Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/5267
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2009_AllanLonghi.pdf948,96 kBAdobe PDFView/Open
Title: Variabilidade da frequência cardíaca, estresse, ansiedade e depressão em intensivistas : um estudo nas unidades de terapia intensiva da cidade de Dourados, MS
Authors: Longhi, Allan
Orientador(es):: Tomaz, Carlos Alberto Bezerra
Assunto:: Stress (Fisiologia)
Sistema cardiovascular - doenças
Ansiedade
Saúde e trabalho
Depressão mental
Issue Date: 2009
Citation: LONGHI, Allan. Variabilidade da frequência cardíaca, estresse, ansiedade e depressão em intensivistas: um estudo nas unidades de terapia intensiva da cidade de Dourados, MS. 2009. 78 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Saúde)-Universidade de Brasília, Brasília, 2009.
Abstract: Fundamento: Ansiedade, depressão e estresse têm sido associados à baixa variabilidade da freqüência cardíaca (VFC) e considerados fatores de risco isolados para doenças cardiovasculares. Avaliação da VFC, ansiedade, estresse e depressão em funcionários de Unidade de Terapia Intensiva(UTI). Objetivo: Determinar a prevalência de alterações nas variáveis da VFC e os níveis de ansiedade, estresse e depressão em médicos e enfermeiros de UTI. Métodos: Análise da VFC através de gravação de eletrocardiograma contínuo por Holter durante o período de 12 horas de plantão, juntamente com questionários avaliando ansiedade, estresse e depressão. Questionário subjetivo sobre a Classificação do Plantão (leve, moderado ou intenso) e Período de Descanso (ausente, até 01 hora e mais de 01 hora). Resultados: Os índices da VFC na população estudada estiveram alterados em sua grande maioria, quando comparados à população normal, especialmente HF(Alta Freqüência) e a relação LF/HF(relação Alta Freqüência / Baixa Freqüência). Em relação à Classificação do Plantão, houve efeito estatisticamente significativo sobre pNN50, rMSSD, LF e HF.Em relação ao Descanso, houve efeito sobre pNN50 e rMSSD. Ansiedade, estresse e depressão foram mínimos ou ausentes na população estudada e não se correlacionaram com alterações nos índices de VFC. Conclusões. Nível de estresse, ansiedade e depressão não tiveram efeito sobre os parâmetros de VFC. Contudo, HF e a relação LF/HF dos intensivistas estiveram alteradas quando comparados à população normal. Na avaliação do Descanso e Classificação do Plantão, houve alterações nas variáveis que refletem a atividade parassimpática, nos fazendo pensar que o descanso durante o plantão de 12 horas, influi, de maneira importante, a classificação do plantão pelos intensivistas. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Fundament: Anxiety, depression and stress have been associated to low heart rate variability (HRV), and considered as isolated risk factors to cardiovascular diseases. Evaluation of HRV, anxiety, stress and depression in Intensive Care Unity employees. Objective: To determine the prevalence of alterations in the HRV variables and anxiety, stress and depression levels in ICU doctors and nurses. Methods: HRV analysis through recording of continuous electrocardiogram during the period of 12 hour call(Holter), along with questionnaire evaluating anxiety, stress and depression. Subjective questionnaire about Call Classification (light, moderate or intense) and Resting Period (absent, up to 1 hour or over 1 hour). Results: HRV indications in the studied population were altered in its great majority when compared to regular population, especially HF and the relation LF/HF. Concerning Call Classification there was significant statistic effect over rMSSD and LF. Concerning Rest, there was effect over pNN50 and rMSSD. Anxiety, stress and depression were minimum or absent in the studied population and do not correlate with alterations in the HRV levels. Conclusions. Stress, anxiety and depression levels did not have an effect over the HRV parameters. HF and the LF/HF relation of the intensives were altered when compared to regular population. Evaluating Rest and Call Classification, there were alterations in the variables which reflect the parasympathetic activity, making us think that the rest during the 12 hour call has an important influence on the call classification by the intensives.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2009.
Appears in Collections:FS - Mestrado em Ciências da Saúde (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/5267/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.