Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/39505
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_AndreaSchettinoTavares.pdf2,93 MBAdobe PDFView/Open
Title: Adolescentes que cometeram ofensa sexual, seus contextos e vulnerabilidades
Other Titles: Adolescents that have committed sexual offense, their contexts and vulnerabilities
Authors: Tavares, Andrea Schettino
metadata.dc.contributor.email: andreaschettino9@gmail.com
Orientador(es):: Costa, Liana Fortunato
Assunto:: Ofensa sexual
Adolescentes
Família - aspectos psicológicos
Polivitimização
Violência sexual
Issue Date: 6-Oct-2020
Citation: TAVARES, Andrea Schettino. Adolescentes que cometeram ofensa sexual, seus contextos e vulnerabilidades. 2020. 206 f., il. Dissertação (Mestrado em Psicologia Clinica e Cultura)—Universidade de Brasília, Brasília, 2020.
Abstract: A ofensa sexual é uma questão complexa e de saúde pública. É necessário que mais estudos sejam desenvolvidos no contexto brasileiro considerando o autor da ofensa, a fim de avançar esse conhecimento e intervir adequadamente, possibilitando a interrupção do ciclo da violência. Nesta pesquisa, buscou-se aprofundar o conhecimento sobre os adolescentes, a partir da inspiração dos estudos de David Finkelhor sobre polivitimização sofrida na infância e adolescência. O objetivo foi identificar as vulnerabilidades presentes nos contextos pessoal, sexual, familiar e social/comunitário dos adolescentes que cometeram ofensa sexual. O estudo teve como fundamentação epistemológica o Pensamento Sistêmico considerando a perspectiva de inter-relação entre os fenômenos. Compreende-se que os adolescentes estão em um período de desenvolvimento, em que ocorrem várias mudanças, e estão inseridos em seu contexto sócio-histórico-cultural. É principalmente na fase da adolescência que a sexualidade está se desenvolvendo e sendo descoberta. Compreende-se que o cometimento do ato sexual ofensivo ocorre devido a um conjunto de diversos fatores. Esta pesquisa foi realizada em uma unidade de saúde pública que oferece atendimento especializado para adolescentes que cometeram ofensa sexual e suas famílias (CEPAV Jasmim). O método utilizado foi de caráter qualitativo a partir da pesquisa-ação com complementação das informações por meio da aplicação de outros instrumentos. Os adolescentes participaram de entrevistas psicossociais e de uma intervenção psicossocial grupal, o Grupo Multifamiliar (GM) – parte da ação desta pesquisa. A coleta de informações foi realizada antes, durante e após o GM, com os seguintes instrumentos: registros das histórias de vida, registros das sessões do GM, Genogramas, Mapas da Rede e desenhos da planta baixa da casa e do mapa da vizinhança. Participaram da pesquisa nove adolescentes e suas famílias. A apresentação dos resultados foi organizada de acordo com as vulnerabilidades constantes de cada instrumento. Nas histórias de vida, observaram-se vulnerabilidades relativas aos adolescentes, à escolaridade, à família e às vítimas. Nas sessões do GM, identificaram-se ausência de confiança nas relações familiares, necessidade de proteção e orientação, dúvidas e dificuldades em conversar sobre sexualidade e diversas violências. Nos Genogramas, houve presença de diversos conflitos e violências nas famílias. Nos desenhos da planta baixa da casa e do mapa da vizinhança, destacou-se uma organização interna e externa, em princípio, adequadas. Nos Mapas da Rede, houve distribuição equilibrada entre os quadrantes, com representação de poucas pessoas, presença de profissionais do sistema socioeducativo e unidades de saúde. A discussão foi apresentada conforme as vulnerabilidades identificadas em cada contexto. No contexto pessoal, foi discutido sobre polivitimização, sentimentos e educação formal; no contexto sexual: educação sexual, assim como violências e sexualidade; no contexto familiar: organização interna e qualidade da interação familiar; e no contexto social/comunitário: organização externa, condição socioeconômica e rede de apoio. Observou-se que os adolescentes da pesquisa vivem em contextos interconectados por vulnerabilidades, e apresentam maior vulnerabilidade nas relações familiares violentas; além de carência de proteção, diálogo e educação sexual, sendo importante que sejam orientados e supervisionados. O estudo possibilitou iniciar um caminho para o planejamento de ações visando à prevenção do cometimento da ofensa sexual, identificando aspectos de vulnerabilidade para intervir, com articulação entre saúde, assistência e justiça. Espera-se que as informações construídas sejam úteis para a prática profissional e embasamento de políticas públicas, com aprimoramento de intervenções com os adolescentes autores de ofensa sexual e suas famílias, pois é importante oferecer um serviço de qualidade, embasado cientificamente e que considere os contextos intra e extrafamiliar.
Abstract: Sexual offense is a complex public health issue. More studies must be developed considering the offender in the Brazilian context, in order to advance this field of knowledge and intervention, enabling the interruption of the cycle of violence. In order to deepen the knowledge about adolescents, this study is based on David Finkelhor's studies of polyvictimization suffered in childhood and adolescence. The objective of this research was to identify the vulnerabilities present in the personal, sexual, family and social/community contexts of the adolescents that have committed sexual offense. The study had an epistemological foundation on System Thinking considering the perspective of interrelationship between phenomena. It is understood that adolescents are in a period of development, in which several changes occur, and they are inserted in their own socio-historical- cultural context. It is mainly during adolescence that sexuality is developed and discovered. It is understood that the sexual offense occurs because of several factors. The research was carried out in a public health institution that offers specialized treatment for adolescents that have committed sexual offense and their families (CEPAV Jasmim). The method used was qualitative based on action research with complementation through other instruments. The adolescents participated in psychosocial interviews and in a psychosocial group intervention, the Multifamiliar Group (MG) – part of the action of this research. The collection of information was carried out before, during and after the MG, with the following instruments: records of participants’ life histories, records of the MG sessions, Family Genograms, Maps of Social Network and drawings of the house floor plan and the neighborhood map. Nine adolescents and their families participated in the research. The results were organized according to the type of vulnerabilities contained in each instrument. In participants’ life histories, vulnerabilities were observed in relation to adolescents, education, family and victims. In the sessions of the MG, observations indicated a lack of trust in family relationships, the need for protection and guidance, doubts and difficulties in talking about sexuality and various types of violence. In the participants’ Family Genograms, there was the presence of several conflicts and violence in the families. In the drawings of the house floor plan and the neighborhood map, adequate internal and external organizations were observed. In the Maps of Social Network, there was a balanced distribution between the quadrants, with representation of few people, the presence of professionals from the socio-educational system and health units. The discussion was presented according to the vulnerabilities identified in each context. In the personal context, polyvictimization, feelings and formal education were discussed; in the sexual context: sex education as well as violence and sexuality; in the family context: internal organization and quality of family interaction; and in the social/community context: external organization, socioeconomic status and support network. It was observed that the adolescent participants of this research live in contexts interconnected by vulnerabilities, amongst which violent family relationships was the most frequent type of vulnerability found. Other vulnerabilities observed included lack of protection, dialogue and sex education. Strategies to deal with these findings demand orientation and supervising of these adolescents. This study allows planning of actions aimed at preventing sexual offense, identifying aspects of vulnerability to step in, with articulation of health, social work and justice systems. The information constructed might be useful for professional practice and implementation of public policies, promoting the improvement of interventions with adolescent sexual offenders and their families, as it is important to offer a quality, scientifically based service that considers intra and extrafamilial contexts.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2020.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Appears in Collections:PCL - Mestrado em Psicologia Clínica e Cultura (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/39505/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.