Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/39490
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_PedroAnteroBragaCordeiro.pdf16,14 MBAdobe PDFView/Open
Title: Análises de eficiência como subsídio para políticas educacionais : três ensaios empregando dados de escolas de Ensino Básico do Distrito Federal
Authors: Cordeiro, Pedro Antero Braga
Orientador(es):: Andrade, Joaquim Pinto de
Assunto:: Eficiência (Serviço público)
Educação pública
Políticas públicas educacionais
Educação - avaliação
Educação básica
Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb)
Exame Nacional do Ensino Médio (Brasil)
Issue Date: 1-Oct-2020
Citation: CORDEIRO, Pedro Antero Braga. Análises de eficiência como subsídio para políticas educacionais: três ensaios empregando dados de escolas de Ensino Básico do Distrito Federal. 2020. 198 f., il. Tese (Doutorado em Economia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2020.
Abstract: Os gastos do governo brasileiro com o Ensino Básico subiram 162% em termos reais entre 2005 e 2015, para R$ 294 bilhões, enquanto os resultados do país na avaliação internacional do PISA evoluíram apenas 3% no mesmo período. A melhora deste cenário passa pelo desenvolvimento de ferramentas que possam auxiliar os governos a acessarem as eficiências de seus sistemas educacionais. Neste trabalho, discutimos metodologias que podem ser utilizadas para este fim e propomos alternativas capazes de mitigar algumas de suas fragilidades. Organizamos o estudo em três ensaios, que apresentamos de maneira quase independente. No primeiro ensaio, avaliamos se a utilização de proxies para representar os gastos dos governos com a educação pública é suficiente para prover informações precisas sobre a eficiência de seus sistemas de ensino. Nossos resultados apontam que tal prática — empregada na maioria dos estudos recentes sobre a eficiência de sistemas educacionais — traz prejuízos consideráveis à consistência dos índices de eficiência estimados por meio do método DEA de múltiplos estágios (hoje a principal ferramenta utilizada para este fim). No segundo ensaio, procuramos entender quais fatores, controláveis ou não pelos gestores escolares, mais impactam as eficiências das escolas de Ensino Básico do Distrito Federal. Nossos resultados mostram que variáveis ambientais relacionadas ao nível de educação e renda dos pais e à segurança das escolas são as que mais afetam a dimensão da eficiência associada ao desempenho dos alunos (IDEB) para os anos iniciais do Ensino Fundamental. Para os anos finais do Ensino Fundamental e para o Ensino Médio, fatores relacionados ao comportamento dos alunos e a incentivos dos pais aos estudos são os que mais influenciam a dimensão da eficiência associada ao potencial de atendimento das escolas (número de matrículas). No que concerne à gestão escolar, variáveis relacionadas à atuação do Conselho Escolar, ao tamanho das turmas e à comunicação interna são as que apresentam maiores potenciais de impactarem os índices de eficiência. No último ensaio, discutimos algumas das críticas recentes ao método DEA de múltiplos estágio e testamos a abordagem alternativa (probabilística) de [Cazals et al. 2002; Daraio e Léopold Simar 2005] para o cálculo de índices de eficiência de escolas das redes públicas e privadas do Distrito Federal. Apesar de a hipótese de separabilidade — sobre a qual se sustenta método de múltiplos estágios — não ser satisfeita para a amostra de escolas públicas de Ensino Fundamental (Anos Iniciais), os resultados do método probabilístico confirmam a maior parte das conclusões obtidas por meio do método de [Fried et al. 2002], empregado no segundo ensaio. A abordagem probabilística mostra, ainda, que as escolas da rede privada são, em média, mais eficientes que aquelas da rede pública, mesmo após considerarmos os efeitos heterogêneos das variáveis ambientais às quais essas duas redes de ensino estão sujeitas.
Abstract: Brazilian government spending on basic education rose 162% in real terms between 2005 and 2015, reaching R$294 billion. Improving this scenario requires the development of tools that can help governments access the efficiency of their educational systems. In this work, we discuss methodologies that can be used for this purpose and propose alternatives that can mitigate their weaknesses. We organize this study in three trials, which are largely independent from each other. The first essay assesses whether the use of proxies to represent government spending on public education provides sufficient and accurate information on the efficiency of their teaching systems. Our results indicate that such practices significantly damage the consistency of the efficiency rates estimated by the multi-stage DEA method (currently the most important tool used for this purpose.) In the second essay we seek to understand which factors — either controllable or not by school managers — have a greater influence on the efficiencies of the primary schools in the Federal District. Our results indicate that environmental variables related to the level of education and income of parents and to school safety have a greater impact on the dimension of efficiency associated with student performance (IDEB) during the initial years of elementary school. In the final years of elementary school and high school, student behavior and parents’ incentives mainly impact the efficiency associated with enrollments. Regarding school management, variables related to the School Council’s performance, class size, and internal communication have the greatest potential to impact efficiency rates. In the last essay, we discuss some of the recent criticisms of the multi-stage DEA method and test the alternative (probabilistic) approach of [Cazals et al. 2002; Daraio e Léopold Simar 2005] for calculating the efficiency rates of schools in public and private networks in the Federal District. Although the separability hypothesis on which the multiple-stage method relies does not hold for the sample of public elementary schools (Initial Years), the results of the probabilistic method confirm most conclusions obtained with the method of [Fried et al. 2002] in the second essay. The probabilistic approach also shows that private schools are on average more efficient than those of the public network even after considering the heterogeneous effects of the environmental variables to which these two educational networks are subjected.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Administração, Contabilidade, Economia e Gestão de Políticas Públicas, Departamento de Economia, Brasília, 2020.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:ECO - Doutorado em Economia (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/39490/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.