Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/35628
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_MíriamAparecidaMesquitaOliveira.pdf3,74 MBAdobe PDFView/Open
Title: Teletrabalho e atitudes frente à mudança : estudo multicasos no setor público brasileiro
Authors: Oliveira, Míriam Aparecida Mesquita
Orientador(es):: Pantoja, Maria Júlia
Assunto:: Teletrabalho
Mudanças organizacionais
Gestão de pessoas
Setor público
Issue Date: 19-Oct-2019
Citation: OLIVEIRA, Míriam Aparecida Mesquita. Teletrabalho e atitudes frente à mudança: estudo multicasos no setor público brasileiro. 2019. 122 f., il. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão Pública)—Universidade de Brasília, Brasília, 2019.
Abstract: As inovações tecnológicas possuem papel importante para a modernização da administração pública e têm permitido mudanças consideráveis, tais como a utilização do teletrabalho com vistas a redução de custos e maiores níveis de qualidade e produtividade. A literatura demonstra que essa nova modalidade de trabalho é capaz de inserir mudanças significativas na cultura organizacional, no contexto do trabalho e na vida dos trabalhadores, sendo que as percepções desenvolvidas podem exercer influência positiva ou negativa em seus resultados. Nesse sentido, este trabalho teve como objetivo principal investigar as atitudes frente à mudança organizacional no contexto de implantação do regime de teletrabalho no setor público e analisar suas possíveis relações com as características individuais, funcional e demográfica dos servidores. Os objetivos específicos consistiram em: adaptar a escala de Atitudes frente à Mudança Organizacional, validada por Neiva, Ros e Paz (2004); revalidar a escala adaptada em diferentes contextos organizacionais do setor público e identificar possíveis relações existentes entre as características individuais, funcional e demográficas com as atitudes frente à mudança. Os resultados obtidos através da adaptação e revalidação da escala de medidas evidenciaram uma estrutura fatorial composta por três dimensões atitudinais: a) ceticismo; b) temor; e, c) aceitação, os quais obtiveram índices de confiabilidade satisfatórios em todos os fatores. As análises de regressão sinalizaram que algumas características demográficas e fúncionais podem influenciar as atitudes dos servidores frente à mudança decorrente da adoção do teletrabalho. A atitude mais enfatizada pelo grupo de participantes da amostra está relacionada ao temor, seguida das atitudes de aceitação, sendo o ceticismo a atitude menos enfatizada pelo grupo. Contudo, mesmo apresentando altos índices de temor as características individuais, fúncionais e demográficas não se apresentaram como preditoras da referida atitude. Os resultados evidenciaram ainda, que questões relacionadas ao gênero, estado civil, se o cônjuge ou companheiro trabalha fora e o cargo ocupado na instituição não influenciam na atitude desenvolvida, todavia, foi possível identificar como preditoras de atitudes de ceticismo e aceitação, variáveis como idade, tempo de serviço, participação no teletrabalho e distância entre casa e trabalho. Esses resultados identificam diversos desafios para as organizações públicas, sobretudo, naquilo que se refere a adequação das políticas e práticas de gestão de pessoas às peculiaridades do teletrabalho, bem como a necessidade de preparação dos gestores e servidores para essa nova realidade organizacional. Além disso, foi possível perceber a necessidade de estudos fúturos voltados à análise das atitudes dos indivíduos considerando o contexto e cultura organizacional, o mapeamento de competências emergentes, à qualidade de vida, avaliação de desempenho e os resultados do teletrabalho nas organizações públicas brasileiras.
Abstract: Technological innovations play an important role in the modemization of public administration and have allowed considerable changes, such as the use of telecommuting in order to reduce costs and higher leveis of quality and productivity. The literature demonstrates that this new modality of work is capable of inserting significant changes in the organizational culture, in the context of the work and the life of the workers, and the perceptions developed can exert a positive or negative influence on their results. In this sense, the main objective of this work was to investigate attitudes towards organizational change in the context of the implantation of the telecommuting system in the public sector and to analyze its possible relations with the individual, functional and demographic characteristics of the servers. The specific objectives consisted of: to adapt the scale of Attitudes towards Organizational Change, validated by Neiva, Ros, and Paz (2004); to revalidate the adapted scale in different organizational contexts of the public sector and to identify possible relationships between individual, functional and demographic characteristics with attitudes towards change. The results obtained through the adaptation and revalidation of the scale of measures evidenced a factorial structure composed of three attitudinal dimensions: a) skepticism; b) fear; and c) acceptance, which obtained satisfactory reliability indexes in all factors. The regression analyses indicated that some demographic and functional characteristics might influence the attitudes of the servers to the change resulting from the adoption of telework. The attitude most emphasized by the group of participants in the sample is related to fear, followed by attitudes of acceptance, with skepticism being the least emphasized by the group. However, even with high leveis of fear, individual, functional and demographic characteristics did not appear as predictors of this attitude. The results also showed that gender, marital status, whether the spouse or partner works outside the institution does not influence the attitude developed, however, it was possible to identify as predictors of attitudes of skepticism and acceptance, variables such as age, length of Service, participation in telework and distance between home and work. These results identify several challenges for public organizations, especially regarding the adequacy of policies and practices of people management to the peculiarities of teleworking, as well as the need to prepare managers and servers for this new organizational reality. Also, it was possible to perceive the need for future studies focused on the analysis of individuais' attitudes considering the context and organizational culture, the mapping of emerging competences, quality of life, performance evaluation and the results of teleworking in Brazilian public organizations.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Planaltina, Programa de Pós-Graduação em Gestão Pública, 2019.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:FUP - Mestrado Profissional em Gestão Pública

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/35628/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.