gersem José dos Santos-
dc.date.accessioned2010-09-29T15:20:53Z-
dc.date.available2010-09-29T15:20:53Z-
dc.date.issued2010-09-29-
dc.date.submitted2006-04-28-
dc.identifier.citationLUCIANO, Gersem José dos Santos. "Projeto é como branco trabalha; as lideranças que se virem para aprender e nos ensinar": experiências dos povos indígenas do alto rio Negro. 2006. 162 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social)-Universidade de Brasília, Brasília, 2006.en
dc.identifier.urihttp://repositorio.unb.br/handle/10482/5522-
dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Departamento de Antropologia, Programa de Pós-graduação em Antropologia Social, 2006.en
dc.description.abstractEste trabalho é resultado de dois anos de inserção no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade de Brasília, no nível de Mestrado. É uma tentativa de organizar as principais idéias e práticas vividas dentro e fora da academia, consciente dos limites que um trabalho escrito deste gênero impõe, por sua finitude, à riqueza experimentada. Analiso as experiências das lideranças indígenas do alto rio Negro e, em particular, das lideranças baniwas, com projetos de etnodesenvolvimento denominados por eles de projetos de alternativas econômicas, que articulam diferentes campos de forças institucionais e atores sociais como índios, antropólogos, missionários, indigenistas, agências do governo brasileiro, organizações não-governamentais e agências multilaterais. Constato que os projetos, malgrado estarem orientados pelas noções reformistas de desenvolvimento - desenvolvimento sustentável e etnodesenvolvimento ?, estão longe de ser, aos olhos dos povos indígenas, o tipo desejado de intervenção, do ponto de vista conceitual e metodológico. Não obstante, eles representam possibilidades e oportunidades reais de recuperação de auto-estima e visibilidade étnicas diante do mundo globalizado. Concluo que os projetos são uma forma de sair do confinamento cultural, econômico e político a que foram submetidos por séculos de devastadora dominação colonial, ao tempo em que representam também um processo de apropriação ativa e reativa dos instrumentos de poder do mundo globalizado em favor de seus direitos, desejos e projetos étnicos. _____________________________________________________________________________ ABSTRACTen
dc.description.abstractThis dissertation is the outcome of two years of association with the Graduate Program in Social Anthropology of the University of Brasília, at its Master’s course. It is a tentative organization of the main ideas, and pratices lived within and outside academia, conscious of the limits this genre of written finite work impose on a rich experience. I examine the experiences of the upper Negro River indigenous leaders, mainly of the Baniwa people, with ethnodevelopment projects, refered to by them as economic alternatives projects. These initiatives link diverse instituional power fields, and social actors, like indians, anthropologists, missionaries, indigenistas, gorvenment agencies and officials, non-governmental organizations, and multilateral institutions. I show that, though being guided by revised notions of development, like sustainable development, and ethnodevelopment, these projects are far from represeting the desired kind of intervention, from the perspective of the affected indigenous peoples. In spite of this, these projects represent actual possibilities, and opportunities to regain self-esteem, and ethnic visibility in a globalized world. I end up asserting that ethnodevelopment projects are a way of breaking away from the cultural, political, and economic confinement resultant from centuries of devastating cultural domination, alongside representing a process of active and reactive appropriation of the means of power of the globalized world in support of the ethnic rights, desires, and projects of the upper Negro River indigenous peoples.en
dc.language.isoPortuguêsen
dc.rightsAcesso Abertoen
dc.title"Projeto é como branco trabalha; as lideranças que se virem para aprender e nos ensinar" : experiências dos povos indígenas do alto rio Negroen
dc.typeDissertaçãoen
dc.subject.keywordÍndiosen
dc.subject.keywordÍndios Baniwaen
dc.subject.keywordEtnologia - índiosen
dc.subject.keywordÍndios - aspectos políticosen
dc.subject.keywordÍndios - aspectos econômicosen
Appears in Collections:DAN - Mestrado em Antropologia (Dissertações)

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/5522/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.