Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/4658
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2009_GerlidiaAraujoRodrigues.pdf2,8 MBAdobe PDFView/Open
Title: Análise das condições bucais em crianças sobreviventes ao câncer infantil
Authors: Rodrigues, Gerlídia Araújo
Orientador(es):: Melo, Nilce Santos de
Mestrinho, Heliana Dantas
Assunto:: Boca - câncer
Crianças - doenças
Dentes - anomalias
Issue Date: 18-May-2010
Citation: RODRIGUES, Gerlídia Araújo. Análise das condições bucais em crianças sobreviventes ao câncer infantil. 2009. 167 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde)-Universidade de Brasília, Brasília, 2009.
Abstract: O objetivo desse estudo foi analisar as condições bucais em crianças sobreviventes ao câncer infantil, caracterizar a amostra, comparar a prevalência das anomalias dentárias nos casos de estudo com o grupo controle e verificar as possíveis associações entre as anomalias dentárias nos dentes permanentes com a modalidade, a duração e a idade à época da terapia onco/hematológica. Esse trabalho foi um estudo caso-controle realizado com 43 pacientes de oito a vinte anos de idade, submetidos a tratamento quimioterápico e/ou radioterápico até os sete anos de idade, devido ao câncer. O grupo controle foi constituído de 129 crianças com mesma idade, gênero e renda familiar dos casos de estudo. Os pacientes foram avaliados clínica e radiograficamente. O estudo da prevalência de defeitos de esmalte foi registrado de acordo com o índice DDE Simplificado Modificado e distúrbios no desenvolvimento dental foram diagnosticados nas radiografias panorâmicas, baseado na classificação sugerida por Dahllöf et al. (1988a), entre novembro de 2004 a janeiro de 2009, no Centro de Câncer Bucal do Hospital Universitário de Brasília, Distrito Federal. Nos casos de estudo observou-se uma maior prevalência, estatisticamente significante, de defeitos de desenvolvimento de esmalte, microdontia, encurtamento radicular, raiz em V, atraso de erupção dentária e agenesia dentária comparado ao grupo controle. A radioterapia, principalmente em doses radioterápicas >30Gy, foi o fator mais impactante na frequência das alterações dentárias nos casos de estudo. A duração da terapia não mostrou associação com uma maior ou menor prevalência das anomalias, independente de ser por seis, 12 ou 24 meses. De acordo com os testes aplicados nessa amostra, não houve associação entre a idade da criança no início do tratamento e a prevalência das anomalias. A terapia onco/hematológica em crianças de zero a sete anos de idade mostrou-se um fator que aumentou a prevalência das anomalias dentárias nessa amostra estudada. _____________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The aim of this investigation was to examine the oral conditions in childhood cancer long-term survivors, characterize the sample, comparing the prevalence of dental anomalies in the case studies with the control group. Possible correlations between the type and duration of the antineoplastic treatment as well as the patient’s age during the treatment and the presence of dental abnormalities in permanent teeth were analyzed. In a case-control study, 43 patients ranging 8 to 20 years of age, who undergone cancer related chemio and/or radiotherapy from 0 to 7 years of age were included. Control group was comprised of 129 children matching the case group’s age, gender and family income. The patients were assessed both clinically and radiographically. Prevalence analysis of developmental defects of enamel was recorded according to the DDE index and dental development was diagnosed by panoramic x-ray, based on Dahllof’s classification. A significant higher prevalence was found for developmental defects of enamel, hypoplasia, microdontia, short root, V-shaped root, late tooth eruption and agenesis in the case group. Radiotherapy, specially in doses below 30 Gy, had the strongest influence in the frequency dental abnormalities. On the other hand neither the patient’s age nor the length of the treatment showed any influence on the appearance of such conditions. Antineoplastic therapy in children up to 7 years of age has been shown to increase the prevalence of dental abnormalities in the studied sample.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2009.
Appears in Collections:FS - Mestrado em Ciências da Saúde (Dissertações)
UnB - Brasília 50 anos

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/4658/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.