Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/39371
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_AmandaOliveiraSanfilippo.pdf21,18 MBAdobe PDFView/Open
Title: “Êsses Gerais são sem tamanho” : práticas e saberes agrícolas das mulheres da comunidade geraizeira do Pau D’arco, Montezuma e Santo Antônio do Retiro, MG
Authors: Sanfilippo, Amanda Oliveira
Orientador(es):: Nogueira, Mônica Celeida Rabelo
Coorientador(es):: Silva, Andréa Leme da
Assunto:: Sistemas agrícolas
Comunidades tradicionais
Geraizeiras
Mulheres rurais
Cerrados
Agrobiodiversidade
Issue Date: 10-Aug-2020
Citation: SANFILIPPO, Amanda Oliveira. “Êsses Gerais são sem tamanho”: práticas e saberes agrícolas das mulheres da comunidade geraizeira do Pau D’arco, Montezuma e Santo Antônio do Retiro, MG. 2020. 142 f., il. Dissertação (Mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural)—Universidade de Brasília, Brasília, 2020.
Abstract: Os saberes e práticas dos povos e comunidades tradicionais são relevantes para a conservação da agrobiodiversidade. Entretanto, o papel das mulheres nestas sociedades tem sido pouco investigado pela literatura. O presente estudo tem por objetivo investigar as práticas e os saberes agrícolas operados pelas mulheres e relacioná-los à conservação da agrobiodiversidade. Os estudos de campo foram conduzidos entre 2018 e 2019 na comunidade geraizeira do Pau D'arco, localizada nos municípios de Montezuma e Santo Antônio do Retiro, no extremo Norte de Minas Gerais. Os dados de campo foram obtidos a partir de entrevistas informais, caminhadas transversais, diário de campo e croquis das propriedades. Ao todo foram entrevistadas 19 mulheres distribuídas em 15 casas. As hortas e os quintais são de responsabilidade predominantemente feminina, os quais são essenciais para a criação e/ou manutenção da agrobiodiversidade. Tais espaços são berço da maioria das espécies vegetais presentes na comunidade, os quais são também centros de experimentação e de inventividade constante. Das 73 espécies encontradas, 54 (74%) estão nos quintais. Como exemplo, as plantas frutíferas, ornamentais e medicinais estão, quase que totalmente, localizadas neste espaço. A investigação permitiu compreender o papel central das mulheres na manutenção dos espaços doméstico e de cultivo (ex. alimentar, medicinal), o que contribui para o bem-estar físico e emocional da comunidade. Além disso, as desigualdades e injustiças da divisão sexual do trabalho invisibilizam as múltiplas tarefas, compreendidas como femininas, que sobrecarregam as mulheres. Finalmente, as mulheres estabelecem entre si teias de reciprocidade para aliviar a sobrecarga de trabalho. Nessas teias circulam bens materiais (plantas, animais, alimentos etc) e imateriais (conhecimentos, afeto, favores etc), que ajudam a disseminar as práticas e saberes locais.
Abstract: The traditional peoples and communities knowledge and practices are relevant to agrobiodiversity conservation. However, the women's role in these societies has been little investigated by the literature. The present study aims to investigate the agricultural practices and knowledge performed by women and relate them to agrobiodiversity conservation. Fieldwork was carried out between 2018 and 2019 in the Pau D'arco community, located in the municipalities of Montezuma and Santo Antônio do Retiro, farest north Minas Gerais State. Field data were collected from informal interviews, cross-walks, field diary and properties area sketches. In total, one interviewed 19 women distributed in 15 households. Homegardens and backyards are predominantly cared for by women, which are essential in the agrobiodiversity creation and/or maintenance. Such spaces are the nestle of the majority of plant species present in the community, which are also experimentation centers for ongoing inventiveness. From 73 species found in the study field, 91 (78%) were in the backyards. As an example, fructiferous, ornamental and medicinal plants are almost entirely located in this space. One of the main results is women's central role in keeping domestic and cultivation areas(e.g., food, medicinal)), which contributes to the community's physical and emotional well-being. Moreover, the sexual labor division inequalities and injustices turn invisible the multiple tasks understood as feminine that overburden women. Finally, women establish reciprocity meshworks to alleviate work overload. In these meshworks circulate material (e.g., plants, animals, food) and immaterial goods (e.g. affection, favors) that helps to disseminate practices and local knowledge.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade UnB Planaltina, Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural, 2020.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:FUP - Mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/39371/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.