Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/36862
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_FernandaRaposo.pdf2,54 MBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorLeal, Soraya Coelho-
dc.contributor.authorRaposo, Fernanda-
dc.date.accessioned2020-02-10T17:53:48Z-
dc.date.available2020-02-10T17:53:48Z-
dc.date.issued2020-02-10-
dc.date.submitted2019-06-07-
dc.identifier.citationRAPOSO, Fernanda. Estudo da hipersensibilidade dentária associada à hipomineralização molar-incisivo (HMI). 2019. 72 f., il. Dissertação (Mestrado em Odontologia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2019.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.unb.br/handle/10482/36862-
dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Departamento de Odontologia, Programa de Pós-Graduação em em Odontologia, 2019.pt_BR
dc.description.abstractEste estudo teve como objetivo investigar a prevalência da hipersensibilidade dentária em molares afetados pela HMI por meio de um levantamento realizado em escolares com 8 anos de idade. Os exames foram conduzidos por um examinador calibrado, usando os critérios de Nyvad para o diagnóstico de cárie e o critério MIH-SSS para o diagnóstico da HMI. Para avaliação da hipersensibilidade, os dentes foram submetidos a um teste de ar e a um teste táctil. Todos os molares afetados foram incluídos. A Escala Visual Analógica (EVA) foi utilizada em associação com a escala SCASS, para se avaliar a hipersensibilidade ao jato de ar. Já para a avaliação da hipersensibilidade táctil foi utilizada apenas a EVA. A análise estatística foi realizada utilizando o teste de Kruskal-Wallis seguido do pós-teste de Dunn para dados quantitativos. O teste qui-quadrado foi utilizado para comparação de dados categóricos. Nossos resultados mostraram que das 631 crianças avaliadas, 102 apresentavam molares acometidos pela HMI (16,1%). Destes, 51,7% e 8,7% tinham lesões de cárie em esmalte e dentina, respectivamente. Em relação ao número de dentes, dos 400 molares examinados, 239 apresentavam HMI (59,8%), sendo 188 (78,7%) classificados como leves (apenas opacidades), 20 (8,4%) como moderados (fraturas pós-eruptivas restritas a esmalte) e 31 (13%) como severos (fraturas pós-eruptivas envolvendo dentina / restaurações atípicas). A prevalência de hipersensibilidade nos molares afetados foi de 34,7%, sendo mais frequente nos casos moderados (55%) e severos (51,6%) do que nos leves (29,8%, p = 0,008). Quanto à intensidade, ela foi considerada baixa. Houve registro de hipersensibilidade em apenas um dente-controle. Foi possível concluir que a hipersensibilidade foi significativamente maior nos molares acometidos pela HMI do que nos molares não acometidos. Observou-se associação entre os casos leves e moderados e a hipersensibilidade dentária, o que não pôde ser comprovado para casos graves devido à alta frequência de lesões cariosas envolvendo a dentina.pt_BR
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleEstudo da hipersensibilidade dentária associada à hipomineralização molar-incisivo (HMI)pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.keywordHipomineralização incisivo-molar (MIH)pt_BR
dc.subject.keywordHipersensibilidade dentáriapt_BR
dc.subject.keywordCáries dentáriaspt_BR
dc.description.abstract1This study aimed to investigate the prevalence of hypersensitivity in MIHaffected molars through a census carried out in 8-years-old schoolchildren. Examinations were conducted by one calibrated examiner, using the Nyvad criteria for caries’ diagnosis and MIH –SSS for MIH assessment. For hypersensitivity assessment, all MIH-affected molars were included. Non-affected molars from the same child were used as controls. Air blast reaction was measured using the Visual Analogue Scale (VAS) and the SCASS (Schiff Cold Air Sensitivity Scale) scale, while tactile hypersensitivity was scored using VAS only. Statistical analysis was performed using Kruskal-Wallis test followed by Dunn’s multiple comparisons test for quantitative data. Chi-square was used for comparison of categorical data. Our results showed that of 631 children assessed, 102 had MIH-affected molars (16.1%). Of these, 51.7% and 8.7% presented enamel and dentin carious lesions, respectively. Regarding the number of teeth, 239 molars were MIH-affected (59.8%), with 188 (78.7%) being classified as mild (opacities only), 20 (8.4%) as moderate (posteruptive enamel breakdown), and 31 (13%) as severe (post-eruptive breakdown involving dentin/atypical restorations). Hypersensitivity was recorded in only one control molar, while the prevalence of hypersensitivity in MIH-affected molars was 34.7%, being of low intensity and more prevalent in moderate (55%) and severe cases (51.6 %) than in mild cases (29.8%, p = 0.008). An association between hypersensitivity and the presence of mild and moderate cases was observed. Although the same association was observed for severe cases, it was considered not a reliable information as 90% of MIH-affected molars with post-eruptive breakdown involving dentin were affected by carious lesions. It is known that dental caries is a confounding factor for the presence of hypersensitivity. It was possible to conclude that hypersensitivity was significantly higher in MIH-affected molars than in non- affected molars, being associated to MIH teeth presenting opacities and post-eruptive enamel breakdown.pt_BR
Appears in Collections:ODT - Mestrado em Odontologia (Dissertações)

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/36862/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.