Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/36082
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
1977_RobertoSCMoreira_.pdf
???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.accessRestricted???
4,74 MBAdobe PDF ???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.restrito???
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorRossiter, David Loy-
dc.contributor.authorMoreira, Roberto S. C.-
dc.date.accessioned2020-01-08T20:31:57Z-
dc.date.available2020-01-08T20:31:57Z-
dc.date.issued2020-01-08-
dc.date.submitted1977-
dc.identifier.citationMOREIRA, Roberto S. C. Teoria da comunicação: ideologia e utopia (em busca de elementos teóricos para a leitura ideológica da indústria cultural). 1977. 123 f., il. Dissertação (Mestrado em Comunicação)—Universidade de Brasília, Brasília, 1977.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.unb.br/handle/10482/36082-
dc.descriptionDissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Departamento de Comunicação, 1977.pt_BR
dc.description.abstractA tese busca contribuir para a tarefa de obter elementos teóricos básicos utilizáveis na formulação de critérios para uma análise da comunicação que tenha (ou possa vir a ter) valor de ciência, uma vez que as noções básicas que têm orientado as versões dominantes desta análise carecem de valor teórico e são mais propriamente ideológicas. Para este objetivo decidiu-se investigar a relação entre comunicação e sociedade, numa modalidade historicamente específica de sua manifestação: os chamados meios de comunicação de massa em relação com as sociedades complexas e industrializadas, resultantes dos últimos desdobramentos do processo civilizatório. Este contexto foi delineado utilizando-se os termos e conceitos desenvolvidos pela Teoria Crítica, chegando-se, assim, a caracterizar aquele tipo de sociedade como "sociedade administrada ", decorrente da transformação da racionalidade tecnológica em racionalidade política; cuja dimensão cultural denomina-se "cultura afirmativa", a qual funciona como ideologia, unidimensionalizando o pensamento e o comportamento, e que tem na "indústria cultural" uma de suas formas de manifestação ou um de seus aparelhos ideológicos. Verificou-se, em seguida, que para fundamentar uma estratégia de análise sociológica da relação comunicação-sociedade devia-se partir da categoria teórica "ideologia", não só porque se trata de investigar as condições de produção de uma modalidade específica de manifestação ideológica, como também porque, como já foi mencionado, as versões dominantes de análise de comunicação e cultura acham-se impregnadas de conceitos ideológicos. Em decorrência, discutiu-se esta categoria teórica - "ideologia" - buscando formular um conceito utilizável para os objetivos a que a tese se propõe, chegando-se ao seguinte: a ideologia h a racionalização das contradições segundo os interesses da classe dominante, visando exatamente justificar e perpetuar esta dominação, através da inversão da realidade. As relações entre ideologia e ciência receberam especial atenção, o que se justifica pela intenção de obter elementos teóricos para uma análise que se pretenda científica e também porque a própria discussão do conceito de ideologia colocou questões neste campo, às quais não se podia fugir, entre elas a da objetividade científica. Desta discussão formulou-se a idéia de que a única ciência social possível é a ciência crítica, aquela que tem na utopia uma perspectiva necessária na qual a questão da objetividade científica tem solução com uma ruptura epistemológica com o positivismo. Por fim, procurou-se levantar algumas das dificuldades e dos problemas que se encontram na tarefa de aplicar a teoria da ideologia â análise da relação comunicação-sociedade. Em outras palavras, levantar alguns dos mecanismos da leitura ideológica, entendida como a ciência crítica aplicada à esfera do simbólico. Vale acrescentar que este é um trabalho que se passa no plano de uma discussão teórica. Em nenhum momento se fez análise direta de algum material produzido pela indústria cultural, ficando-se sempre no plano de refinar o instrumental teórico utilizável numa análise deste tipo. Em resumo, há no trabalho um duplo movimento: na direção de compreender melhor o objeto de estudo e, ao mesmo tempo, na direção de melhorar os instrumentos de compreensão deste objeto ; isto é, procurou-se compreender simultaneamente a relação comunicação-sociedade e os instrumentos de análise desta relação. No limite, trata-se de investigar a possibilidade de se fazer a crítica à sociedade através dos discursos industrialmente produzidos e consumidos por ela. Isto é, aperfeiçoar os instrumentos de leitura ideológica desses discursos, vendo nesta leitura urra via de compreensão da sociedade.pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.rightsAcesso restritopt_BR
dc.titleTeoria da comunicação : ideologia e utopia (em busca de elementos teóricos para a leitura ideológica da industria cultural)pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.keywordSociologia do conhecimentopt_BR
dc.subject.keywordIdeologiapt_BR
dc.subject.keywordTeoria da comunicaçãopt_BR
Appears in Collections:FAC - Mestrado em Comunicação (Dissertações)

Show simple item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/36082/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.