Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/38805
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_LizandraCairesdoPrado.pdf7,19 MBAdobe PDFView/Open
Title: Análise da correferencialidade em construções relativas na língua de sinais brasileira
Authors: Prado, Lizandra Caires do
Orientador(es):: Naves, Rozana Reigota
Coorientador(es):: Medeiros Junior, Paulo
Assunto:: Língua brasileira de sinais
Teoria gerativa
Sintaxe
Issue Date: 2-Jul-2020
Citation: PRADO, Lizandra Caires do. Análise da correferencialidade em construções relativas na língua de sinais brasileira. 2020. 200 f., il. Tese (Doutorado em Linguística)—Universidade de Brasília, Brasília, 2020.
Abstract: Esta tese analisa a correferencialidade nas construções relativas restritivas e apositivas na Língua de Sinais Brasileira (LSB). O corpus foi constituído por dados produzidos em LSB por participantes que se identificam como surdos (o que foi comprovado por exame de audiometria) e que utilizam a LSB como meio principal de comunicação. A coleta de dados compreendeu a preparação do input, por meio de imagens organizadas em slides contendo duas informações sobre um mesmo referente. Foi solicitado às participantes que produzissem uma única sentença, combinando as duas informações em relação a esse referente. As produções foram gravadas em vídeo, as imagens correspondendo à articulação de cada sinal foram congeladas para análise e as sentenças foram registradas por meio do Sistema de Escrita de Línguas de Sinais – SEL. Para a análise formal dessas construções relativas, partimos dos seguintes postulados teóricos: (i) existe uma relação necessária entre o DP antecedente e o tipo de oração relativa – restritiva ou apositiva ( SMITH, 1964); (ii) as relativas são estruturas de CPs que complementam um DP da oração matriz, produzindo a estrutura D0CP ( KAYNE, 1994); (iii) nas relativas-that, o pronome relativo nasce já na posição nuclear C0 e pode ser nulo ( KAYNE, 1994); (iv) na Língua de Sinais Alemã (do alemão, DSG), as relativas são estruturas com núcleo nominal externo, que não pertence ao escopo da marcação não-manual que introduz a relativa, enquanto na Língua de Sinais Italiana (do italiano, LIS) são estruturas com núcleo nominal interno, o qual, nas restritivas, exerce papel de sujeito na matriz e na relativa, e, nas apositivas, exerce papel de objeto na matriz e na relativa; e (v) na LSB, as relativas não apresentam um elemento que funcione como morfema relativo ( PRADO, 2014 ; PRADO, NAVES e LIMA-SALLES, 2018), assim como as relativas apositivas em DGS e as restritivas e apositivas em LIS ( PFAU, 2016). Segundo a análise desenvolvida nesta tese, compreendemos que as construções relativas restritivas e apositivas apresentam a mesma estrutura sintática, mas com propriedades distintas no que se refere ao traço suprassegmental que marca a distinção entre restritivas e apositivas e que, possivelmente, tem relação com a propriedade das primeiras de restringir o referente, o que pode ser interpretado como uma espécie de foco, em oposição à marcação de pausa inicial e final nas relativas apositivas. Consideramos que essas diferenças são a expressão da relação de (in)definitude entre o D0 e o CP, interpretadas em Forma Lógica – uma hipótese a se confirmar em trabalhos futuros.
Abstract: This thesis analyzes the co-referentiality in the restrictive and appositive relative constructions in the Brazilian Sign Language (LSB). The corpus is composed of data produced in LSB by participants who identify themselves as deaf (which was confirmed by an audiometry exam) and who use LSB as the main means of communication. The data collection comprised the preparation of the input, through images organized in slides containing two pieces of information about the same referent. Participants were asked to produce a single sentence, combining the two pieces of information in relation to that referent. The productions were recorded on video and the images corresponding to the articulation of each signal were frozen for analysis and the sentences were registered using the Sign Language Writing System – SEL. For the formal analysis of these relative constructions, we start from the following theoretical postulates: (i) there is a necessary relationship between the antecedent DP and the type of relative sentence – restrictive or appositive ( SMITH, 1964); (ii) the relative ones are CP structures that complement a DP of the matrix clause, producing the D0CP structure ( KAYNE, 1994); (iii) in the that-relative, the relative pronoun is born in the nuclear position C0 and can be null ( KAYNE, 1994); (iv) in the German Sign Language (from German, DGS), the relative are structures with external nominal nucleus, which does not belong to the scope of non-manual marking that introduces the relative, while in Italian Sign Language (from Italian, LIS) they are structures with internal nominal nucleus, which, in the restrictive ones, plays the role of subject in the matrix and in the relative, and, in the appositives, it plays an object role in the matrix and in the relative; and (v) in LSB, the relative structures do not have an element that functions as a relative morpheme ( PRADO, 2014 ; PRADO, NAVES e LIMA-SALLES, 2018), as well as the relative appositives in DGS and the restrictive and appositive ones in LIS ( PFAU, 2016). According to the analysis developed in this thesis, we understand that the restrictive and appositive relative constructions present the same syntactic structure, but with different properties with regard to the supra-segmental feature that marks the distinction between restrictive and appositive that is, possibly, related to the property of the former to restrict the referent, which can be interpreted as a kind of focus, as opposed to the marking of initial and final pauses in the appositive relative. We consider that these differences are the expression of the (in)definite relationship between D0 and CP, interpreted in the Logical Form – a hypothesis to be confirmed in future works.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas, Programa de Pós-Graduação em Linguística, 2020.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Appears in Collections:LIP - Doutorado em Linguística (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/38805/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.