Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/36126
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_CamilaHillesheimHorst.pdf2,94 MBAdobe PDFView/Open
Title: Assinatura estriatal de micrornas no modelo da rotenona e sua modulação por oligonucleotídeo sintético carreado por nanopartícula magnética
Authors: Horst, Camila Hillesheim
Orientador(es):: Almeida, Ricardo Titze de
Coorientador(es):: Almeida, Simoneide Souza Titze de
Assunto:: Parkinson, Doença de
Parkinson, Doença de - tratamento
Neurotransmissores
Neurodegeneração
Dopamina
Issue Date: 16-Jan-2020
Citation: HORST, Camila Hillesheim. Assinatura estriatal de micrornas no modelo da rotenona e sua modulação por oligonucleotídeo sintético carreado por nanopartícula magnética. 2019. 86 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde)—Universidade de Brasília, Brasília, 2019.
Abstract: A doença de Parkinson (DP) é uma desordem cerebral complexa que afeta cerca de 3% da população mundial acima de 65 anos. Os sinais motores característicos da doença incluem rigidez, tremores e bradicinesia, sendo resultados da degeneração progressiva de neurônios dopaminérgicos da substância negra pars compacta. Um fator agravante da doença consiste no seu diagnóstico: pacientes quando identificados clinicamente com Parkinson já apresentam perda de 40 - 60% de neurônios dopaminérgicos. O tratamento considerado padrão para DP consiste na reposição do neurotransmissor dopamina mediante medicação com L-dopa. No entanto, é apenas sintomático, e mais efetivo nos estágios iniciais da doença. Além disso, seu uso crônico induz severos efeitos colaterais motores, as discinesias. Fármacos modificadores da doença - disease modifying drugs - capazes de retardar a progressão parkinsoniana possuem potencial em mudar o prognóstico da desordem, mas ainda estão em fase de testes. MicroRNAs são potenciais alvos terapêuticos. O presente trabalho objetivou investigar se microRNAs são expressos de maneira aberrante no estriado de animais parkinsonianos (etapa 1), e se é viável modular esta expressão mediante injeção intracerebroventricular (i.c.v.) de oligonucleotídeos sintéticos carreados por nanopartículas magnéticas (etapa 2). Nesta primeira etapa, ratos receberam injeções da neurotoxina rotenona (2,5 mg/kg, i.p., diariamente por dez dias). A neurotoxina causou prejuízo motor, neurodegeneração com perda de células TH (+) nigroestriatais, bem como neuroinflamação, aqui evidenciada pela microgliose. MicroRNAs apresentaram-se aberrantemente expressos no estriado destes animais, havendo aumento significativo de miR-26a, miR-132 e miR-34a, e depleção de miR-7 e Let7a. Uma vez confirmada a hipótese da expressão aberrante dos miRNAs, a segunda etapa do trabalho consistiu em avaliar o delivery cerebral de modulares de miRNAs por partículas magnéticas - NeuroMag – injetados no ventrículo lateral por cirurgia estereotáxica. NeuroMag transfectou de forma eficiente os oligos no estriado. Oligos marcados com fluoresceína foram visualizados em neurônios estriatais e astrócitos, mediante microscopia confocal. Finalmente, avaliamos se os efeitos da reposição do microRNA-7 (miR-7 mimic, 0,36nmol) carreados por NeuroMag (0,68μL) via injeção i.c.v., em animais submetidos à rotenona por dez dias consecutivos (3mg/kg, i.p.). Os resultados revelaram que o grupo rotenona previamente transfectado com Mimics7 apresentou maior expressão de neurônios nigrais TH positivos, assim como reduzida microgliose na substância negra em relação ao grupo NeuroMag. Tais resultados sugerem que a estratégia de modulação de miR-7 via oligonucleotídeos sintéticos carreados por NeuroMag possui potencial neuroprotetor no modelo de neurodegeneração induzido por rotenona.
Abstract: Parkinson's disease (PD) is a complex brain disorder that affects about 3% of the world's population over 65 years. The motor signals characteristic of the disease include stiffness, tremors, and bradykinesia, being results of the progressive degeneration of dopaminergic neurons of the substantia nigra pars compacta. An aggravating factor of the disease is its diagnosis: patients once clinically identified with Parkinson's already present loss of 40-60% of dopaminergic neurons. The treatment considered standard for PD consists of the replacement of the neurotransmitter dopamine by medication with L-dopa. However, it is only symptomatic and more effective in the early stages of the disease. Furthermore, its prolonged use induces severe motor side effects, as dyskinesias. Disease-modifying drugs - capable of delaying Parkinsonian progression has the potential to change the prognosis of the disorder but are still in the testing phase. MicroRNAs are potential therapeutic targets. The present work aimed to investigate whether microRNAs are aberrantly expressed in the striatum of parkinsonian animals (step 1) and whether it is possible to modulate this expression by intracerebroventricular (i.c.v.) injection of synthetic oligonucleotides carried by magnetic nanoparticles (step 2). In this first step, rats received injections of the neurotoxin rotenone (2.5 mg/kg, i.p., daily for ten days). The neurotoxin caused motor impairment, neurodegeneration with loss of TH (+) nigrostriatal cells, as well as neuroinflammation, evidenced here by microgliosis. Animals presented an aberrant striatal expression of the microRNAs evaluated, with a significant increase of miR-26a, miR-132 and miR-34a, and depletion of miR-7 and Let7a. Once the hypothesis of the aberrant expression of the miRNAs was confirmed, the second stage of the study consisted of evaluating the cerebral delivery of miRNAs by magnetic particles - NeuroMag - injected into the lateral ventricle by stereotactic surgery. NeuroMag efficiently transfected the oligos in the striatum. Fluorescein-labeled oligos were visualized in striatal neurons and astrocytes by confocal microscopy. Finally, we evaluated the effects of replacement of microRNA-7 (miR-7 mimic, 0.36nmol) carried by NeuroMag (0.68μL) via i.c.v. injection in animals submitted to rotenone for ten consecutive days (3mg/kg, i.p.). The results showed that the rotenone group previously transfected with miR-7 mimic showed high expression of TH nigral positive neurons as well as reduced microgliosis in the substantia nigra when compared to the NeuroMag group. Such results suggest that the strategy of miR-7 replacement by Neuromag-structured synthetic oligonucleotides has a neuroprotective potential in the model of neurodegeneration induced by rotenone.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2019.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Fundação de Apoio à pesquisa do Distrito Federal (FAP/DF); Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Appears in Collections:PPGCS - Mestrado em Ciências da Saúde (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/36126/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.