Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/34570
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2003_TarcisioZandonade.pdf
???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.accessRestricted???
12,53 MBAdobe PDF ???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.restrito???
Title: As implicações da epistemologia social para uma teoria da recuperação da informação
Other Titles: The implications of social epistemology for a theory of information retrieval
Authors: Zandonade, Tarcísio
Orientador(es):: Mueller, Suzana Pinheiro Machado
Assunto:: Recuperação da informação
Teoria do conhecimento
Epistemologia social
Issue Date: 7-May-2019
Citation: ZANDONADE, Tarcísio. As implicações da epistemologia social para uma teoria da recuperação da informação. 2003. 295 f., il. Tese (Doutorado em Ciência da Informação)—Universidade de Brasília, Brasília, 2003.
Abstract: No dia 8 de dezembro de 2003 celebramos o centésimo aniversário de um dos principais contribuintes da Ciência da Biblioteconomia e da Informação (LIS) durante cinco décadas do século passado. Este pioneiro foi Jesse Hauk Shera (1903-1982), bibliotecário, historiador, educador e proto-cientista na área de LIS. Desde a morte de Shera em 1982, ele está sendo redescoberto pelos acadêmicos da área de ciência da informação. Um movimento filosófico e empírico mais abrangente, através do qual o objetivo original de Shera pode finalmente ser descrito e implementado, assumiu independentemente o seu projeto de uma disciplina de Epistemologia Social. Shera passou toda a sua vida estudando, à busca dos fundamentos da biblioteconomia como uma disciplina acadêmica que poderia desvendar os princípios da organização da informação, para obter o maior benefício possível dos registros gráficos da humanidade. Ele esteve envolvido cora a proposta da Escola Graduada de Biblioteconomia (GLS) da Universidade de Chicago para transformar a nascente área da biblioteconomia acadêmica numa Ciência da Biblioteconomia, da forma como foi traduzida do filósofo e educador John Dewey (The Sources of a Science of Education) por Pierce Butler (Introduction to Library Science), um trabalho que se tornou uma agenda acadêmica e de pesquisa da GLS. O próprio projeto de Shera surgiu ainda antes dos anos 1950, quando, com a sua colaboradora Margaret Elizabeth Egan, propôs uma disciplina de Epistemologia Social. Desde então, Shera foi um permanente apóstolo deste conceito nuclear para a investigação dos fundamentos epistemológicos de uma ciência da bibliografia, depois da biblioteconomia, até a documentação, e tornou-se um dos membros fundadores de uma ciência da informação. Pouco tempo depois da morte de Shera, um grande impulso surgiu da filosofia para estudar a natureza coletiva do conhecimento. Deste grupo emergiu um jovem filósofo, Steve Fuller (1959- ). Fuller independentemente identificou, nomeou e desenvolveu um programa de Epistemologia Social, veiculado por um periódico, Social Epistemology, por cuja criação, em 1987, foi responsável. Fuller descreveu seu programa como um movimento intelectual de ampla origem interdisciplinar que tenta reconstruir o problema da epistemologia, considerando o conhecimento como intrinsecamente social. Fuller, como outros colegas interessados nesta área, veio a reconhecer o trabalho de Shera. Esta tese analisa os programas histórico (de Shera) e contemporâneo (de Fuller) de Epistemologia Social - contra o pano de fundo dos estudos filosóficos e empíricos do conhecimento e da informação - e procura observar a recepção que ambos tiveram em suas comunidades científicas, bem como suas diferenças e similaridades. Conclui-se pela vantagem de inserir o projeto de Shera no programa contemporâneo da Epistemologia Social, uma vez que ambos têm a mesma orientação, e que LIS já está investigando os fundamentos da recuperação da informação em colaboração com a Epistemologia Social em geral.
Abstract: On December 8th, 2003, we celebrate the hundredth anniversary of one of the main contributors to Library and Information Science (LIS) over five decades in last century. This pioneer is Jesse Hauk Shera (1903-1982), librarian, historian, educaíor and proto-scientisí in the area of LIS. Ever since Shera's death in 1982 he is being rediscovered by the information science academia. A more comprehensive philosophical and empirical movement, whereby Shera's original purpose may be eventually described and impiemented, has taken up independently his project of a discipline of Social Epistemology. Shera spent a whole life of study in search of the foundations of librarianship as an academic discipline that could unveil the principies of information organization, which could bring maximum social henefit from man's graphic records. He was engaged in the proposal of the University of Chicago's Graduate Library School (GLS) to íransform the nascent area of academic librarianship into a Library Science, as translated from the philosopher and educator John Dewey (The Sources of a Science of Education) by Pierce Butíer (Introduction to Library Science), a work that became GLS's academic and research agenda. Shera's own project took off even before the 1950s, when, with his associate Margaret Elizabeth Egan, he proposed Social Epistemology. From then on, Shera was a permanent apostle of this core concept. for investigating the epistemological foundations of a science of bibliography, then librarianship into documentation, and became a founding faíher of a science of information. A short time after Shera's death a great thrust originated from philosophy to study the collective nature of knowledge. From this group emerged a young philosopher, Steve Fuíler (1959- ). Fulier independently identified, named and deveioped a program of Social Epistemology, a vehicle for which was a new journal he was responsible for creating in 1987, Social Epistemology. Fulier described his program as an intellecluai movement of broad cross-disciplinary provenance that attempts to reconstruct the problcm of epistemology once knowledge is regarded as intrinsically social. Fulier, üke other coileagues interested in this area, has come to acknowledge the work of Shera. This íhesis reviews the historical (Shera's) and the contemporary (Fuller's) programmes of Social Epistemology - against the background of philosophical and scientific studies of knowledge and information - and views the reception both had in their scientific communities, and their differences and similarities. It concludes for the advantage at embedding Shera's project into the contemporary programme of Social Epistemology, since they both have the same orientation, and LIS is already investigating the foundations of information retrieval in association with general Social Epistemology.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Estudos Sociais Aplicados, Departamento de Ciência da Informação e Documentação, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, 2003.
Appears in Collections:FCI - Doutorado em Ciência da Informação (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/34570/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.