Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/36043
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_ThallitaOliveiradeGrande.pdf4,98 MBAdobe PDFView/Open
Title: Desmatamentos no Cerrado na última década : perda de hábitat, de conectividade e estagnação socioeconômica
Authors: Grande, Thallita Oliveira de
Orientador(es):: Machado, Ricardo Bomfim
Assunto:: Cerrados - aspectos ambientais
Desmatamento - Cerrados
Desenvolvimento socio-econômico
Cerrados - conservação
Issue Date: 27-Dec-2019
Citation: GRANDE, Thallita Oliveira de. Desmatamentos no Cerrado na última década: perda de hábitat, de conectividade e estagnação socioeconômica. 2019. 153 f., il. Tese (Doutorado em Ecologia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2019.
Abstract: Nesta tese, investigamos os impactos do desmatamento sobre o estado de fragmentação, conectividade e aspectos socioeconômicos do Cerrado. Primeiramente, avaliamos, em 2000 e 2017, a relação entre a conectividade e a área nativa, e se a conectividade variava com o predomínio agropecuário. O bioma perdeu 23% de remanescentes, com piora do estado de fragmentação. A conectividade diminuiu pela perda de fragmentos conectores e não foi função linear da área nativa. Houve um aumento na descontinuidade entre a área nativa e a conectividade. Sob predomínios agropecuários inferiores a 50%, a agricultura prejudicou mais a conectividade e o estado de fragmentação do que a pecuária; acima disto, os efeitos da agricultura e pecuária não diferiram. Depois apresentamos um modelo redes ecológicas funcionais, avaliando se elas aumentavam a conectividade funcional, se o aumento era maior naquelas com níveis intermediários de fragmentação, e se o predomínio agropecuário prejudicava a conectividade funcional. As redes aumentaram a conectividade das paisagens, especialmente daquelas com níveis intermediários de fragmentação. O predomínio agropecuário se relacionou negativamente com a conectividade. Por fim, avaliamos como o desenvolvimento socioeconômico e a desigualdade variavam ao longo de gradientes de desmatamento, em 2000 e 2010, verificando se os indicadores seguiam o padrão boom-andbust e se o aumento na produção de riquezas era acompanhado da melhoria socioeconômica e mudanças ambientais. Observamos um aumento dos indicadores nas classes iniciais ou intermediárias seguido de uma estabilização nas classes finais dos gradientes. O aumento das riquezas nos municípios não esteve associado a melhorias socioeconômicas nem a mudanças no status de conservação ambiental. Majoritariamente, os municípios ricos permaneceram ricos, os pobres permaneceram pobres, pouquíssimos se tornaram ricos e muitos se tornaram mais desmatados.
Abstract: In this thesis, we investigate the impacts of deforestation on the state of fragmentation, connectivity and socioeconomic aspects of the Brazilian Cerrado (woodland savanna). Firstly, we assessed, in 2000 and 2017, the relationship between connectivity and the native area; and whether connectivity varied with the livestock or agricultural crops predominance. The biome lost 23% of remnants and had the fragmentation state worsened. The connectivity decreased by the loss of connector fragments and was not linear function of the native area. There was an increase in the discontinuity between the native area and the connectivity. Under predomains less than 50%, agriculture was more detrimental to connectivity and fragmentation than livestock; above all, the effects of agriculture and livestock did not differ. We also presented a functional ecological networks model, evaluating whether they increased functional connectivity, whether the increase was greater in those with intermediate levels of fragmentation, and if livestock or agricultural crops predominance impaired functional connectivity. Networks have increased the connectivity of landscapes, especially those with intermediate levels of fragmentation. The livestock and agricultural crops prevalence was negatively related to connectivity. Finally, we evaluated how socioeconomic development and inequality varied along deforestation gradients in 2000 and 2010, verifying whether the indicators followed the boomand- bust pattern and whether the increase in wealth production was accompanied by socioeconomic improvement and environmental changes. We observed an increase in the indicators in the initial or intermediate classes followed by a stabilization in the final classes of the gradients. Increased wealth in municipalities was not associated with socioeconomic improvements or changes in environmental conservation status. Majorly, rich municipalities remained rich, the poor remained poor, very few became rich, and many became deforested.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ecologia, 2019.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Appears in Collections:ECL - Doutorado em Ecologia (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/36043/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.