Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/40382
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_SorayaKatiaRodriguesPereira.pdf1,46 MBAdobe PDFView/Open
Title: Tornar-se família : o processo de filiação na adoção tardia
Authors: Pereira, Soraya Kátia Rodrigues
metadata.dc.contributor.email: soraya.pereira@gmail.com
Orientador(es):: Queiroz, Elizabeth
Assunto:: Adoção - aspectos psicológicos
Crianças adotadas
Adolescentes adotados
Pais adotivos
Filiação
Família - aspectos psicológicos
Issue Date: 29-Mar-2021
Citation: PEREIRA, Soraya Kátia Rodrigues. Tornar-se família: o processo de filiação na adoção tardia. 2020. 105 f., il. Dissertação (Mestrado em Psicologia Clinica e Cultura)—Universidade de Brasília, Brasília, 2020.
Abstract: Adoção é o processo de transferência dos direitos da família biológica para uma adotiva. Contudo, pouco se sabe como se dá o processo de filiação à nova família. Esta pesquisa objetivou caracterizar o processo afetivo vivenciado por crianças e adolescentes adotados, em relação à família biológica e à família adotiva. Participaram do estudo cinco crianças, cinco adolescentes e seus pais adotivos, escolhidos por conveniência. Trata-se de estudo exploratório e descritivo, de abordagem qualitativa. Os dados foram analisados e organizados em nove categorias: Caracterização da amostra; Experiências anteriores à adoção; Composição familiar; O processo de adoção; A família de origem; Avaliação do processo de adoção; Conceito de adoção; Conceito de família e Implicações da relação entre os conceitos de família e adoção. Os resultados mostraram que as vivências anteriores à adoção evidenciam a percepção das crianças e dos adolescentes sobre a importância do cuidado para a sobrevivência. Foram observadas contradições na caracterização da composição familiar após adoção. A perspectiva de ter uma nova família foi percebida como positiva pelas crianças e pelos adolescentes, mas existe um conflito relacionado aos sentimentos relativos às duas famílias. Ainda que os conceitos de adoção e de família variem entre os pais, crianças e adolescentes, quando analisados em conjunto o resultado indica que há uma expectativa comum associada a um compromisso permanente entre as pessoas. Garantir espaços para conversar sobre como a criança e o adolescente adotados reconfiguram suas famílias é um suporte importante para diminuição do sofrimento associado à constituição de um novo pertencimento familiar.
Abstract: The adoption process is the transferring of a biological family’s rights to an adoptive family. However, little is known about how the child’s/teenager’s relationship is established with the adoptive family. The goal of this research was to characterize the affective process adoptive children and teenagers went through in regard to their biological and adoptive families. Five children, five teenagers and eight adoptive parents, conveniently chosen, took part of this research. This is an exploratory, descriptive study with a qualitative approach. Data was analyzed and organized into nine categories: Sample characterization; Experiences before adoption; The family composition; The adoption process; Family of origin; Adoption process evaluation; The concept of adoption; The concept of family and The implications of the relationship between the concepts of family and adoption. Results revealed that experiences prior to adoption highlight children’s and teenager’s views about the importance of basic survival care. Inconsistencies regarding the family’s composition after adoption were observed. The possibility of having a new family was met with positivity by children and teenagers. However, there was a conflict observed in relation to feelings towards the biological and adoptive families. Although the concepts of family and adoption differ between parents, children and teenagers, there is a shared expectation concerning permanent commitment between them, when results are analyzed together. Providing space for adoptive children and teenagers to talk about how they reconfigure their families is an important support in diminishing suffering associated with establishing a new family belonging.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2020.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:PCL - Mestrado em Psicologia Clínica e Cultura (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/40382/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.