Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/34577
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_JuliaChamuscaChagas.pdf2,19 MBAdobe PDFView/Open
Title: Atuação da psicologia escolar frente à patologização e medicalização da educação superior
Authors: Chagas, Julia Chamusca
Orientador(es):: Pedroza, Regina Lúcia Sucupira
Assunto:: Psicologia escolar
Ensino superior
Saúde mental
Estudantes universitários
Issue Date: 8-May-2019
Citation: CHAGAS, Julia Chamusca. Atuação da psicologia escolar frente à patologização e medicalização da educação superior. 2018. xv, 226 f. Tese (Doutorado em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Abstract: Este trabalho fundamenta-se na concepção de Psicologia de Vigotski e Wallon, embasada no materialismo histórico dialético. Nosso objeto de estudo é a atuação da psicologia escolar frente ao processo de patologização e medicalização da Educação Superior. Entendemos que esse processo engloba o reducionismo das explicações sobre dificuldades de escolarização por meio de características individuais, ocultando elementos sociais, históricos, políticos e pedagógicos. São incomuns estudos sobre esse tema na Educação Superior. Pesquisas demonstram que a atuação da Psicologia Escolar nesse nível de ensino permanece focada no atendimento individual a estudantes. A Educação Superior no Brasil tem passado por mudanças que demandam modelos educativos mais flexíveis, abrangentes e acolhedores da diversidade do desenvolvimento humano. É fundamental compreender como o processo de patologização e medicalização da educação tem se desdobrado nessa nova realidade. Nosso objetivo foi compreender a atuação do psicólogo escolar da UnB frente a esse processo com vistas a construir possibilidades de atuação no acolhimento à diversidade do desenvolvimento humano na universidade. Inspiramo-nos no método autoetnográfico para realizar uma investigação a partir da vivência profissional visando ampliar o olhar para o campo de pesquisa e a fluidez no processo de construção coletiva do conhecimento. Esta pesquisa foi realizada no Programa de Apoio a Pessoas com Necessidades Especiais e no Serviço de Orientação ao Universitário da Universidade de Brasília. Utilizamos como recursos investigativos: observação participante; pesquisa documental no acervo do Serviço; e entrevistas semi estruturadas com três ex-gestores e duas servidoras do SOU, e com uma ex-estudante do PPNE. As informações construídas foram analisadas em seu conteúdo e confrontadas entre si e com a fundamentação teórica. Compusemos um histórico da atuação em psicologia escolar nessa Universidade e investigamos o processo de patologização e medicalização da Educação Superior em seu cotidiano. Pudemos identificar como historicamente esse processo se constituiu e se desenvolve atualmente: 1) na operacionalização dos processos acadêmicos, servindo ao controle e vigilância sem qualquer função educativa; 2) na atuação do SOU no sentido de reprodução e manutenção da lógica de responsabilização individual do estudante pelo fracasso acadêmico; e 3) no papel do PPNE como medicalizador do acolhimento ao estudante com deficiência e simulacro de inclusão. Construímos uma proposta de atuação em psicologia escolar frente à patologização e medicalização da Educação Superior pela valorização da diversidade do desenvolvimento humano. Ressaltamos a necessidade de colaborar para a defesa da universidade como bem público, resgatando seu compromisso com a inovação no sentido de garantir o direito de todos os seus membros à educação. Defendemos a tese de que o processo de patologização e medicalização da Educação Superior age como ideologia da opacidade ao ocultar o sucateamento das universidades brasileiras por meio da dissimulação das reais causas do fracasso acadêmico. Argumentamos que a Psicologia Escolar pode contribuir com a denúncia desse processo e para seu enfrentamento por meio de ações junto aos sujeitos que compõem a comunidade acadêmica que favoreçam a recuperação do sentido de universidade balizada no livre pensamento, na inovação e na experimentação em uma comunidade democrática e solidária, socialmente referenciada.
Abstract: This work is based on the conception of Psychology of Vigotski and Wallon, founded on dialectical historical materialism. Our object of study is the role of the school psychologist at UnB regarding the process of pathologization and medicalization of Higher Education. We understand that such process comprises reducing explanations about difficulties of schooling on individual characteristics, thus hiding social, historical, political and pedagogical elements. Studies on this topic concerning Higher Education are uncommon. Researches show that the role of School Psychology at this level of education remains focused on individual care of students. Higher Education in Brazil has undergone changes that demand educational models that are more flexible, comprehensive and welcoming of human development diversity. It is essential to understand how the process of pathologization and medicalization of education has presented itself in this new reality. We intended to investigate the role of the school psychologist at UnB, regarding the process of pathologization and medicalization of Higher Education, in order to formulate possibilities for this professional to work on embracing human development diversity at university. We sought inspiration in the autoethnographic method to conduct an investigation, based on a professional experience, attempting to broaden the look to the field of research and to bring flexibility to the process of collective construction of knowledge. This research was carried out at the Support Program for People with Special Needs and at the University Orientation Service of University of Brasília. We used as investigative resources: participant observation, documentary research on the Service‟s archives; and semi-structured interviews with three former managers and two servers from SOU, and with a former student from PPNE. The information constructed were analyzed in its content and confronted against each other and against the theoretical framework. We compiled a history of the work in school psychology at this University and investigated the process of pathologization and medicalization of Higher Education present in its daily life. We were able to identify how this process was constituted historically and is currently developing: 1) in the operationalization of academic processes, serving as control and surveillance without any educational function; 2) in SOU's role in reproducing and maintaining the logic of student's individual accountability for academic failure; and 3) in PPNE „s part as a medicalizer of the reception to students disability and as a simulation of inclusion. We elaborated a proposal for the school psychologist‟s work regarding the pathologization and medicalization of Higher Education by respecting and appreciating human development diversity. We emphasize the need to collaborate on defending the university as a public good, recovering its commitment to innovation on guaranteeing the right of all its members to education. We defend the thesis that the process of pathologization and medicalization of Higher Education acts as an ideology of opacity by hiding the devastation of Brazilian universities by disguising the real causes of academic failure. We argue that School Psychology can contribute to the denunciation of this process and to its confrontation by actions alongside the academic community that favor the recovery of the meaning of university based on free thought, innovation and experimentation in a democratic and solidary community socially referenced.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-graduação em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde, 2018.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:PED - Doutorado em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/34577/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.