Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/39991
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_MilenaSamoradosSantos.pdf8,17 MBAdobe PDFView/Open
Title: Diferenças entre os sexos no controle neural da pressão arterial durante o exercício isométrico
Authors: Santos, Milena Samora dos
Orientador(es):: Vianna, Lauro Casqueiro
Assunto:: Sistema nervoso autônomo
Frequência cardíaca
Pressão arterial
Reflexo pressor do exercício
Diferenças sexuais
Issue Date: 28-Jan-2021
Citation: SANTOS, Milena Samora dos. Diferenças entre os sexos no controle neural da pressão arterial durante o exercício isométrico. 2020. 171 f., il. Tese (Doutorado em Educação Física)—Universidade de Brasília, Brasília, 2020.
Abstract: O objetivo geral da presente tese foi de verificar as possíveis diferenças entre os sexos nos mecanismos neurovasculares de controle de pressão arterial (PA) durante o exercício isométrico de preensão manual e ativação isolada do metaborreflexo muscular. Para atingir tal objetivo, foram realizados três estudos, que apresentam os seguintes objetivos específicos: o Estudo 1 foi de investigar o efeito da ativação isolada do metaborreflexo muscular no barroreflexo cardíaco e caracterizar as possíveis diferenças relacionadas ao sexo nessa interação em jovens saudáveis. O Estudo 2 foi de investigar as possíveis diferenças entre homens e mulheres jovens na recuperação da frequência cardíaca (FC) e reativação vagal cardíaca no final do exercício isométrico e início da isquemia pós-exercício (IPE). Por fim, o objetivo do Estudo 3 que foi de testar a contribuição dos receptores β-adrenérgicos nas diferenças entre homens e mulheres na regulação da PA durante exercício isométrico e ativação isolada do metaborreflexo muscular. No Estudo 1, 40 voluntários jovens e saudáveis [20 homens (21 ± 0,6 anos) e 20 mulheres (23 ± 0,6 anos)] foram submetidos ao exercício isométrico de preensão manual seguido por ativação isolada do metaborreflexo muscular via IPE. A FC e PA foram medidas batimento-a-batimento, a sensibilidade do barorreflexo cardíaco espontâneo foi analisado utilizando a técnica da sequência e foi estimada a atividade autonômica cardíaca através dos índices de variabilidade da FC (VFC). Os resultados demonstraram que a sensibilidade barorreflexa cardíaca espontânea é semelhante entre homens e mulheres durante o repouso. Contudo, ela foi aumentada durante a IPE em homens, mas não em mulheres. Os dados da VFC mostraram um maior aumento da atividade vagal em homens comparado com mulheres durante a IPE. No Estudo 2, 47 voluntários jovens e saudáveis [24 homens (21 ± 2 anos) e 23 mulheres (23 ± 3 anos)] foram recrutados e submetidos ao mesmo protocolo citado anteriormente. Contudo, as análises de FC, PA e VFC foram feitas durante os últimos 30s do exercício e imediatamente após (primeiros 30s do início da IPE). Extrapolando os achados do primeiro estudo, as mulheres apresentaram uma recuperação da FC mais lenta do que os homens nos 30s iniciais da IPE, acompanhado de menores valores de atividade parassimpática para o coração. Por fim, no Estudo 3, foram recrutados 16 voluntários jovens e saudáveis [8 homens (20 ± 0,5 anos) e 8 mulheres (24 ± 1,4 anos)]. As medidas hemodinâmicas foram similares às dos estudos anteriores, adicionando as medidas de volume sistólico, DC e RVP via método Modelflow. Os participantes foram submetidos a um protocolo de exercício isométrico isquêmico seguido por IPE. Além disso, de maneira cega e randomizada, os participantes também foram submetidos à ingestão de pílula placebo e bloqueador não seletivo dos receptores β-adrenérgicos (40mg propranolol). Durante a condição de placebo, a resposta de PA ao exercício foi menor em mulheres comparada com os homens. Contudo, o β-bloqueio atenuou a resposta de PA nos homens por uma redução no DC. Por outro lado, as mulheres não apresentaram alteração na resposta de PA, pois apesar de também terem reduzido o DC, aumentaram robustamente a RVP. Em conclusão, os estudos mostraram que há diferença entre os sexos na interação entre barorreflexo cardíaco e metaborreflexo muscular. Além disso, que diferenças entre os sexos na recuperação da FC durante a ativação do metaborreflexo muscular já são pronunciadas imediatamente após a interrupção do exercício, potencialmente mediadas por diferenças na reativação vagal. Por fim, conclui-se que há diferenças entre os sexos na regulação da PA durante o exercício isométrico de preensão manual e que são mediadas, principalmente, por receptores β-adrenérgicos.
Abstract: The overall aim of the present thesis was to verify the possible sex differences in the neurovascular mechanisms of blood pressure (BP) control during isometric handgrip exercise and isolated muscle metaboreflex activation. Three studies were carried out, which present the following specific aims: Study 1 aimed to investigate the effect of isolated muscle metaboreflex activation on cardiac barroreflex activity, and also to characterize the possible sex related differences in this interaction. The aim of Study 2 was to further explore the findings from Study 1 investigating the possible sex related differences in heart rate (HR) recovery and vagal reactivation at the end of isometric exercise and onset of post-exercise ischemia (PEI). Finally, the aim of Study 3 was to test the role of β-adrenergic receptors in the differences between men and women in BP regulation during isometric exercise and isolated muscle metaboreflex activation. In Study 1, 40 young and healthy volunteers [20 men (21 ± 0.6 yr) and 20 women (23 ± 0.6 yr)] underwent an isometric handgrip exercise followed by muscle metaboreflex activation via PEI. Beat-to-beat HR and BP were continuously measured. In addition, the spontaneous cardiac baroreflex sensitivity was analyzed using the sequence technique, and cardiac autonomic activity was estimated using HR variability (HRV) indexes. The results demonstrated that spontaneous cardiac baroreflex sensitivity is similar between men and women at rest. However, it was increased during PEI in men, but not in women. HRV indexes showed a greater increase in vagal activity in men compared to women during PEI. In Study 2, 47 young and healthy participants [24 men (21 ± 2 yr) and 23 women (23 ± 3 yr)] were recruited and submitted to the same protocol of exercise and PEI. However, the HR, BP and HRV were analyzed during the last 30s of the exercise and immediately after the cessation of exercise (first 30s at the onset of PEI). Women demonstrated a slower HR recovery compared to men at the onset of PEI. This result was accompanied by a lower response in parasympathetic activity to the heart in women compared to men. In Study 3, 16 young and healthy participants [8 men (20 ± 0.5 yr) and 8 women (24 ± 1.4 yr)] were recruited. Hemodynamic measurements were similar from those previous studies with further measurements of stroke volume, CO and TPR using Modelflow method. The participants underwent an ischemic isometric exercise protocol followed by PEI. In addition, in a blind and randomized design, participants were also submitted to a placebo pill and a non-selective blocker of β-adrenergic receptors (40mg propranolol). During the placebo condition, the BP response to exercise was lower in women compared to men. During β-blockade, men showed an attenuated BP response during exercise by a reduction in CO. Even though women also demonstrated a reduction in CO during the β-blockade, the BP response was not affected because they have a robust increase in TPR. In conclusion, the studies showed that there is a sex related differences in the interaction between cardiac baroreflex and muscle metaboreflex. Furthermore, the sex differences in HR recovery during muscle metaboreflex activation are already pronounced immediately after the cessation of exercise, potentially mediated by differences in vagal reactivation. In addition, there are sex differences in BP regulation during isometric handgrip exercise, mainly mediated by β- adrenergic receptors.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação Física, Programa de Pós-Graduação em Educação Física, 2020.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Appears in Collections:FEF - Doutorado em Educação Física (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/39991/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.