Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/41871
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2021_MarinadeBarrosFonseca.pdf17,87 MBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorBaines, Stephen Grant-
dc.contributor.authorFonseca, Marina de Barros-
dc.date.accessioned2021-08-23T19:19:58Z-
dc.date.available2021-08-23T19:19:58Z-
dc.date.issued2021-08-23-
dc.date.submitted2021-03-30-
dc.identifier.citationFONSECA, Marina de Barros. Retomando o que é nosso!: uma análise das retomadas de terra dos Terena de Buriti. 126 f., il. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social)—Universidade de Brasília, Brasília, 2021.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.unb.br/handle/10482/41871-
dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Departamento de Antropologia, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, 2021.pt_BR
dc.description.abstractA presente dissertação se propõe a analisar o papel das retomadas de terra enquanto método de resistência ao avanço das fronteiras extrativistas sobre territórios de ocupação tradicional, focando na experiência dos Terena da Terra Indígena Buriti, no estado do Mato Grosso do Sul. As retomadas de terra se intensificam no início do século XXI e assumem o papel de novo processo de territorialização dos Terena de Buriti, sendo esse baseado em suas próprias demandas e tomando para si o papel de demarcar fronteiras territoriais. O acúmulo de experiências de resistência e organização política à nível regional e nacional, somado ao avanço de políticas econômicas focadas na exportação de commodities na América Latina, criam um cenário no qual as retomadas de terra se apresentam enquanto uma saída não apenas viável, mas necessária, do labirinto criado pelo agronegócio. O presente trabalho se apoia em uma etnografia realizada junto aos Terena de Buriti, na tentativa de compreender a construção do processo de organização política e resistência coletiva, que ocorre concomitantemente por dentro e por fora da legalidade estatal, focado na conquista do que é justo para os povos indígenas.pt_BR
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP/DF).pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleRetomando o que é nosso! : uma análise das retomadas de terra dos Terena de Buritipt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.keywordRetomadas de terrapt_BR
dc.subject.keywordTerenaspt_BR
dc.subject.keywordAgronegóciopt_BR
dc.subject.keywordTerritorializaçãopt_BR
dc.subject.keywordResistênciapt_BR
dc.rights.licenseA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.pt_BR
dc.description.abstract1This dissertation proposes to analyze the role of land retake as a method of resistance to the advance of extractivist frontiers over traditionally occupied territories, focusing on the Terena experience of the Buriti Indigenous Land, in the state of Mato Grosso do Sul. The land retakes intensified at the beginning of the 21st century and assumed the role of a new territorialization process of the Terena of Buriti, based on their own demands and taking on the role of demarcating territorial borders. The accumulation of experiences of resistance and political organization at regional and national level, coupled with the advancement of economic policies focused on the export of commodities in Latin America created a scenario in which land takeovers are presented as not only a viable but a necessary way out the labyrinth created by agribusiness. The present work is based on an ethnography carried out with the Terena of Buriti, in an attempt to understand the construction of the process of political organization and collective resistance, which occurs simultaneously inside and outside state legality, focused on the achievement of what is fair for the indigenous people.pt_BR
dc.contributor.emailmarinafonseca.b@gmail.compt_BR
Appears in Collections:DAN - Mestrado em Antropologia (Dissertações)

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/41871/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.