Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/34867
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_AugustoPereiraResende.pdf10,04 MBAdobe PDFView/Open
Title: Avaliação da capacidade proliferativa e senescência em cultura primária de células pulpares de pacientes com Síndrome de Raine
Authors: Resende, Augusto Pereira
Orientador(es):: Poppe, Ana Carolina Acevedo
Coorientador(es):: Lima, Caroline Lourenço de
Assunto:: Senescência
Síndrome de Raine
Polpa dentária
Criopreservação
Issue Date: 17-Jun-2019
Citation: RESENDE, Augusto Pereira. Avaliação da capacidade proliferativa e senescência em cultura primária de células pulpares de pacientes com Síndrome de Raine. 2018. 83 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Abstract: A síndrome de Raine (RNS; OMIM #611061) é uma doença genética rara autossômica recessiva caracterizada pela presença de osteoesclerose e anomalias craniofaciais. Atualmente, sabe-se que existem dois fenótipos ligados a essa síndrome, um letal e outro não. Em relação aos casos não letais da RNS, foram descritas várias manifestações orodentárias. A RNS é causada por mutações recessivas no gene FAM20C, que codifica uma quinase envolvida em diferentes processos biológicos. Cantarutti, em 2016, realizou a caracterização in vitro de células pulpares de indivíduos com RNS não letal, sugerindo fenótipo ligado à senescência. Estudos têm sugerido que as condições de cultura e de criopreservação podem levar à senescência celular. O objetivo do trabalho foi, primeiramente, avaliar o efeito do congelamento a -80oC sobre a capacidade proliferativa e senescência de culturas primárias de células pulpares humanas de indivíduos saudáveis (controle) e com RNS não letal e, posteriormente, comparar essas mesmas propriedades entre as culturas controle e RNS congeladas. Para isso, foram cultivadas, durante as passagens 3 a 7 (p3-7), células de culturas pulpares controle (C1 a C5) e RNS (RNS1 e RNS2) frescas e congeladas (< ou > 1 ano) para realização do ensaio de tempo de dobra populacional (doubling time, DT; p3-7), ensaio colorimétrico da atividade da beta-galactosidase (p3, 5 e 7) e ensaio de expressão gênica (p5; genes P21, CICLINA D1, IL1B e IL6). Em relação ao efeito do congelamento a - 80oC, os resultados mostraram que os valores de DT foram similares entre as culturas frescas e congeladas para maioria das culturas, exceto para as culturas controle C1 e C2, que apresentaram DT variável ao longo das passagens, nas culturas frescas e congeladas (< 1 ano), e para a cultura RNS1 na p7, na qual foi observado um maior DT para o grupo de células frescas em relação às congeladas (> 1 ano). A porcentagem de células coradas pelo ensaio da atividade da beta-galactosidase não variou entre os grupos fresco e congelado para todas as populações estudadas, exceto para cultura RNS1 na p5, na qual se observou menor porcentagem de células coradas na população congelada (> 1 ano) em relação a fresca. A expressão dos genes P21 (CDKN1A), CICLINA D1, IL1B e IL6 foi semelhante entre as populações frescas e congeladas. Em relação à comparação das culturas congeladas (> 1 ano) de RNS com as de indivíduos saudáveis (controles), os valores de DT foram similares. A porcentagem de células coradas foi mais elevada nas culturas RNS1 e RNS2 na p7 e 5, respectivamente, em relação ao controle. A expressão de P21, CICLINA D1, IL1B na p5, comparada ao controle, foi maior na cultura RNS2 e de IL6 foi menor na cultura RNS1. Logo, o congelamento a -80oC por aproximadamente um ano e meio parece não afetar a capacidade proliferativa e senescência de células de indivíduos saudáveis e com RNS, porém, em relação ao controle, a cultura RNS2 estudada parece apresentar alterações no processo de senescência celular.
Abstract: Raine syndrome (RNS; OMIM #611061) is a rare autosomal recessive genetic disorder characterized by the presence of osteosclerosis and craniofacial anomalies. Currently, it is known that there are two phenotypes linked to this syndrome, which one is lethal and the other is not. The RNS is caused by recessive mutations in FAM20C gene, that codifies a kinase involved in many biological processes. Cantarutti, in 2016, characterized in vitro dental pulp cells from one person with non-lethal RNS and suggested that these cells were senescent. Studies have suggested that culture conditions and cryopreservation may lead to senescence. Thus, the aim of this study was, first, evaluate the effect of freezing at -80oC on the proliferative capacity and senescence of primary human dental pulp cells culture of healthy persons and of patients with non-lethal RNS. Secondly, the objective was to compare these same biological properties between frozen control and RNS cultures. For that, it was established and cultured fresh and frozen (< or > 1 year) cells of healthy pulp cultures (control; C1 to C5) and RNS pulp cultures (RNS1 and RNS2) from passages 3 to 7 (p3-7) and it was executed a doubling time assay (p3-7; DT), a colorimetric assay of beta-galactosidase activity (p3, 5 e 7) and a gene expression essay (p5; genes P21, CYCLIN D1, IL1B e IL6). About the effect of freezing at - 80oC, the results showed that DT values were similar between fresh and frozen cultures for most of the studied cultures, with exception of the control cultures C1 and C4, that showed variable DT values in their frozen (< 1 year) and fresh cultures along all passages studied, and of the culture RNS1 at p7, that it was observed higher DT values for the fresh culture in comparison to the frozen (> 1 year) ones. The percentage of stained cells by the colorimetric assay of the beta-galactosidase activity did not varied between the fresh and frozen groups for all populations studied, with exception of the culture RNS at p5, that it was observed less percentage of stained cells in the frozen (> 1 year) population in comparison to the fresh ones. The expression at p5 of the P21 (CDKN1A), CYCLIN D1, IL1B and IL6 genes was similar between fresh and cryopreserved populations. Related to the comparison of frozen (> 1 year) RNS and control cultures, the values of DT were similar. The percentage of stained cells, in comparison to the control, was higher on the RNS1 and RNS2 cultures at p7 and p5, respectively. The expression at p5 of P21 (CDKN1A), CYCLIN D1, IL1B, in comparison to the control, were higher in the RNS2 lineage and the expression of IL6 was lower in the RNS1 lineage. Concluding, the freezing at -80oC for approximately one and half year seems to not affect the proliferative capacity and senescence of healthy and RNS cells; however, related to the control, the RNS2 cells studied seem to have alterations on the senescence process.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2018.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior (CAPES).
Appears in Collections:PPGCS - Mestrado em Ciências da Saúde (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/34867/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.