Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/36779
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_MariaAparecidaSilvadeAbreu.pdf2,65 MBAdobe PDFView/Open
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCorôa, Maria Luiza Monteiro Sales-
dc.contributor.authorAbreu, Maria Aparecida Silva de-
dc.date.accessioned2020-02-04T11:12:08Z-
dc.date.available2020-02-04T11:12:08Z-
dc.date.issued2020-02-04-
dc.date.submitted2019-06-24-
dc.identifier.citationABREU, Maria Aparecida Silva de. Um estudo discursivo crítico da construção identitária de moradores do Chaparral-DF. 2019. ii, 236 f., il. Tese (Doutorado em Linguística)—Universidade de Brasília, Brasília, 2019.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.unb.br/handle/10482/36779-
dc.descriptionTese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas, Programa de Pós-Graduação em Linguística, 2019.pt_BR
dc.description.abstractO objetivo geral desta tese é investigar os modos (e elementos) de constituição das identidades sociais dos moradores do Chaparral, como consequências dos focos de preconceito e de apartação social, sob a perspectiva da Análise do Discurso Crítica. O Chaparral-DF, local cercado de estórias e histórias, foi urbanizado no início dos anos 1980 para alocar moradores de invasões de Taguatinga. É uma área fronteiriça, que se situa entre as regiões administrativas (RA) Taguatinga e Ceilândia, no Distrito Federal, mas faz parte da RA Taguatinga. O Chaparral, ou Nova QNL, embora faça parte das QNL, em Taguatinga, é um local apartado dessas quadras, por ser frequentemente representado como sendo moradia de bandidos, de criminosos. O campo teórico de estudo da investigação é o da Análise do Discurso Crítica (ADC) que lhe fornece sua metodologia, mas deixa aberta a possibilidade de usar conhecimentos construídos em outras áreas. Procuro seguir as diretrizes da abordagem textualmente orientada da ADC, como proposta por Norman Fairclough (2001), acrescida de suas modificações futuras feitas por ele (FAIRCLOUGH 2003, 2006) e por seus pares, aliadas “intertransdisciplinarmente” a outras áreas do pensamento acadêmico crítico. São analisados nove textos publicados na internet que falam do lugar, sendo quatro deles de moradores e cinco de não moradores. Foram feitas trinta e uma entrevistas: dez com moradores pioneiros da comunidade, onze com filhos de pioneiros e dez com não moradores. Tanto a designação, quanto a localização do lugar numa área fronteiriça significam na constituição identitária dos moradores do Chaparral. As análises também confirmam a existência de lendas e mitos acerca do lugar e mostram as constituições identitárias dos moradores por vozes internas e por vozes externas. Do lado de dentro, os moradores do Chaparral constroem para si a identidade de cidadãos. Do lado de fora, de uma perspectiva diferente, constitui-se um tipo de identificação aparente, que os outros “imaginam” para os moradores do Chaparral. O problema é que, se esses outros que imaginam tiverem mais poder e influência social do que aqueles que falam internamente, como ocorre no caso dos jornalistas e da polícia, a identidade imaginada “cola” e ganha a aparência de verdadeira. Há muitas afirmações que poderiam ser apontadas como preconceituosas ainda nas vozes dos não moradores entrevistados, mas que são também modos de operação da ideologia, dos quais os sujeitos dos discursos nem sempre têm consciência. Portanto, mesmo que não moradores entrevistados não considerem que suas representações do Chaparral sejam preconceituosas, em suas vozes, outras vozes sociais, do preconceito e da apartação, se refletem.pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleUm estudo discursivo crítico da construção identitária de moradores do Chaparral-DFpt_BR
dc.typeTesept_BR
dc.subject.keywordIdentidade socialpt_BR
dc.subject.keywordApartação socialpt_BR
dc.subject.keywordChaparral (DF)pt_BR
dc.subject.keywordClasses sociaispt_BR
dc.rights.licenseA concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.pt_BR
dc.description.abstract1The general goal of this doctorate thesis is to investigate the modes (and elements) of social identities constitution of the residents of Chaparral, as consequences of the area’s prejudice and social divergence, from the Critical Discourse Analysis perspective. The Chaparral-DF, area surrounded by stories and tales, was urbanized in the early 1980s to allocate residents of Taguatinga slums. It is a border area, located between the administrative areas (AA) of Taguatinga and Ceilândia in Distrito Federal, but is part of the administrative area of Taguatinga. Chaparral, or the New QNL, although is part of QNL in Taguatinga, is a separated area of those neighborhoods, as it is frequently represented as a neighborhood of criminals. The theoretical field of study of the investigation is the Critical Discourse Analysis (CDA) which provide its methodology but keeps open the possibility to use knowledge developed in other areas. I seek to follow the approach directives textually oriented by the CDA, as it was proposed by Norman Fairclough (2001), improved by the future changes made by him (FAIRCLOUGH 2003, 2006) and his peers, multidisciplinary combined to other areas of the critical academic thinking. Nine texts published on internet that speak about Chaparral are analyzed, where four texts were written by residents and five texts written by non-residents. Thirty-one interviews were realized: ten interviews with pioneer residents, eleven with pioneer’s sons and ten with non-residents. Both designation and the location of the neighborhood in a border area mean in the identity constitution of Chaparral residents. The analyses also confirm the existence of tales and myths about the place and show the identity constitution of the residents by internal and external voices. From the inside, the Chaparral residents build for themselves the identity of citizens. From the outside, from a different perspective, it was constituted a kind of apparent identification, which others “imagine” to Chaparral residents. The problem is if the others that imagine it have more power and social influence than those who speak internally, as occur in the case of journalists and the police, the imagined identity “sticks” and get the appearance of true. There are a lot of statements that could be pointed as prejudiced even in the voices of non-residents interviewed, but they are also ideology operation modes of which the individuals of the discourse do not even realize. Therefore, even if the residents interviewed do not consider their Chaparral representations are prejudiced, in their voices, other social voices of prejudice and divergence are reflected.pt_BR
Appears in Collections:LIP - Doutorado em Linguística (Teses)

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/36779/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.