Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/37836
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_JéssicaFernandaAlbuquerque.pdf3,59 MBAdobe PDFView/Open
Title: Entre socioeducação e punição : trabalho sujo, identidades e práticas dos agentes socioeducativos da UISS
Authors: Albuquerque, Jéssica Fernanda
Orientador(es):: Batista, Analia Laura Soria
Assunto:: Agentes socioeducativos
Trabalho sujo
Socioeducação
Punição
Unidade de Internação de Saída Sistemática (UNISS)
Issue Date: 21-May-2020
Citation: ALBUQUERQUE, Jéssica Fernanda. Entre socioeducação e punição: trabalho sujo, identidades e práticas dos agentes socioeducativos da UISS. 2019. 196 f., il. Dissertação (Mestrado em Sociologia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2019.
Abstract: Este trabalho tem como objetivo analisar, por meio da categoria analítica trabalho sujo, as identidades e práticas laborais dos agentes socioeducativos da Unidade de Internação de São Sebastião e discutir as técnicas desenvolvidas por esses trabalhadores na moderação das identidades maculadas. A pesquisa se insere em um contexto de tensões e disputas entre aspectos socioeducativos e punitivos, e assim, também busca-se discutir como essas ambiguidades atravessam as identidades e práticas desses trabalhadores. Para a consecução dos objetivos foi utilizada como técnica de pesquisa principal a realização de entrevistas semiestruturadas com agentes socioeducativos da UISS e os dados levantados foram analisados a partir das categorias desenvolvidas pela literatura sobre trabalho sujo. A partir das percepções dos trabalhadores, foi possível verificar que os agentes socioeducativos são trabalhadores sujos devido à estigmatização generalizada. Haja vista que estes estão em contato permanente com adolescentes autores de atos infracionais, público amplamente estigmatizado e que representa perigo (mácula social e física), e os próprios agentes socioeducativos são percebidos socialmente como violentos e torturadores (mácula moral). As técnicas de manipulação do estigma profissional identificadas na pesquisa demonstraram que é sobre a luta contra a estigmatização moral que se concentram os maiores esforços da categoria, recorrendo substancialmente à aproximação de suas práticas laborais aos pressupostos socioeducativos, como cuidado, educação, proteção, diálogo e ressocialização dos adolescentes internados. A pesquisa ainda indicou que estas práticas e percepções socioeducativas dos trabalhadores coexistem com aspectos punitivos e disciplinares. Entretanto, nem as práticas socioeducativas e nem as de segurança proporcionam um senso de propósito significativo para subsidiar a realização profissional. Na percepção dos agentes, a ineficiência do sistema socioeducativo em reintegrar e em proteger os adolescentes reduz o seu trabalho a apenas “enxugar gelo”.
Abstract: This dissertation discusses the identity construction and the labor practices of Socio-educational Agents of the Unidade de Internação de São Sebastião, (UISS, for its Portuguese acronym), DF, Brazil, from the analytic category Dirty Work, as well as identifies the techniques and practices developed by the workers in the manipulation of professional stigma. The research sets in a context of tensions and disputes between socio-educational and punitive aspects that permeate the identities and practices of those agents. For the consecution of the objectives it was used as main research technique the conduction of semi-structured interviews with the UISS’s social-educational agents, the data collected were analyzed from the categories developed by the literature about Dirty Work. According to the perception of the workers it was possible to verify that the socio-educational agents are dirty workers due to a generalized stigmatization. The agents are in permanent contact with adolescent authors of infractional acts, public widely stigmatized that represents danger (social and physical taint) and are widely stigmatized by being perceived socially as violent and torturers (moral taint). The techniques of manipulation of the professional stigma identified in this research demonstrates that it is about the struggle against moral stigmatization that concentrates the biggest efforts of the category, resorting substantially the proximation of theirs labor practices to the social-educational assumptions, such as care, education, protection, dialog and resocialization of the inmate’ adolescent. Likewise, the research indicated that these practices and the agents’ socio- educational perceptions coexist with punitive and disciplinary aspects. However, neither the socio-educational nor the security practices provides a sense of meaningful purpose to the professional fulfillment. In the agents’ perception, the inefficiency of the socio-educational system in reintegrate and in protect the adolescents reduce theirs work to solely “wipe ice”.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Departamento de Sociologia, 2019.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Appears in Collections:SOL - Mestrado em Sociologia (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/37836/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.