Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/40644
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_PriscilaClaudinodeAlmeida.pdf1,83 MBAdobe PDFView/Open
Title: Construção e validação de um instrumento para avaliar a neofobia alimentar de crianças brasileiras
Authors: Almeida, Priscila Claudino de
metadata.dc.contributor.email: nprialmeida@gmail.com
Orientador(es):: Botelho, Raquel Braz Assunção
Assunto:: Neofobia alimentar
Crianças - nutrição
Percepção parental
Comportamento alimentar
Issue Date: 25-Apr-2021
Citation: ALMEIDA, Priscila Claudino de. Construção e validação de um instrumento para avaliar a neofobia alimentar de crianças brasileiras. 2020. 126 f., il. Dissertação (Mestrado em Nutrição Humana)—Universidade de Brasília, Brasília, 2020.
Abstract: Introdução: A relutância em comer novos alimentos é caracterizada como neofobia alimentar. Pode ser um mecanismo inato do ser humano, como forma de proteção às substâncias estranhas, hereditária, aprendida por meio das preferências alimentares dos pais, ou até mesmo, uma fase do hábito alimentar. A neofobia alimentar é mais comum em crianças com idade entre dois e três anos, e pode ser moldada. O comportamento alimentar neofóbico é baseado no princípio da rejeição de um alimento, no que tange às características sensoriais, medo e consequências de comer determinado alimento, e recusa alimentar pela origem da comida. A neofobia alimentar é um empecilho para as mudanças dietéticas, para a abordagem de problemas de saúde relacionados à alimentação, contribuindo para uma alimentação mais restrita, com menor diversidade de alimentos e deficiência de nutrientes. Objetivo: Desenvolver um instrumento para avaliar a neofobia alimentar de crianças brasileiras. Metodologia: Trata-se de um estudo exploratório com corte transversal, de construção e validação de instrumento de avaliação de neofobia alimentar em crianças. Foi subdividido nas seguintes etapas: (I) construção do instrumento feita a partir da leitura de instrumentos disponíveis e adição de perguntas criadas pelas pesquisadoras. As perguntas foram traduzidas para o português do Brasil, e sofreram adaptações para que refletissem o contexto cultural do Brasil; (II) experimento observacional com crianças participante de oficinas de culinária, para ver a aplicabilidade do instrumento; (III) validação de conteúdo e avaliação semântica do instrumento por meio do método Delphi. Foram convidados vinte e cinco juízes, selecionados com base em experiência profissional/acadêmica prévia na temática, e solicitado que eles avaliassem o instrumento de neofobia alimentar e que expressassem suas opiniões em cada item, julgando o conteúdo, a clareza e a relevância do item. (IV) análise de consistência interna e reprodutibilidade. Após a validação interna do instrumento conduzida por meio da técnica de juízes, foi conduzida a análise de consistência interna e reprodutibilidade com uma amostra de conveniência. Foram recrutados pela internet pais de crianças brasileiras de diversos estados do Brasil. Foi solicitado que ambos os responsáveis pela criança respondessem ao instrumento disponibilizado em plataforma on-line. (V) análises estatísticas. A reprodutibilidade do instrumento foi verificada por meio do teste-reteste, o mesmo cuidador (n = 22) respondeu duas vezes, com intervalo de 24 horas, e comparando as respostas entre dois cuidadores (n = 44) dos mesmos filhos vi (n= 22). A análise de consistência interna foi avaliada pelo cálculo do Alpha de Cronbach, e foi considerada a primeira das três medidas (preenchimento) obtidas de cada criança. Resultados: O instrumento em português do Brasil para avaliar a neofobia alimentar infantil com base na percepção dos cuidadores teve 25 itens aprovados pelos juízes, que posteriormente foram divididos em três domínios (neofobia em geral, neofobia para frutas e neofobia para hortaliças). Diante dos resultados, o instrumento apresenta excelente consistência interna (>0,9) e reprodutibilidade (>0,9) quando respondido pelo cuidador que melhor conhece os hábitos alimentares da criança. Além disso, quando os dois cuidadores responderam ao instrumento, encontrou-se uma boa reprodutibilidade (>0,6). Conclusão: O instrumento mostrou-se apto para ser utilizado no Brasil. É confiável e tem possibilidade de ser respondido por qualquer um dos responsáveis. Novos estudos são necessários para completar a validação externa com amostra representativa do público-alvo no Brasil, mostrando o perfil da população em âmbito nacional.
Abstract: Introduction: The reluctance to eat new foods is characterized as food neophobia. It can be an innate mechanism of the individual, a form of protection against foreign substances, hereditary, learned through the parents' food preferences, or even a phase of the eating habit. Food neophobia is more common in children aged two to three years and can be worked. Neophobic eating behavior is based on the principle of rejection of food, regardless of the sensory characteristics, fear, and consequences of eating a particular food, and refusal to eat by the origin of the food. Food neophobia is an obstacle to dietary changes, for an approach to health problems related to food, it contributes to a more restricted diet, with less diversity of foods and nutrient deficiency. Aim: The objective of this study was to develop a specific instrument to evaluate food neophobia focused on Brazilian children. Methodology: This is an exploratory, cross-sectional study consisting of the construction and validation of an instrument to assess food neophobia in children. It was subdivided into the following steps: (I) construction of the instrument from instruments available in the scientific literature and addition of questions created by the researchers; (II) observational experiment with children participating in cooking class, to see the applicability of the instrument; (III) content validation and semantic evaluation of the instrument using the Delphi method. Twenty-five judges were selected, based on previous professional / academic experience on the subject, and asked to evaluate the food neophobia instrument and express their opinions on each item, judging the content, clarity and the highly regarded item; (IV) analysis of internal consistency and reproducibility. After the internal validation of the instrument conducted using the Delphi method, an analysis of internal consistency and reproducibility with a convenience sample was conducted. Parents of Brazilian children from different states of Brazil were recruited over the internet. Both caregivers of the child were asked to respond to the instrument made available on an online platform.; (V) statistical analysis. The reproducibility of the instrument was verified by means of the test-retest. The same caregiver (n = 22) answered twice, with an interval of 24 hours, and there was a comparison of the responses between two caregivers (n = 44) of the same children (n = 22). The internal consistency analysis was evaluated by calculating Cronbach's Alpha and it was considered the first of the three measurements (answer) obtained from each child. Results: The instrument in Brazilian Portuguese to assess childhood food neophobia based on the perception of caregivers had viii 25 items approved by the judges, which were divided into three domains (neophobia in general, neophobia for fruits, and neophobia for vegetables). Our results indicated that the instrument has excellent internal consistency (>0.9) and reproducibility (>0.9) when answered by the caregiver who knows the child’s eating habits. Besides, when both caregivers answered to the instrument, we found good reproducibility (> 0.6). Conclusion: The instrument proved to be satisfactory, indicating reliability to be applied in Brazil and it has the possibility of being answered by any of the caregivers. Further studies are necessary to complete external validation with a representative sample of the target group in Brazil, showing nationwide the profile of the population.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Departamento de Nutrição, Programa de Pós-Graduação em Nutrição Humana, 2020.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Appears in Collections:NUT - Mestrado em Nutrição Humana (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/40644/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.