Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/37820
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2000_RosaneGarciaCollevatti.pdf
???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.accessRestricted???
2,84 MBAdobe PDF ???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.restrito???
Title: Variabilidade genética em Caryocar brasiliense Camb. (Caryocaraceae) : estrutura genética, sistema de cruzamento, filogeografia e subsídios para a conservação
Authors: Collevatti, Rosane Garcia
Orientador(es):: Hay, John Du Vall
Assunto:: Pequi
Plantas - reprodução
Genética de populações
Manejo florestal
Filogeografia
Cerrados - conservação
Issue Date: 20-May-2020
Citation: COLLEVATTI, Rosane Garcia. Variabilidade genética em Caryocar brasiliense Camb. (Caryocaraceae): estrutura genética, sistema de cruzamento, filogeografia e subsídios para a conservação. 2000. 140 f., il. Tese (Doutorado em Ecologia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2000.
Abstract: Este trabalho teve como objetivo estudar a estrutura genética de populações e o sistema de acasalamento de Caryocar brasiliense (Camb., Caryocaraceae), gerando subsídios para a conservação e manejo desta espécie, além de estudar a filogeografía da espécie no Cerrado. Foram desenvolvidos dez locos microsatélites para C. brasiliense altamente informativos, com probabilidade de identidade genética da ordem de IO' 1 e exclusão de paternidade combinada de 0,99999995. Os genótipos multilocos são únicos permitindo discriminar os indivíduos de C. brasiliense em estudos detalhados de vínculo genético em populações naturais. Os resultados da estrutura genética de populações indicaram que existe diferenciação genética significativa entre populações conforme o modelo de “isolamento por distância”, com correlação positiva entre distância geográfica e FSr entre pares de populações. As estimativas sugerem que a diferenciação deve ser ocasionada principalmente pelo cruzamento entre indivíduos aparentados. O estudo do sistema de acasalamento indicou que C. brasiliense é preferencialmente alógamo. Entretanto, a taxa de endogamia biparental indicou uma alta freqüência de acasalamento entre parentes. Nossos resultados indicaram que C. brasiliense apresenta uma estrutura em demes, com alta freqüência de acasalamentos entre parentes. Assim, a fragmentação pode limitar o fluxo gênico, isolando os dispersores de sementes e os polinizadores, aumentando a taxa de cruzamento entre parentes. Dessa forma, a conservação de populações não isoladas em grandes áreas pode ser necessária para garantir eventos de polinização cruzada entre indivíduos não aparentados e, assim, manter a viabilidade desta espécie no Cerrado. Os dados obtidos com cpDNA também indicam uma alta diferenciação das populações devido à restrição ao fluxo de semente. Para o genoma nuclear as populações tenderam a ser agrupadas de acordo com a distância geográfica, mas não para o genoma de cloroplasto. O padrão de quebra filogenética não coincide, entretanto. com padrões geográficos. O padrão filogeográfico encontrado pode ser explicado por restrições ao fluxo de semente e por eventos de colonização posterior à ultima glaciação e efeito de fundador.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ecologia, 2000.
Agência financiadora: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e World Wildlife Fund (WWF).
Appears in Collections:ECL - Doutorado em Ecologia (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/37820/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.