Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/3947
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2009_AnaLuisaRegoJulio.pdf4,26 MBAdobe PDFView/Open
Title: Avaliação das condições da mucosa oral em mulheres na pós-menopausa e em homens acima dos 60 anos
Authors: Julio, Ana Luiza Rego
Orientador(es):: Melo, Nilce Santos de
Assunto:: Mulheres - saúde e higiene
Idosos - saúde e higiene
Mucosa bucal - idosos
Issue Date: 20-Feb-2009
Citation: JULIO, Ana Luiza Rego. Avaliação das condições da mucosa oral em mulheres na pós-menopausa e em homens acima dos 60 anos. 2009. 99 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde)-Universidade de Brasília, Brasília, 2009.
Abstract: Com o aumento da população acima dos 60 anos tornam-se necessários novos estudos para o aprimoramento do conhecimento do perfil dessa população. Estudos referentes à saúde sistêmica e a saúde bucal da população idosa tem sido alvo de grande interesse para os pesquisadores. Nosso estudo teve como objetivo identificar a prevalência de lesões bucais e fatores de risco para o desenvolvimento de osteonecrose em homens acima dos 60 anos e mulheres pós-menopausa. Foram analisados 147 pacientes que fazem parte do Programa de Prevenção e Diagnóstico da Osteoporose da Secretária de Saúde do Distrito Federal que fazem uso de bisfosfonato de sódio ou que tenham indicação para seu uso. Foram realizados exames clínicos e análises de radiografias panorâmicas. A grande maioria da nossa população era composta por pacientes edêntulos, sendo que sete em cada dez utilizavam algum tipo de prótese. Ressalta-se que uma grande parcela dessas próteses,estavam em condições precárias de higiene e adaptação. Dentre as variações da normalidade identificadas destacaram-se as varicosidades (44%), os grânulos de Fordyce (27%), melanoses (14%) e a língua fissurada (4%). Dentre as lesões as mais prevalentes estão associadas ao uso de próteses: estomatites por dentadura (26%), hiperplasia fibrosa inflamatória (11%), candidose (7%) e queilite angular (3%). Nos exames radiográficos, houve uma grande prevalência de doenças periodontais (41,5%), além de restos radiculares (17,7%), esclerose óssea (8,2%) e dentes com indicações de exodontias por apresentar danos irreversíveis (3,4%). Os dados do tabagismo nos remetem que apenas 6,8% dos pesquisados relataram serem fumantes. Contudo mais de um terço afirmou ser ex-fumante o pode ser reflexo do trabalho do Programa ao qual estão inseridos. Podemos verificar também uma tendência dos fumantes de apresentarem menor número de dentes e um maior risco de apresentarem algum tipo de lesão bucal. Nenhum caso de osteonecrose foi encontrado. Os fatores de risco para o desenvolvimento de osteonecrose secundária ao uso de bisfosfonatos são: exodontias, periodontites, higiene deficiente, traumas por uso de próteses e lesões de mucosa. Pacientes que fazem uso de BFs e que necessitam de atendimento odontológico são potencialmente de risco para o desenvolvimento de osteonecrose. Com isso, devem ter um atendimento odontológico cauteloso e diferenciado. A indicação, feita pelo médico, para um encaminhamento ao cirurgião-dentista previamente ao início da terapia com bisfosfonatos torna-se fundamental para a manutenção da saúde desses pacientes.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2009.
Appears in Collections:PPGCS - Mestrado em Ciências da Saúde (Dissertações)
UnB - Brasília 50 anos

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/3947/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.