Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/37589
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
1978_VeraReginaVeigaFrança.pdf
???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.accessRestricted???
7,06 MBAdobe PDF ???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.restrito???
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorGuimarães, Lytton Leite-
dc.contributor.authorFrança, Vera Regina Veiga-
dc.date.accessioned2020-04-23T00:45:47Z-
dc.date.available2020-04-23T00:45:47Z-
dc.date.issued2020-04-22-
dc.date.submitted1978-04-
dc.identifier.citationFRANÇA, Vera Regina Veiga. Comunicação e incomunicação no desenvolvimento de pequenos agricultores. Brasília, 1978. xii, 201 f., il. Dissertação (Mestrado em Comunicação)-Universidade de Brasília, Brasília, 1978.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.unb.br/handle/10482/37589-
dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Comunicação, 1978.pt_BR
dc.description.abstractComunicação e incomunicação, relacionadas com desenvolvimento e sistema de poder, e dissecadas em seus componentes ideológicos e psico-pedagógicos, constituíram o tema central deste estudo. Partiu-se inicialmente da definição de comunicação como o fluxo bilateral de mensagens, numa relação aberta e de criação comum. A incomunicação surgiu como a situação inversa; o não acesso à palavra, o fechamento da relação, com as funções de emitir e receber rigidamente divididas e estabelecidas, consistindo seja na relação de informação (em que ocorre o fluxo unilateral de mensagens), seja em relações de imposição e persuasão (quando a relação se caracteriza pelo predomínio das idéias e argumentos de um dos pólos, em detrimento das posições e contribuições do polo oposto). A comunicação e o acesso ã palavra, inscritas no processo social.refletem as relações entre os homens e se estabelecem de acordo com a distribuição de poder que marca essas relações (pois a comunicação é ela mesma um exercício de poder). Num quadro marcado pela valorização da técnica e do pensamento racional, característica das modernas sociedades industriais (e transplantado para aquelas em processo de industrialização), a posse do conhecimento técnico se instaura como o elemento gerador e legitimador de poder. A conseqüência, no campo da comunicação, o monopólio da função de emitir pelos detentores desse conhecimento técnico (numa divisão implícita entre os que sabem e os que não sabem). A intervenção no meio rural em função de seu desenvolvimento vem marcada por essa mesma divisão, de tal forma que a uns cabe planejar e orientar o processo de mudança, e a outros se submeter a esse planejamento e orientação ~ respectivamente,técnicos de formação urbana-científica e populações trabalhadoras do meio rural (que, por seu lado, assumiram e interiorizaram plenamente essa divisão de papéis e atribuições). Nesse sentido, a pesquisa, dirigida a um contexto de desenvolvimento de populações rurais de baixa renda, buscou a identificação da comunicação e incomunicação existente,assim como do tipo de participação da população n.o processo e de sua visão e percepção desse processo e da própria atuação (assim como a visão e percepção dos técnicos envolvidos). 0 local escolhido foi um programa de colonização desenvolvido pela Fundação Rural Mineira (Ruralminas) no município de João Pinheiro (Minas Gerais) - o Núcleo de Colonização João Pinheiro I. A metodologia adotada foi o estudo de caso,congregando as seguintes técnicas: entrevistas (com utilização de roteiro, gravada, e com utilização de formulário), observação sistemática e informal e análise de material. O Núcleo se situa como uma das etapas de um programa de desenvolvimento do Noroeste do estado de Minas. Baseado numa economia essencialmente agrícola, contava com uma população de 89 famílias,advindas do meio rural (onde trabalhavam principalmente no sistema de parceria) e de um baixo nível de renda. No quadro comunicacional, e pesquisadas as várias formas de comunicação existente (reuniões, quadro de avisos, etc), encontrou-se o predomínio do fluxo unilateral de mensagens, o caráter de imposição e, ocasionalmente, do persuasão, caracterizando.portanto,uma situação de incomunicação (quando o colono se identifica essencialmente como o receptor). A participação existente foi identificada com o levantamento dos vários processos que compõem a gestão do Núcleo - origem lo programa, formulação de objetivos e estratégias de ação; avaliação de resultados, etc. Correspondendo à incomunicação, foi identificada uma participação apenas passiva do colono no programa, com sua ausência quase total desses processos (frente ã autoridade e poder decisivo da equipe técnica). Essa incomunicação e não participação, explicada a níveis mais amplos pela dinâmica de poder (e diferente posição dos grupos)na Sociedade, a nível dos indivíduos se justifica por sua própria visão e percepção do processo. No caso do Núcleo, e ao se pesquisar seu quadro de percepções quanto à própria situação e programa, colonos e técnicos concordaram na existência de um marcado desequilíbrio entre suas posições e capacidades, com a desvalorização dos primeiros fren te aos segundos. Da mesma forma, e de acordo com essa posição desigual , o programa foi visto pelo colono de forma paternal e assistencialista - situando-se dentro dele na posição, do dependente e socorrido e colocando fora de si mesmo qualquer atividade de coordenação e decisão. Ou seja, o quadro pesquisado (de incomunicação e não participação) viu-se refletido e plenamente coerente com a visão dos elementos constitutivos desse quadro. Sobre o caráter vertical do programa, sobre a incomunicação e não participação associadas ao desenvolvimento, o presente trabalho agregou considerações teóricas de cunho educacional (ou psico-pedagógico), referindo-se ao ato de conhecer e ao próprio desenvolvimento dos indivíduos enquanto um resultado de seu intercâmbio com a realidade, o processamento de suas experiências.Vendo na posição fixa de receptor e participante passivo, na ausência da experiência real de se colocar e de uma atuação livre e autônoma a estagnação do desenvolvimento desses mesmos indivíduos, a inibição de sua capacidade crítico-reflexiva, o atrofiamento de suas possibilidades futuras de emissão e participação ativa.pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.rightsAcesso restritopt_BR
dc.titleComunicação e incomunicação no desenvolvimento de pequenos agricultorespt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.keywordAgriculturapt_BR
dc.subject.keywordTeoria da comunicaçãopt_BR
dc.subject.keywordFundação Rural Mineira (Ruralminas)pt_BR
dc.subject.keywordJoão Pinheiro (MG)pt_BR
dc.description.abstract1Communication and incoramunicaticn, related to development and power system, analysed in their psycho pedagogical and ideological components, have become the central theme in this study. At first the definition of communication was taken as a bilateral flow of messages in an open interccourse of common creation.The incommunication appeared as an inverse situation; a non approach to the word, the hindering of the intercourse, with the functions of emitting and receiving strictly divided and established, consisting either in the relation of information (in which occurs the unilateral flow of messages) or in the relation of imposition is characterized by the predominance of the ideas and arguments of one of the poles, in detriment of the positions and the contributions of the opposite pole. The communication and the approach to the word ,registered in the social process, reflect the relations among men and estai lish themselves according to the distribution of power that mark these relations (because the communication is itself an exercise of power). In a picture marked by the valorization of the technique and of the rational thought characteristic of the modern industrialized societies (and transferred to those in process of industrialized societies (and transferred to those in process of industrialization), the grasp of the technical knowledge establishes itself as the generator element and the power legitimator. The consequence, in the field of communication, is the monopoly of the function of emitting by the detainer of this technical knowledge (in an implicit division among those who know and those who don't) . The interference in the rural area in relation to its development is distinguished by this very same division, in a way that some people must plan and guide the charging process and others must submit themselves to this planning and guidance - respectively, technicians of urban-scientific background and worker populations in the rural area (that, on their side, have completely assumed and introjected this division of roles and attributions). In this sense, the research, addressed to a contexto of development of the rural low-average income population, has seeked the identification of the existent communication and incoramunicatian, as even the type of population in the process and their view and perception from this process and their own performance (and also the view and perception of the involved technicians). The chosen place was the district of João Pinheiro (Minas Gerais) - João Pinheiro Colonization Nucleus I - were a plan of colonization has been developed by Fundação Rural Mineira (RURALMINAS). The selected methodology was the study of the event, assembling the following techniques: interview (with the help of a taped guidance and the use of a form), systematic and informal observation and analysis of printed material. The Nucleus is placed as one step in the northwest developing plan of Minas Gerais. Based on an essentially agricultural economy there have been a population of 89 families that have come from the rural area (where they've mainly worked in a partnership system) with a low-average income. In the communicational sense, after having been researched-the several ways of the existent communication (meetings, billboard, etc), it has been found out the predominance of unilateral flow of messages, the caracter of imposition and one in a while of persuasion, therefore characterizing a situation of incomunication (when the settler identifies himself essentially as the receiver). The existent participation has been identified with the severa! uprising processes that form the management of the Nucleus - origin of the program, formulation of goals and strategies of action; evaluation of results.etc.Corresponding to the incomunication, it has been identified a just passive participation of the settler in the programme, with the almost total absence of these processes (in face to the authority and the decisive power of the technical staff). This incommunication and non-participation, explained in wider levels by the dynamic of power (and different group positions) in society, at the level to the individuals, justifies itself by its own view and perception of the process. In the situation of the Nucleus, when researching its perticiptions board in relation to its own situation and programme, settlers and technicians have agreed with the existence of an unbalanced marked among their positions and capacities, with the desvalorizacion of the former in face to the latter. In the same way and according to this unequal position the programme has been seen by the settler in a paternal and assistantialist way - placing himself in a dependent way and as somebody helped within it and putting off himself any activity of coordination and decision. Ur better, the researched board (of incommunication and non-participation) has reflected and was absolutely coherent to the point of view of the constitutive elements of such a board. This work has added some theoretical considerations of educational (or psycho-pedagogical) features about the vertical character of the programme, the incommunication and non participation associated to the development, when referring to the act of knowing and to the own development of the individuais while a result of their interchange with reality, the proceeding of their experiences. This way, the settled position of receiver and passive participant, the absence of real experience when placing himself off, the absence of a free and autonomical way of actuation, it has been felt as a stagnation of the development of these sane individuais, the inhibition of their critical reflexive ability , the waste of the future possibilities of emission and active participation.pt_BR
Appears in Collections:FAC - Mestrado em Comunicação (Dissertações)

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/37589/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.