Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/40511
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_MariaIsabelOrdoñezLozada.pdf7,83 MBAdobe PDFView/Open
Title: Sistemas nanoemulsionados à base de óleo desemente de abóbora : caracterização e estabilidade físicoquímica
Authors: Ordoñez Lozada, Maria Isabel
Orientador(es):: Oliveira, Livia de Lacerda de
Assunto:: Óleo de semente de abóbora
Nanoemulsões
Compostos bioativos
Carotenoides
Estabilidade
Issue Date: 13-Apr-2021
Citation: LOZADA ORDOÑEZ, Maria Isabel. Sistemas nanoemulsionados a base de óleo de semente de abóbora: Caracterização e estabilidade físicoquímica. 2020. [216] f., il. Tese (Doutorado em Nutrição Humana)—Universidade de Brasília, Brasília, 2020.
Abstract: As abóboras (Cucurbita spp.) são cultivadas extensivamente em todo o mundo, pois são consideradas espécies com importante valor nutricional e importância econômica. O óleo da sua semente é considerado uma rica fonte natural de compostos bioativos, como fitoesteróis, tocoferóis, ácidos graxos poli-insaturados e carotenoides. A presente proposta buscou alternativas tecnológicas para a aplicação alimentar do óleo da semente de abóboras, por meio do desenvolvimento de nanoemulsões. O projeto foi conduzido em duas etapas. Na primeira etapa, foi determinada a composição, os parâmetros físico-químicos de qualidade e a capacidade antioxidante dos óleos de sementes de abóbora (OSA) de Cucurbita pepo, C. maxima e C. moschata jacarezinho cultivada no Brasil. Posteriormente, foram desenvolvidas nanoemulsões com cada OSA (nanopepo, nanomax e nanomosc, repctivamente) e suas estabilidades físicas foram avaliadas durante o armazenamento a duas temperaturas (4 e 25 °C). A composição do óleo de semente de abóbora variou conforme a espécie avaliada. OSA C. pepo apresentou os maiores teores de ácidos graxos poli-insaturados, carotenoides totais e clorofilas, e estabilidade oxidativa mais baixa. Por outro lado, OSA C. maxima apresentou maior estabilidade à oxidação e teor de tocoferóis totais e OSA C. moschata tinha um maior teor de β-caroteno e δ-tocoferol. Nanomax e nanopepo foram mais estáveis para o crescimento de gotículas a 4 °C que a 25 °C, enquanto nanomosc foi mais estável em 25 °C. Nanopepo foi a formulação mais estável após os ciclos de aquecimento-resfriamento, enquanto nanomax foi o mais estável sob centrifugação independentemente da temperatura. Na segunda etapa foram desenvolvidas nanoemulsões de OSA e de óleo de soja carregadoras de luteína extraídas das flores de Tagetes spp., e foi avaliada a estabilidade física e química sob condições de temperatura e luz ultravioleta. A luteína foi carregada em duas formas: livre ou esterificada com ácido palmítico por meio de uma síntese orgânica. Os dados obtidos apresentaram um comportamento consistente com modelo cinético de primeira ordem. As nanoemulsões apresentaram uma boa estabilidade física de forma geral. Com relação às nanoemulsões carregadoras de luteína, o éster produzido pela síntese foi menos estável sob condições de luz e temperatura (45 °C) que aquelas com luteína livre. As nanoemulsões com OSA geraram maior retenção do carotenoide até o final do armazenamento sob 45 °C. Enquanto as nanoemulsões sob exposição à luz UV, as nanoemulsões de OSA foram mais estáveis no que diz respeito ao éster de luteína, enquanto a luteína livre apresentou menor degradação nas nanoemulsões de óleo de soja. Esta pesquisa sobre OSA buscou promover o consumo e aplicação do óleo em sistemas nanoemulsificados. Ademais a termo e foto estabilidades de compostos bioativos, especificamente da luteína, é fundamental para um melhor entendimento do seu comportamento nas condições de
Abstract: Pumpkins (Cucurbita spp.) are grown extensively around the world, as they are considered species with important nutritional value and economic importance. Its seed oil is considered a rich natural source of bioactive compounds, such as phytosterols, tocopherols, polyunsaturated fatty acids and carotenoids. This proposal sought technological alternatives for the food application of pumpkin seed oil, through the development of nanoemulsions. The project was conducted in two stages. In the first stage, the composition, the quality physico-chemical parameters and the antioxidant capacity of pumpkin seed oils (PSO) from Cucurbita pepo, C. maxima and C. moschata jacarezinho cultivated in Brazil were determined. Subsequently, nanoemulsions were developed with each PSO (nanopepo, nanomax and nanomosc, repetitively) and their physical stability was evaluated during storage at two temperatures (4 and 25 ° C). The composition of pumpkin seed oil varied according to the species evaluated. C. pepo PSO showed the highest levels of polyunsaturated fatty acids, total carotenoids and chlorophylls, and the lowest oxidative stability. On the other hand, C. maxima PSO showed greater oxidation stability and total tocopherol content and C. moschata PSO had a higher content of β-carotene and δ-tocopherol. Nanomax and nanopepo were more stable for droplet growth at 4 ° C than at 25 ° C, while nanomosc was more stable at 25 ° C. Nanopepo was the most stable formulation after heating-cooling cycles, while nanomax was the most stable under centrifugation regardless of temperature. In the second stage, PSO nanoemulsions and lutein-bearing soybean oil extracted from Tagetes spp. Flowers were developed, and the physical and chemical stability was evaluated under conditions of temperature and ultraviolet light. Lutein was loaded in two forms: free or esterified with palmitic acid through organic synthesis. The data obtained showed a behavior consistent with the first order kinetic model. The nanoemulsions showed good physical stability in general. Regarding lutein-carrying nanoemulsions, the ester produced by the synthesis was less stable under light and temperature conditions (45 ° C) than those with free lutein. PSO nanoemulsions generated greater carotenoid retention until the end of storage under 45 ° C. Under exposure to UV light, PSO nanoemulsions were more stable with respect to lutein ester, while free lutein showed less degradation in soybean oil nanoemulsions. This research on PSO sought to promote oil consumption and application in nanoemulsified systems. In addition, the term and photo-stability of bioactive compounds, specifically lutein, is fundamental for a better understanding of their behavior under conditions of industrial application, maintenance of bioactive compounds and the chemical characterization of emulsions
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós Graduação em Nutrição Humana, 2020.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Appears in Collections:NUT - Doutorado em Nutrição Humana (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/40511/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.