Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/40319
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_SilviaEmanoellaSilvaMartinsdeSouza.pdf544,24 kBAdobe PDFView/Open
Title: Desfecho dos pacientes que evoluíram com síndrome cardiorrenal com suporte dialítico que foram transplantados de coração em hospital referência no centro-oeste do Brasil
Authors: Souza, Silvia Emanoella Silva Martins de
Orientador(es):: Atik, Fernando Antibas
Assunto:: Lesão renal aguda
Transplante de coração
Diálise
Cardiomiopatia chagásica
Issue Date: 26-Mar-2021
Citation: SOUZA, Silvia Emanoella Silva Martins de. Desfecho dos pacientes que evoluíram com síndrome cardiorrenal com suporte dialítico que foram transplantados de coração em hospital referência no centro-oeste do Brasil. 2020. 45 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas)—Universidade de Brasília, Brasília, 2020.
Abstract: Introdução: A principal causa de óbitos em pacientes dialíticos é a cardiopatia (REIS, 2011). Cerca de 50% dos pacientes dialíticos falecem a partir de um evento cardíaco (FOLEY et al, 1998; HERBERT et al, 2010). Pacientes dialíticos tem mortalidade cardiovascular 30 vezes maior e 500 vezes maior entre 25 e 34 anos de idade, relacionados a população em geral da mesma idade e etnia (FOLEY et al, 1998; SARNAK et al, 2003). Objetivo: Determinar os resultados precoces e tardios de pacientes submetidos a transplante cardíaco ortotópico em diálise. Métodos: No período de janeiro de 2012 a dezembro de 2017, 51 pacientes com choque cardiogênico sob dependência inotrópica foram submetidos a transplante cardíaco ortotópico. Pacientes com e sem hemodiálise pré-transplante foram comparados em relação aos resultados hospitalares e sobrevida a longo prazo. O modelo de risco proporcional de Cox identificou preditores de mortalidade tardia. Resultados: Houve uma tendência de maior mortalidade em pacientes com hemodiálise pré-operatória (33,3% versus 11,9%, p = 0,1). A diálise também foi necessária em 52,4% dos pacientes que não estavam em diálise pré-operatória. Todos os sobreviventes tiveram recuperação completa da função renal, com tempo semelhante após o transplante [18,5 dias versus 15 dias, p = 0,75]. A sobrevida atuarial foi de 82,4%, 76,5% e 66,5% em 6 meses, 1 ano e 5 anos, respectivamente, sendo semelhante com ou sem diálise prétransplante (log-rank 0,79). Tempo isquêmico frio superior a 180 minutos (HR 4,37 IC95% 1,51 - 12,6; p = 0,006) e diálise pré-transplante (HR = 7,19 IC95% 1,13 - 45,7; p = 0,04) foram preditores independentes de mortalidade a longo prazo. Conclusões: Em um sistema de saúde com disponibilidade limitada de suporte circulatório mecânico, o transplante cardíaco no cenário de lesão renal aguda dependente de diálise está associado a maior risco imediato, com razoável sobrevida a longo prazo.
Abstract: Introduction: The main cause of death in dialysis patients is heart disease (REIS, 2011). Approximately 50% of dialysis patients die from a cardiac event (FOLEY et al, 1998; HERBERT et al, 2010). Dialysis patients have cardiovascular mortality 30 times higher and 500 times higher between 25 and 34 years of age, related to the general population of the same age and ethnicity (FOLEY et al, 1998; SARNAK et al, 2003). Purpose: Determine the early and late outcomes of patients submitted to orthotopic heart transplantation in dialysis. Methods: From January 2012 to December 2017, 51 patients with cardiogenic shock under inotrope dependence, were submitted to orthotopic heart transplantation. Patients with and without pre-transplant hemodialysis were compared in regard to in-hospital outcomes and long-term survival. Cox proportional hazard model identified predictors of late mortality. Results: There was a tendency of higher mortality in patients with preoperative hemodialysis (33.3% versus 11.9%, p=0.1). Dialysis was also required in 52.4% of patients that were not on preoperative dialysis. All survivors had full recovery of the kidney function, with similar timing after transplant [18.5 days versus 15 days, p=0.75]. Actuarial survival was 82.4%, 76.5% and 66.5% at 6 months, 1 year and 5 years, respectively, being similar with or without pre-transplant dialysis (log-rank 0.79). Cold ischemic time greater than 180 minutes (HR 4.37 CI95% 1.51 – 12.6; p=0.006) and pre-transplant dialysis (HR=7.19 CI95% 1.13 – 45.7; p=0.04) were independent predictors of long-term mortality. Conclusions: In a health system with limited availability of mechanical circulatory support, heart transplantation in the setting of dialysis-dependent acute kidney injury is associated with greater immediate risk, with reasonable long-term survival.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, 2020.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:FMD - Mestrado em Ciências Médicas (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/40319/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.