Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/39173
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_IsadoraBachaLopes.pdf20,33 MBAdobe PDFView/Open
Title: Perspectiva de análise da economia compartilhada a partir da sustentabilidade : uma proposta conceitual e operacional
Authors: Lopes, Isadora Bacha
Orientador(es):: Alfinito, Solange
Assunto:: Economia compartilhada
Consumo colaborativo
Análise organizacional
Sustentabilidade
Sistema sócio-ecológico.
Issue Date: 7-Jul-2020
Citation: LOPES, Isadora Bacha. Perspectiva de análise da economia compartilhada a partir da sustentabilidade: uma proposta conceitual e operacional. 2020. 143f., il. Tese (Doutorado em Administração)—Universidade de Brasília, Brasília, 2020.
Abstract: Com a flexibilização do trabalho promovida pelo crescimento do serviço e da tecnologia, principalmente a Internet, novas formas de troca, baseadas em redes distribuídas, passaram a possibilitar novos arranjos econômicos, que transformaram recursos ociosos em serviços compartilhados. Assim, baseando-se no acesso em detrimento da posse, nas relações entre provedor e usuário mediadas por plataformas de colaboração e otimização de recursos subutilizados, surge a economia compartilhada (EC), com a promessa de promover sustentabilidade, conexão social e cidadãos ativos, aqueles que exercem sua cidadania. Apesar de estar atualmente em seu estágio formativo, a EC desperta diversas críticas relacionadas à precarização do trabalho, como concorrência desleal e ausência ou escassez de mecanismos de regulamentação. Dessa forma, o objetivo da presente tese é propor um modelo conceitual e operacional de análise organizacional a partir de três perspectivas da EC (materialista; distribuída e compartilhada). Para isso, foi realizado um estudo multicasos para as três diferentes perspectivas, baseado em entrevistas, análise documental e observação participante. A partir da análise organizacional de quatro casos (Yellow Bike, Cinese, Ecovila Terra Sublime e Clube de Compras Sustentável da Cafuringa), foi possível analisar vivências relacionadas às soluções de problemas ligados à mobilidade, educação, moradia e alimentação. Cada caso foi estudado à luz de uma das três perspectivas, visando compreender a situação de ação (como cada perspectiva funciona) e como as dimensões - governança colaborativa, atores (relação P2P) e recursos (plataforma de colaboração e recurso subutilizado) - geram e distribuem valor na EC. Por meio da análise dos casos, foi possível adaptar a ferramenta Sistema sócio-ecológico (SES) para o contexto da EC e identificar aspectos relevantes na análise da autogestão, da gestão participativa, da governança colaborativa e da criação do senso de coletividade. Foi observado que a perspectiva materialista se confunde com o consumo baseado no acesso, sob demanda e/ou no sistema produto-serviço. A perspectiva distribuída apresenta contribuição com importantes reflexões a respeito do papel dos intermediários e do nível de acesso entre os atores, além de demonstrar que a geração de receita está frequentemente associada à oferta de serviços adicionais. A perspectiva compartilhada demonstrou aproximação com a teoria do comum e a economia solidária. A partir dos casos estudados, observa-se que não é inerente à EC promover a sustentabilidade, e que a sua capacidade em distribuir os ganhos de forma equitativa ainda está em aberto. É essencial que a análise da EC seja feita de forma contextualizada. Por fim, destaca-se que a EC e as instituições reguladoras vêm evoluindo, mas que ainda estão em construção. Aspectos como acesso, comunidade, coletivo, colaboração, autonomia e relação entre pares fazem parte desses modelos de negócio e vêm contribuindo para que os usuários repensem os mecanismos de trocas vigentes no mercado. São apontadas, ainda, contribuições teóricas, metodológicas e gerenciais advindas da pesquisa, além de suas limitações e agenda de pesquisa.
Abstract: With the flexibilization of work promoted by the growth of service and technology, mainly the Internet, new forms of exchange, based on distributed networks, have enabled new economic arrangements, which transformed idle resources into sharing services. Thus, based on access rather than ownership, on the relationship between provider and user mediated by collaboration platforms and optimization of underutilized resources, the sharing economy (SE) emerges, promising to provide sustainability, social connection and active citizens. Although it is still in a formative stage, SE arouses several criticisms related to job insecurity, such as unfair competition and regulatory mechanisms. Thus, the objective of this thesis is to propose a conceptual and operational model for organizational analysis from three perspectives of SE (materialistic; distributed and shared). For this, a multi-case study was carried out, for three different perspectives, based on interviews and document analysis. From the organizational analysis of the four cases (Yellow Bike, Cinese, Ecovila Terra Sublime and Clube de Compras Sustentável da Cafuringa), it was possible to analyze experiences related to solutions to problems related to mobility, education, housing and food. Each case was studied in the light of one perspective, aiming to understand the action situation (how each perspective works) and how the dimensions: collaborative governance, actors (P2P relationship) and resources (collaboration platform and underutilized resource) generate and distribute value in SE. From the analysis of the cases, it was possible to adapt the socioecological system (SES) to the context of SE and identify relevant aspects in the analysis of self-management, participatory management, collaborative governance and the creation of a sense of community. It was observed that the materialistic perspective is confused with consumption based on access, on demand and / or the product-service system. The distributed perspective contributes with important reflections on the role of intermediaries and the level of access between the actors, in addition to demonstrating that the generation of revenue is often associated with the provision of additional services. The shared perspective demonstrated an approximation with the theory of the common and the solidarity economy. From the cases studied, it is observed that promoting sustainability is not inherent to SE and that its ability to distribute the gains in an equitable way is still open. It is essential to consider the diversity of contexts in SE, in order not to promote general analysis that would be foolhardy to attempt to prescribe now all of the policies and institutions that will fit the future. Aspects such as community, collective, collaboration, autonomy are part of these models and have contributed to rethinking the way of exchange of traditional market.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade e Gestão Pública, Programa de Pós-Graduação em Administração, 2020.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Appears in Collections:PPGA - Doutorado em Administração (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/39173/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.