Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/40531
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_FlaviaOliveiraGomes.pdf600,36 kBAdobe PDFView/Open
Title: “A psicologia é mais branca” : contribuições de raça e gênero para a construção teórica da dinâmica de reconhecimento do trabalho
Authors: Gomes, Flávia Oliveira
metadata.dc.contributor.email: flavia.ogm@gmail.com
Orientador(es):: Antloga, Carla Sabrina Xavier
Assunto:: Mulheres negras
Psicodinâmica do trabalho
Ppsicodinâmica do trabalho
Citation: GOMES, Flávia Oliveira. “A psicologia é mais branca”: contribuições de raça e gênero para a construção teórica da dinâmica de reconhecimento do trabalho. 2020. 100 f., il. Dissertação (Mestrado em Psicologia Clínica e Cultura)—Universidade de Brasília, Brasília, 2020.
Abstract: Desde sua constituição, a sociedade brasileira está fundamentada em relações de poder e privilégio entre os grupos sociais. Os sistemas de opressão que permeiam a cultura e a estrutura social brasileiras estão refletidos nos mais diversos contextos, inclusive no trabalho. Apesar dos presumíveis impactos desses sistemas no contexto de trabalho, as discussões sobre sistemas de opressão, tais como racismo e machismo, foram negligenciadas ao longo dos anos pela Psicodinâmica do Trabalho. Esta dissertação se propôs a verificar e discutir as contribuições da Psicodinâmica do Trabalho para o entendimento de raça e gênero enquanto variáveis de impacto sob as experiências do trabalhador, especificamente no que diz respeito às dinâmicas de reconhecimento do trabalho. Para isto, foram realizados três estudos. O primeiro consiste em uma revisão sistemática da literatura que buscou mapear os estudos sobre a dinâmica do reconhecimento do trabalho e as implicações de gênero e raça. Foram selecionados 23 publicações científicas, 54 dissertações e 15 teses, dos quais apenas 13 discutiam gênero enquanto categoria de análise e nenhum discutia raça. Os resultados evidenciaram uma lacuna na literatura de Psicodinâmica do Trabalho no que diz respeito a essas duas categorias de análise, demonstrando, mais uma vez, o desinteresse da comunidade acadêmica em discutir estes tópicos. A fim de iniciar esta construção teórica, o segundo estudo teve por objetivo investigar de que forma se estabelece a dinâmica do reconhecimento do trabalho de mulheres negras. Participaram deste estudo 15 servidoras públicas negras. As participantes descreveram experiências de racialização e discriminação no ambiente de trabalho como fatores que afetam a interação nas equipes de trabalho, as práticas organizacionais e a percepção de pertencimento no trabalho. A partir dos resultados obtidos no segundo estudo, o terceiro estudo teve por objetivo discutir os pressupostos teóricos da Psicodinâmica do Trabalho enquanto uma teoria centrada num ideal de masculinidade branca e propor a racialização e genderização desta disciplina como uma forma de melhor compreender as diferentes vivências no mundo do trabalho.
Abstract: Abstract: Since its beginning, Brazilian society is based on power and privilege intergroup relations. The oppression systems that pervades Brazilian culture and social structure are reflected in the most diverse contexts, including work. Despite the presumed impacts of systemic oppression on the work context, discussions about systems of oppression, such as racism and sexism, have been neglected by the literature. This thesis aimed to discuss the contributions of Psychodynamics of Work to the understanding of race and gender as variables of impact on the worker’s experiences, specifically regarding the dynamics of work recognition. In order to fulfill that, three studies were carried out. The first consists of a systematic review of the literature that sought to map the studies on the dynamics of recognition of work, and gender and race implications. Twenty-three scientific papers, 54 dissertations, and 15 theses were selected, of which only 13 have discussed gender implications and none has discussed race. The results evidence a gap in the literature of Psychodynamics of Work with respect to these two categories of analysis, demonstrating academia’s lack of interest in discussing those topics. To approach that gap, the second study aimed to investigate how the dynamics of the recognition of work of Black Women is stablished. Fifteen black public servants participated in this study. The participants described experiences of racialization and discrimination in the work environment as variables that affect the interaction in the work teams, the organizational practices and the perception of belonging at work. Based on these results, the third study aimed to discuss Psychodynamics of Work as a white-androcentric theory and to propose the racialization and genderization of this discipline as a way to better understand the different experiences in the workplace.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2020.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:PCL - Mestrado em Psicologia Clínica e Cultura (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/40531/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.