Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/39154
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_MarcosCristovãoBaptista.pdf47,89 MBAdobe PDFView/Open
Title: Fósseis do grupo Bambuí (Ediacariano) no norte de Minas Gerais e suas implicações bioestratigráficas e geocronológicas.
Authors: Baptista, Marcos Cristóvão
Orientador(es):: Alvarenga, Carlos José Souza de
Coorientador(es):: Carmo, Demerval Aparecidodo
Assunto:: Fósseis
Isótopos de carbono
Citation: BAPTISTA, Marcos Cristóvão . Fósseis do Grupo Bambuí (Ediacariano) no Norte de Minas Gerais e suas implicações bioestratigráficas e geocronológicas.154 f., il. 2020. Tese (Doutorado em Geologia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2020.
Abstract: O Grupo Bambuí foi descrito em dois testemunhos de sondagem na região norte de Minas Gerais incluindo as formações Sete Lagoas, Serra de Santa Helena e Lagoa do Jacaré onde foi estudado de forma integrada os dados isotópicos (713C e 5180) e as assemblagens de acritarcos. Os valores de 513C em carbonatos de capa da Formação Sete Lagoas e iniciam com valores negativos (entre -3% e -6%o) que gradualmente passam para valores que chegam a atingir +10% no topo dessa formação. A assemblage de acritarcos encontrados incluem Octoedryxium truncatum, Taenitichoides Jarischevicus e Germinisphaera sp. e Paracrassosphaera dedalea, este último estabeleceu a presença de uma zona de abundância. Dentre os acritarcos presentes na Formação Sete Lagoas foi feito um re-estudo do Bambuites erichsenii (Sommer, 1971) que foi o primeiro microfóssil de parede orgânica descrito na Formação Sete Lagoas. Novas ocorrências dessa espécie recuperadas da localidade-tipo, como uma descrição complementar, apresentam uma emenda de diagnose para Bambuites erichsenii (Sommer, 1971) e para o gênero Bambuites (Sommer, 1971) que permitem inseri-lo no grupo dos Acantomorfos. Um outro grupo de acritarcos, com um importante significado cronoestratigráfico, conhecidos por vase shaped microfosils (VSM's), teve exemplares identificados em amostras provenientes do Grupo Vazante de idade toniana. A biota Ediacara (571-541 Ma) marca a primeira aparição de eucariontes multicelulares macroscópicos, de corpo mole e arquitetonicamente complexos na história da Terra. A maioria dos fósseis desta biota é preservada em rochas siliciclásticas, enquanto apenas algumas assemblagens fósseis são encontradas em rochas carbonáticas. Neste trabalho é relatada a primeira descoberta de fósseis de bilateriomorfos ediacarianos na América do Sul. Esses fósseis estão hospedados em calcários da Formação Lagoa do Jacaré, unidade intermediária do Grupo Bambuí, e incluem Eremolinea yacarei n. gen. n. sp. e Jaibella verdegrandensis n. gen. n. sp. Além disso, dois taxa foram encontrados no mesmo nível estratigráfico: Nilpenia rossi e Icnogênero. et sp. indet. 1. Eremolinea yacarei e Jaibella verdegrandensis são animais bilateralomorfos com hábitos de vida bentônicos enquanto o Icnogênero. et sp. indet. 1 é interpretado como trilhas deixadas por Eremolinea yacarei. Finalmente, Nilpenia rossi são interpretados como espécies bentônicas possivelmente sésseis, representadas por talos finos com ramos dicotômicos e ramificação dendrítica. Estas ocorrências apóiam as interpretações bioestratigráficas e paleoambientais da Formação Lagoa do Jacaré do Grupo Bambuí como uma unidade do Ediacariano diagnosticadas com idades entre 556 - 546 Ma, logo com seu início mais antigo que o do Estágio Terminal do Ediacariano (TES), caracterizada por sedimentação em ambientes marinhos e rasos de plataformas de carbonatos.
Abstract: Bambuí Group was identified in two drill cores from the northern region of Minas Gerais, including Sete Lagoas', Serra de Santa Helena's, and Lagoa do Jacaré's formations where a study of isotopic data (513C e 5180) and acritarch assemblages was carried out in an integrated manner. 513C of cap carbonates from Sete Lagoas formation shows negative values (between -3%, and - 6%o) which, gradually, reach a maximum of +10%o at the top of the formation. The acritarch assemblages that were found include Octoedryxium truncatum, Taenitichoides Jarischevicus and Germinisphaera sp., and Paracrassosphaera dedalea, the distinction being that the latter established the presence of an acme zone. A re-study of Bambuites erichsenii (Sommer, 1971) - the first organic-walled microfossils to be found in Sete Lagoas formation - was conducted among the acritarch present in the above mentioned formation. New records of this species (which was recovered from the type locality of Sete Lagoas formation) were identified, and, as a complementary description, present an emended diagnosis for Bambuites erichsenii (Sommer, 1971), and for the genus Bambuites (Sommer, 1971), making it possible to include it in the group of Acanthomorpha. There was another group of acritarchs, with great chronostratigraphic meaning and known as Vase-shaped microfossils (VSMs), which were identified in samples from Vazante Group, and are related to the Tonian Age. The Ediacara biota (571-541 Ma) marks the first appearance of the architecturally complex soft-bodied macroscopic multicellular eukaryotes in the history of the Earth. Most fossils from this biota are preserved in siliciclastic rocks being that very little material has reported fossil assemblages in carbonate rocks. In this study, the first discovery ever of Bilaterian Ediacaran fossils in South America is reported. These fossils are hosted in limestones in Lagoa do Jacaré formation, an intermediate unit in Bambuí Group. They include Eremolinea yacarei n. gen. n. Sp., and Jaibella verdegrandensis n. gen. n. sp. Moreover, two taxa at the same stratigraphic level were found: Nilpenia rossi and Ichnogenus, et sp. indet. 1. Eremolinea yacarei and Jaibella verdegrandensis are bilaterian animals and have a benthic lifestyle whereas the Ichnogenus et sp. indet. 1 is interpreted as tracks and trails left by Eremolinea yacarei. Finally, Nilpenia rossi are interpreted as benthic species, possibly sessile, and characterized by having thin stems with dichotomous and dendritic branches. These findings support both the paleoenvironmental and biostratigraphic interpretations concerning Lagoa do Jacaré's formation in Bambus Group, making it possible to state it is an Ediacaran unit, aged from 556 - 546 Ma, having begun earlier than the Terminal Ediacaran Stage (TES), and being characterized by sedimentation in a shallow marine environment within carbonate platforms.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Geociências, Programa de Pós-Graduação em Geologia, 2020.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Appears in Collections:IG - Doutorado em Geologia (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/39154/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.