Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/37703
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_AdrianaClaudiaLopesCarvalhoFurtado.pdf1,09 MBAdobe PDFView/Open
Title: Avaliação da esteatose hepática e aptidão física voltada à saúde em pacientes portadores deficiência de hormônio de crescimento antes e após a sua reposição
Authors: Furtado, Adriana Claudia Lopes Carvalho
metadata.dc.contributor.email: adrianafurtado@terra.com.br
Orientador(es):: Naves, Luciana Ansaneli
Assunto:: Esteatose hepática
Aptidão física
Hormônio do crescimento (DGH)
Reposição hormonal
Issue Date: 12-May-2020
Citation: FURTADO, Adriana Claudia Lopes Carvalho. Avaliação da esteatose hepática e aptidão física voltada à saúde em pacientes portadores deficiência de hormônio de crescimento antes e após a sua reposição. 2019. 76 f., il. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde)—Universidade de Brasília, Brasília, 2019.
Abstract: A presença da deficiência de hormônio do crescimento (DGH) em pacientes com hipopituitarismo representa alto risco de doença hepática. Observa-se também importante repercussão na função muscular e no bem-estar global. Objetivos: Avaliar a presença de esteatose hepática e aptidão física em um grupo de pacientes com deficiência de hormônio do crescimento no adulto (DGHA), e a relação com parâmetros metabólicos clínicos e bioquímicos diferentes, antes e após seis meses de terapia de reposição com hormônio de crescimento humano (rhGH). Métodos: Estudo transversal inicial de pacientes diagnosticados com hipopituitarismo e múltiplas deficiências hormonais pituitárias (MDHP), virgens de tratamento com rhGH prévio, mantendo reposição regular dos outros eixos há pelo menos 1 ano. Ensaio clínico de intervenção de seis meses em uma coorte selecionada não randomizada e não controlada. Realizada avaliação clínica e laboratorial com aferição do índice de massa corporal (IMC), circumferência abdominal, dosagem de IGF-I, lipidograma, transaminases hepáticas, glicemia, insulina e cálculo do índice HomeostasisModelAssessment de resistência insulínica (HOMA-IR). Composição corporal através da densitometria por emissão de raios x de dupla energia (DEXA), estudo do fígado utilizando o parâmetro de atenuação controlada (CAP), através da elastografia hepática transitória (TE), para identificação de esteatose hepática, e a aptidão física através de testes de força isométricos e isocinéticos, e pelo teste de caminhada de seis minutos (TC6). O questionário de qualidade de vida (QoL) SF 36 foi utilizado para avaliação da intervenção com rhGH.Para análise estatística, o test t de Student foi utilizado para variáveis de distribuição normal e o teste não paramétrico de Mann-Whitney, para as variáveis de distribuição não normais. Resultados: Vinte e dois pacientes com DGHA foram distribuídos de acordo com a fase de início da deficiência, se na infância (DGH-Infância) ou adulta (DGH-Adulto). O IMC, circunferência abdominal, relação cintura/quadril, HOMA-IR e insulina foram significativamente maiores na população com DGH-Adulto. O CAP identificou esteatose em 36,3% dos pacientes no início do estudo (8/22), associada a níveis mais elevados de IMC, circunferência abdominal, insulina e alanina aminotransferase (ALT). Após seis meses de reposição de rhGH, as medidas de CAP não alteraram significativamente, nem no grupo sem esteatose hepática (p=0,267), nem no grupo com esteatose hepática (p=0,082). A melhora significativa da composição corporal foi observada apenas no primeiro grupo. Analisando os pacientes divididos de acordo com a fase de início da deficiência, os testes de força e teste de caminhada de seis minutos não mostraram diferença entre os grupos no início do estudo. Os escores obtidos no teste de hand grip revelaram uma diminuição significativa na força muscular em ambos os grupos. Após seis meses de reposição de hrGH, não houve melhora nos testes de força muscular e observamos piora significativa no resultado do teste de caminhada de 6 minutos (575,1m±84,4 para 545,4m±90,6; p=0,033), apesar da melhora na massa magra. O questionário de QoL SF36 mostrou que os pacientes com DGH-Adulto apresentaram comprometimento principalmente em termos de saúde mental e aspectos sociais no início do estudo. Após rhGh, observamos melhora da vitalidade no grupo DGH-Adulto e saúde mental no grupo DGH-Infância. Conclusões: Esse estudo mostrou importantes repercussões metabólicas, físicas e de qualidade de vida em pacientes adultos com DGH grave. Demonstramos a importância do CAP como ferramenta não invasiva na identificação da esteatose hepática e como indicador da gravidade dos distúrbios metabólicos em pacientes com hipopituitarismo e MDHP. A função muscular esteve comprometida nos pacientes e não houve melhora após seis meses de terapia de reposição hormonal. A piora do teste de caminhada de 6 minutos chamou atenção para o fato de que a qualidade da função muscular nesses pacientes depende não apenas da reposição hormonal, mas de hábitos de vida.Os pacientes mostraram deterioração significativa na qualidade de vida, e as diferenças foram observadas de acordo com a fase de início da deficiência.
Abstract: The presence of growth hormone deficiency (GHD) in patients with hypopituitarism represents a high risk of liver disease. There is also an important repercussion on muscle function and overall well-being. Objective: To assess the presence of hepatic steatosis and physical skills in a group of adult growth hormone deficiency (AGHD) patients, and the relationship to different clinical and biochemical metabolic parameters, before and after six months of recombinant growth hormone (rhGH). Methods: Initial cross-sectional study of patients diagnosed with hypopituitarism and multiple pituitary hormone deficiencies (MPHD) who had previously been treated with rhGH, keeping regular replacement of the other axes for at least 1 year. A nonrandomized, uncontrolled cohort of six-month intervention trial in a selected group was done. Clinical and laboratory evaluation was performed with body mass index (BMI), waist circumference, measurement of IGF-I, lipidogram, liver transaminases, blood glucose, insulin and HomeostasisModelAssessment of insulin resistance (HOMA-IR) calculation. Body composition by dual energy x- ray emission densitometry (DEXA), liver study using the controlled attenuation parameter (CAP), transient hepatic elastography (ET) to identify hepatic steatosis, and physical fitness through isometric and isokinetic strength tests, and the six-minute walk test (6mWT). The SF 36 quality of life questionnaire (QoL) was used to evaluate the rhGH intervention. For statistical analysis, Student's t-test was used for normal distribution variables and the Mann-Whitney nonparametric test for not normal distribution. Results: Twenty-two patients were allocated according to deficiency onset phase, childhood (CO-GHD) or adulthood (AO-GHD). Body index (BMI), waist circumference, waist/hip ratio, HOMA-IR and insulin were significantly higher in the AO-GHD population. Transient Elastography (TE) used to quantify liver fat showed, by controlled attenuation parameter (CAP), steatosis on 36.3% of baseline patients (8/22), associated with higher BMI, waist circumference, insulin, and alanine aminotransferase (ALT) levels. After 6 months of hrGH replacement, CAP measurements did ot change significantly neither on group without hepatic steatosis at baseline, nor on group with hepatic steatosis. The significant improvement of body composition was observed only in the first group. The strength tests and six-minute walk test showed no difference between groups at baseline. Scores achieved in the handgrip test revealed a significant decrease in muscle strength in both groups. After 6 months of hrGH replacement, no improvements in muscular strength tests were found. There was a significant worsening in the 6-minute walk test result (575.1m ± 84.4 to 545.4m ± 90.6; p = 0.033) despite improvement in lean body mass. In response to SF36 according to deficiency onset phase, a severe AO-GHD patient was disturbed mainly in terms of mental health and social aspects at baseline. Impairment of vitality, as well as limitation by physical, social and emotional aspects in both groups, was more apparent when these domains were compared with the normal population. After rhGh, we observed improved vitality in the AO-GHD group and mental health in the CO-GHD group. Conclusions: This study showed important metabolic, physical and quality of life repercussions in adult GHD patients. We have demonstrated the importance of CAP as a noninvasive tool in identifying hepatic steatosis and as an indicator of the severity of metabolic disorders in patients with hypopituitarism and MPHD. Muscle strength has been compromised on patients and no improvement after six months hormone replacement therapy was observed. The worsening of the 6-minute walk test drew attention to the fact that the quality of muscle function depends not only on hormone replacement, but on lifestyle. The patients showed significant deterioration in quality of life, and the differences were observed according to deficiency onset phase.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2019.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:FS - Doutorado em Ciências da Saúde (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/37703/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.