Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/38068
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_CarlaGomesPereira.pdf4,35 MBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSilveira, Conceição Eneida dos Santos-
dc.contributor.authorPereira, Carla Gomes-
dc.date.accessioned2020-06-22T12:09:27Z-
dc.date.available2020-06-22T12:09:27Z-
dc.date.issued2020-06-22-
dc.date.submitted2019-06-28-
dc.identifier.citationPEREIRA, Carla Gomes. Propagação in vitro de musgos do Cerrado. 2019. xviii, 132 f,. il. Tese (Doutorado em Botânica)—Universidade de Brasília, Brasília, 2019.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.unb.br/handle/10482/38068-
dc.descriptionTese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Botânica, Programa de Pós-Graduação em Botânica, 2019.pt_BR
dc.description.abstractOs musgos têm sido estudados por suas características fisiológicas, ecológicas e potencialmente econômica. A cultura de tecidos tem sido cada vez mais utilizada como ferramenta para estudos nas mais diversas áreas, como a criopreservação e biorremediação. Além disso, a cultura in vitro é a maneira mais eficiente para a produção em grande quantidade musgos e o aperfeiçoamento dessas técnicas, subsidiará novos estudos briotecnológicos. O objetivo desse estudo foi estabelecer e propagar espécies de musgos por meio de culturas axênicas iniciadas de fragmentos de gametófitos, em que foram investigados métodos acessíveis de cultivo in vitro e o efeito de reguladores de crescimento no desenvolvimento de algumas espécies. Dez espécies de musgos (Barbula indica, Bryum argenteum, Bryum coronatum, Bryum densifolium, Fissidens flaccidus, Isopterygium tenerifolium, Leucobryum crispum, Vitalia cuspidifera, Sphagnum platyphylloides, Pogonatum pensilvanicum) foram estabelecidas e propagadas in vitro com sucesso. Todas as espécies foram submetidas ao Estabelecimento Indireto, nova metodologia para o resgate de explantes parcialmente contaminados e cultivados em condições assépticas. B. argenteum foi cultivado em quatro sistemas de cultivo: meio semi-sólido (MSS); líquido sob agitação (MLA); líquido estacionário (MLE) e biorreator de imersão permanente (BIPER), onde o ganho de biomassa e o efeito dos reguladores de crescimento foram mais eficientes nos cultivos em soluções líquidas, especialmente no cultivo com adição de sacarose no BIPER, no qual o índice de multiplicação aumentou 1.738 vezes. No cultivo de I. tenerifolium, os reguladores de crescimento influenciaram na morfologia dos filídios e a adição de sacarose ao meio intensificou os efeitos do ácido giberélico, o qual induziu a formação de brotos e aumentou as dimensões dos filídios. Em nove espécies cultivadas in vitro, foram realizadas a propagação clonal ex situ, em diferentes substratos. A propagação foi conduzida em duas etapas. A primeira etapa, pré-aclimatização foi realizada em sala de crescimento com condições controladas e a segunda, a aclimatização foi realizada em casa de vegetação. A préaclimatização foi relevante para o crescimento de musgos ainda em estágio inicial de desenvolvimento. A aclimatização favoreceu a colonização de gametófitos e o aumento da densidade das colônias. Os substratos Bioplant e bioplant/solo apresentaram os melhores resultados para B. argenteum, B. coronatum e I. tenerifolium cultivadas em casa de vegetação.pt_BR
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP/DF).pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titlePropagação in vitro de musgos do Cerradopt_BR
dc.typeTesept_BR
dc.subject.keywordBiorreatorpt_BR
dc.subject.keywordMusgospt_BR
dc.subject.keywordCultivopt_BR
dc.subject.keywordGametófitopt_BR
dc.subject.keywordSacarosept_BR
dc.rights.licenseA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.pt_BR
dc.description.abstract1Mosses have been studied for their physiological, ecological, and potentially economic characteristics. Tissue culture has been increasingly used as a tool for studies in various areas, such as cryopreservation and bioremediation. Also, in vitro culture is the most efficient way to produce large quantities of moss, and the improvement of these techniques will support new briotechnological studies. This study aimed to establish and propagate moss species through axenic cultures initiated from gametophyte fragments, in which accessible in vitro cultivation methods and the effect of growth regulators on the development of some species were investigated. Ten species of moss (Barbula indica, Bryum argenteum, Bryum coronatum, Bryum densifolium, Fissidens flaccidus, Isopterygium tenerifolium, Leucobryum crispum, Vitalia cuspidifera, Sphagnum platyphylloides, Pogonatum pensilvanicum) were successfully established and propagated in vitro. All species were submitted to the Indirect Establishment, a new methodology for the rescue of partially contaminated explants cultivated under aseptic conditions. B. argenteum was grown in four cultivation systems: semi-solid medium (MSS); stirring liquid (MLA); stationary liquid (MLE) and permanent immersion bioreactor (BIPER), where the biomass gain and the effect of growth regulators were more efficient in liquid solution crops, especially in the sucrose addition in BIPER, in which the multiplication increased by 1,738 times. In the cultivation of I. tenerifolium, growth regulators influenced the morphology of the branch leaves and the addition of sucrose to the medium intensified the effects of gibberellic acid, which induced bud formation and increased the branch dimensions. In nine in vitro cultivated species, ex situ clonal propagation was performed on different substrates. Propagation was conducted in two steps. The first stage, pre-acclimatization was performed in a growth room under controlled conditions, and the second stage, acclimatization, was performed in a greenhouse. Pre-acclimatization was relevant for the growth of mosses still in the early stage of development. The acclimatization favored the colonization of gametophytes and the increase of colony density. The substrates Bioplant and bioplant/soil showed the best results for B. argenteum, B. coronatum, and I. tenerifolium grown in a greenhouse.pt_BR
Appears in Collections:BOT - Doutorado em Botânica (Teses)

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/38068/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.